Animais

Por que seu cão come cocô e outros hábitos estranhos explicados

Especialistas analisam alguns dos hábitos mais esquisitos de gatos e cachorros. Terça-feira, 7 Novembro

Por Liz Langley

De cachorros que demonstram um apetite estranho para guloseimas até gatos que pensam fora da caixa de areia, animais de estimação podem exibir comportamentos esquisitos. Esta semana, pedimos a profissionais que respondessem perguntas de leitores que se questionam sobre os hábitos peculiares dos seus bichinhos.

A VERDADE SOBRE COMER COCÔ

Muitos animais consomem fezes, uma refeição de origem local que pode conter partículas de alimentos intactas e, portanto, nutrição.

Para o horror dos donos, o apetite por fezes às vezes se aplica aos seus animais de estimação.

"Pode ser um legado evolutivo da longa história do cachorro de viver caçando comida", diz James Serpell, professor de ética e bem-estar animal na Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia, por e-mail.

A leitora Susan Moynihan só quer saber, "Como eu posso fazer meu cachorro parar [de comer cocô]?"

Uma visita preventiva ao veterinário é o primeiro passo, diz Serpell, que também escreveu o livro, The Domestic Dog: Its Evolution, Behavior and Interactions with People (O cão doméstico: sua evolução, comportamento e interações com pessoas, em tradução livre). Os donos devem excluir a deficiência de enzimas pancreáticas e garantir que o cão esteja comendo corretamente, diz ele.

Se tudo estiver bem, um treinamento baseado em recompensas pode ajudar. Durante uma caminhada, desencoraje o comportamento com delicadeza e firmeza e recompense com comida e elogios quando o cão ignorar a meleca, aconselha Serpell.

Se o comportamento de comer cocô persistir, ele diz: "Uma substância desagradável, como o glutamato monossódico, pode ser adicionada às fezes para desencorajá-lo ".

FELINO DE PAPEL

O gato de um ano de idade da leitora Ann Buckley tem um hábito menos revoltante – ele lambe a tinta em papéis recém-impressos. A dona pergunta: "Isso é perigoso?"

"As impressoras domésticas usam água, etileno glicol e álcool, mas provavelmente só serão tóxicas se o animal de estimação estivesse lambendo diretamente o cartucho da impressora", diz Pamela Martin, professora assistente de veterinária para pequenos animais na Universidade de Tuskegee.

Se isso não acontecer diariamente e o gato não estiver comendo o papel, ele "provavelmente não receberia uma dose tóxica", diz ela. O melhor a fazer é simplesmente manter os papéis longe do animal.

FAZENDO XIXI FORA DA CAIXA

O problema do leitor Kamran Adibi é um problema de localização.

O gato de Adibi nunca teve nenhum comportamento errado "até nos mudarmos para outro estado", diz ele. "Desde então, ele sempre urina no tapete de um quarto específico".

"Ah, a dinâmica da mudança", diz Martin. Alterações como um novo parceiro, bebê ou lar podem desencadear o estresse que se manifesta como urinação inapropriada.

"Parece que esse gatinho tem uma condição chamada Cistite Idiopática Felina (CIF)”, uma inflamação da bexiga de causa desconhecida, diz Martin.

A visita ao veterinário para descartar uma infecção do trato urinário é o primeiro passo. Se o gato estiver bem, tente reduzir estressores simples. Por exemplo, evite caixas de areia com cobertura porque " gatos querem ver se alguém está vindo" para que possam se defender. Também se certifique que a caixa esteja em um local privado e silencioso.

Ter muitas caixas de areia na casa também ajuda.

"Usamos a regra n+1 das caixas de areia, número de gatos na casa mais uma", diz Martin. Se a casa tem vários andares, verifique se há uma caixa de areia em cada andar.

Os donos também podem reduzir o estresse do seu gato ao deixar vários pontos por onde ele possa escapar.

Terapia com feromônio e dietas receitadas também podem ajudar. Martin recomenda alimentos enlatados para CIF porque seu alto teor de água pode beneficiar "gatos que podem formar sedimentos ou pedras na bexiga".

Uma fonte de água para gatos (menos cara do que parece) pode ajudar os gatos a ficarem hidratados.

John Bradshaw, especialista em comportamento de gatos na Universidade de Bristol no Reino Unido, diz que o gato que lambe a tinta pode estar reagindo a um novo odor desconhecido, talvez do gato do proprietário anterior.

Restringir o gato a um ou dois quartos na casa, "estendendo seu acesso gradualmente, e somente depois que o proprietário transferir seu cheiro para todos os outros quartos" pode ajudar, diz Bradshaw.

Mas se o problema é um novo namorado ou namorada, Martin brinca, "seu gato pode estar tentando dizer-lhe algo sobre ele ou ela".

Continuar a Ler