Seda das aranhas é um dos materiais mais versáteis da Terra

Os invertebrados tecem teias de seda e podem usar as linhas como estilingues, submarinos e parapentes.quarta-feira, 18 de setembro de 2019

A SEDA DE aranha é um dos materiais mais versáteis do planeta. Ela é, na verdade, uma proteína criada por órgãos especiais conhecidos como fiandeiras, e pode ser usada para transporte, abrigo, cortejo e todo tipo de formas criativas de capturar suas presas.

Algumas aranhas podem produzir mais de um tipo de seda. Uma teia circular comum, por exemplo, pode conter pelo menos quatro tipos diferentes de seda, onde cada uma delas adiciona um componente diferente, como força, flexibilidade e aderência.

Equipadas com um material tão versátil, as aranhas desenvolveram a capacidade de criar uma variedade admirável de teias. Há a folha de teia horizontal, que captura as presas que caem, e teias verticais em treliça, que interceptam presas voadoras. As teias da viúva-negra são bem desordenadas, enquanto teias em funil e teias triangulares podem lembrar esculturas tridimensionais.

As aranhas da família Theridiosomatidae constroem teias cônicas que podem lançar a aranha como um estilingue até uma presa próxima, enquanto a aranha-cara-de-ogro captura suas presas em teias portáteis.

A australiana aranha-das-costas-vermelhas tece uma teia emaranhada de linhas grudentas que se estendem até o chão, como uma cortina de miçangas. Quando formigas ou grilos esbarram em uma dessas gavinhas, a linha captura a presa e arrebenta, lançando a criatura indefesa ao ar, onde ela ficará pendurada até que a aranha decida comê-la.

“Algumas aranhas produzem uma seda translúcida de baixa reflexão UV, então os insetos não conseguem vê-la”, diz Catherine Craig, bióloga evolucionista e autora do livro Spider Silk: Evolution and 400 Million Years of Spinning, Waiting, Snagging, and Mating.

Por outro lado, há sedas de aranhas que refletem a luz ultravioleta e aparentam ser azuis de determinados ângulos. Nos trópicos, há até aranhas-tecedeiras que infundem suas sedas com carotenoides, os quais, ao serem atingidos pela luz do sol, fazem com que a teia pareça coberta de ouro líquido.

Já as aranhas-bolas dispensam a construção de teias. Essas criaturas espertas atraem mariposas para perto usando feromônios e, então, golpeiam os insetos no ar com um único pedaço de seda grudenta e pesada, o qual elas atiram para frente e para trás como uma fita de ginástica rítmica. Já a aranha Gnaphosidae lança a seda na sua presa como o Homem-Aranha.

E elas não estão sozinhas.

Das aproximadas 50 mil espécies de aranhas conhecidas pela ciência, a maioria não produz nenhum tipo de teia, diz Craig. Mas todas as aranhas produzem seda. As formas com as quais elas usam esse material são tão variadas quanto fascinantes.

O lar é onde a seda está

Durante centenas de milhões de anos, antes da evolução das teias e antes mesmo de haver moscas para serem capturadas, as aranhas usavam sua seda como abrigo.

“A seda de aranha é incrivelmente forte e flexível”, diz Catherine Scott, aracnóloga na Universidade de Toronto Scarborough. “Ela também tende a ser muito limpa e a ter propriedades antimicrobianas, já que as aranhas não querem que surja mofo ou micróbios nas suas teias”.

Algumas aranhas, como aquelas no galho de 300 milhões de anos chamado Mesothelae da árvore genealógica das aranhas, cavam tocas e barragens, forrando-as com camadas de seda parecidas com uma gaze. Depois, essas aranhas constroem portas circulares, completas com uma dobradiça presa pela seda. Isso não apenas esconde as aranhas dos predadores e permite que ataquem presas desatentas, mas as portas também bloqueiam a passagem de predadores e permitem que as aranhas regulem a temperatura e umidade da sua toca, podendo até protegê-las de eventuais alagamentos.

As aranhas da família Atypidae constroem túneis de seda que se penduram nas laterais das árvores. A maioria das pessoas nunca as notam, já que suas estruturas estão cobertas de terra e outros tipos de resíduos.

 “Você quase nunca verá a aranha, porque ela está dentro daquele túnel que se estende até o chão”, diz Sebastian Echeverri, aracnólogo e educador científico na Universidade de Pittsburgh. “E quando a presa se move ao longo do túnel, a aranha sente suas vibrações e vai atrás dela correndo. A aranha morde através da seda, capturando a criatura com suas presas, envenenando-a e levando-a para dentro”.

E há também a aranha-de-água.

“Bem, essa é uma aranha que vive toda a sua vida debaixo da água, amarrando um pouco de vegetação em sua teia”, diz Echeverri.

No entanto, essas aranhas não conseguem respirar debaixo da água, fazendo viagens repetitivas à superfície para capturar bolhas de ar em seus pelos especialmente adaptados. Quando voltam às suas tocas submarinas de vegetação, elas levam essas bolhas para dentro da teia, formando um pequeno santuário rico em oxigênio, onde podem se esconder dos predadores e depositar seus ovos.

“Essa é uma aranha que desafia a natureza das aranhas”, diz Echeverri.

Movimentando-se

Enquanto a seda é um excelente material de construção, ela também pode ser usada para o transporte.

As aranhas-saltadoras pulam constantemente sobre abismos, por exemplo. Elas se protegem contra quedas ao ancorarem uma linha de segurança de seda ao seu abrigo. Isso permite que as aranhas-saltadoras voltem para onde começaram se, por acaso, errarem o alvo. Elas até permitem uma mudança de direção quando já estão no ar com um rápido puxão na linha principal.

A maioria das aranhas é pequena, mas elas conseguem viajar entre árvores ou sobre enormes vazios usando um processo chamado “transposição”. Tudo o que a aranha precisa fazer é lançar uma linha de seda ao vento e então puxá-la para esticá-la assim que se conectar a alguma coisa. O aracnídeo não sabe exatamente para onde está indo, é claro, mas é melhor que rastejar.

“E seria negligência não mencionar que aranhas podem voar”, diz Echeverri.

Cobertores de teias de aranha cobrem bosque – uma rara e surreal visão
Estas aranhas orbitelas construíram formações que agora cobrem o lugar.

Similar à transposição, diversas espécies de aranhas são capazes de se “erguerem” ao ar ao lançarem fios de seda que são pegos pelo vento e pelos campos elétricos da Terra. Aranhas voadoras já foram encontradas flutuando a mais de três quilômetros de altura e a milhares de quilômetros no mar aberto.

Pode sentir meu cheiro agora?

A seda de aranha não é apenas forte, elástica e grudenta, como também pode ser fedorenta.

“Sabemos que as fêmeas têm feromônios em sua seda”, diz Scott.

Em um estudo recente publicado na revista Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, Scott mostrou que o macho da viúva-negra pode detectar essa fragrância atraente a quase 60 metros de distância, usando-a como uma bússola para encontrar a fêmea.

Além disso, a pesquisa de Scott mostrou que alguns machos chegam às fêmeas ainda mais rápido ao seguirem as linhas de seda deixadas por machos que vieram antes deles. Os machos foram até capazes de detectar a diferença entre a seda deixada por seus rivais e fios deixados por machos de uma espécie estritamente relacionada, a falsa-viúva-negra.

Mandando ver

“A seda é um método de comunicação”, diz Scott. “Ela funciona quimicamente, usando feromônios, mas, para aranhas que constroem teias, é também uma pista de dança usada por machos para exibições de cortejo”.

Esta aranha solta teias iguais às do Homem-aranha
A aranha Gnaphosidae possui glândulas que ejetam uma seda forte e elástica para imobilizar suas presas.

Em parte para atrair a fêmea e parte para convencê-la de que é seu pretendente, e não seu jantar, os machos de muitas espécies batem, dedilham ou enviam vibrações pela teia da fêmea. Os machos também podem remodelar a teia da fêmea lançando sua própria seda ou destruindo seções inteiras da teia, talvez em uma tentativa de esconder a fêmea de outros machos da região.

Em uma outra parte do jogo do acasalamento e reprodução, as aranhas usam a seda para proteger seus ovos e para construir berçários de seda que protegem seus filhotes. Os machos de algumas espécies usam a seda para embrulhar alimentos, com os quais presenteiam as fêmeas em uma tentativa de melhorar suas chances, embora algumas aranhas possam tentar enganar a fêmea, embalando uma pedra ou semente.

“Quando ela vê o que há dentro e percebe que não é comida, ele pode já ter conseguido sua copulação”, diz Scott.

A seda também pode ser usada para amarrar a fêmea durante o cortejo. Isso é chamado de “véu da noiva”. E embora possa parecer estranho, esse comportamento pode tornar a fêmea mais receptiva ao acasalamento, uma vez que coloca seus pelos sensoriais em contato com a seda repleta de feromônios do macho.

É claro que o método também pode servir a um propósito mais direto.

“Detê-la fisicamente também pode evitar o canibalismo”, diz Scott.

Continuar a Ler