Sapo-pipa

Por Photo Ark
Sapo-pipa, Pipa pipa, visto no Zoológico de Saint Louis, Estados Unidos.

Sapo-pipa, Pipa pipa, visto no Zoológico de Saint Louis, Estados Unidos.

Foto de JOEL SARTORE NATIONAL GEOGRAPHIC PHOTO ARK

Nome comum: Sapo-pipa

Nome científico: Pipa pipa

Tipo: Anfíbio

Dieta: Carnívora

Expectativa média de vida em cativeiro: 8 anos

Tamanho: Entre 10 e 21 centímetros

Peso: Entre 280 e 510 gramas

O que é um sapo-pipa?

Com sua aparência achatada, semelhante a um peixe linguado, cabeça triangular e olhos minúsculos, o sapo-pipa não se parece com a maioria dos outros sapos. Seus filhotes também nascem de uma forma diferente.

Como parte de um dos métodos de nascimento mais estranhos do reino animal, os filhotes surgem de um conjunto de pequenos orifícios nas costas de sua mãe.

As características excêntricas não param por aí. Esses anfíbios têm dedos longos que terminam em quatro lobos sensoriais, semelhantes aos de um pato e que serviram de inspiração para seu outro nome comum: cururu-pé-de-pato.

Os sapos-pipa também são chamados de observadores das estrelas porque seus olhos minúsculos e sem pálpebras ficam na parte superior da cabeça.

Caça e dieta

Como uma espécie exclusivamente aquática, os sapos-pipa vivem em águas calmas, incluindo piscinas na floresta tropical e a serapilheira úmida, em uma área que abrange todo o leste de Trindade e Tobago e grande parte da Bacia Amazônica, incluindo o país que originou seu nome em inglês, o Suriname.

Camuflando-se no ambiente com pele acastanhada ou verde-oliva e permanecendo imóveis, os sapos ficam a salvo de predadores e capturam crustáceos, peixes e invertebrados na água.

Para sentir a presença da presa, essas criaturas noturnas usam os órgãos sensoriais na ponta dos dedos. Eles então sugam a vítima com a boca que não possui dentes nem língua ou utilizam as patas para agarrar o alimento.

Acasalamento e reprodução

Para atrair as fêmeas, os machos recorrem a um osso em sua garganta, o hioide, que emite um som debaixo d’água. Quando o animal encontra uma fêmea receptiva, ele a agarra pelas costas com as patas, uma posição chamada amplexo.

Interligados, o casal dá cambalhotas na água por horas até que a fêmea libere cerca de cem ovos. O macho fertiliza os ovos e os coloca nas costas da fêmea. Uma espessa camada de pele crescerá sobre os ovos até que estejam aninhados em bolsos protegidos, semelhantes a favos de mel.

Os sapos filhotes não passam pelo estágio de larva ou girino. Em vez disso, surgem das costas da mãe totalmente formados, com aproximadamente 1,2 centímetro, após cerca de três a quatro meses.

Embora esse método de nascimento possa parecer estranho, na verdade, é mais seguro para os recém-nascidos. Presos às costas da mãe, eles ficam menos vulneráveis a predadores, fazendo com que esses sapos sejam um grande exemplo de cuidado parental. Ao nascerem, os pequenos sapos já nadam por conta própria. (Conheça os animais com as gestações mais estranhas.)

Status de conservação

A população de sapos-pipa não está atualmente em perigo, embora seu habitat esteja ameaçado pela invasão humana, como extração de madeira, agricultura e pecuária.

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Animais
Psitaciformes
Animais
Arraia
Animais
Pirarucu
Animais
Krill
Animais
Tubarão-baleia

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados