Espaço

A ciência por trás do meteoro que iluminou o céu norte-americano

Entenda a diferença entre um meteoroide, um meteorito e um meteoro.quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Por Elaina Zachos
Uma câmera no console do carro flagra o meteoro enquanto ele cai sobre a estrada no sul do estado de Michigan.

Meteoros normalmente se chocam com a camada termosfera da atmosfera da Terra, entre 80 e 120 quilômetros de altitude. Se um meteoro está se movendo particularmente rápido – por exemplo, a cerca de 260.000 km/h – ele pode ser visível acima dessa faixa; se está relativamente devagar – 7.000 km/h – ele pode ser visto em altitudes menores. Para serem vistos, os pedaços precisam adentrar a atmosfera devagar durante a noite, mas rápidos durante o dia.

Quando o meteoro entra em contato com as moléculas de ar da atmosfera, ele cria atrito e se aquece. É comum que exploda em um bólide na atmosfera, causando uma bola de fogo ao cair na Terra. Pouco depois de um grande meteoro atravessar os céus, uma onda de choque o acompanha.

Restos de meteoro, os meteoritos normalmente vaporizam antes de atingir a superfície da Terra. Eles podem ser rochas de pedra ou metálicas ou bolas de poeira constituídas de materiais de baixa densidade que já fizeram algumas viagens às proximidades do Sol. Se são rígidos o suficiente para aguentar a queda na atmosfera, meteoritos podem variar de tamanho: entre uma bola de gude a um grande pedregulho.

A antiga Terra testemunhou mais impactos de meteoritos do que o planeta onde vivemos hoje. Mas milhares de pequenos meteoritos ainda atingem o solo todos os anos, aterrissando em florestas remotas ou no oceano. Os fragmentos são mais comumente encontrados em regiões desérticas, onde a baixa precipitação previne que os meteoros se desfaçam e a pouca vegetação facilita encontrá-los. 

Ferimentos em decorrência de meteoritos são raríssimos. No entanto, o primeiro registro de uma pessoa sendo atingida por um pedaço de material espacial nos Estados Unidos foi Ann Hodges, que se machucou gravemente ao ser atingida por um meteorito de 3,6 kg que atravessou o teto de sua casa em Sylacauga, no estado americano do Alabama, em novembro de 1954.

Ontem, 16 de janeiro, partes do céu pareciam pegar fogo. Mas o que os habitantes de Nova York e de um pedaço do Canadá viram foi, na verdade, um meteoro – e não a anunciação do fim do mundo. 

De acordo com a Nasa, o objeto espacial adentrou a atmosfera a cerca de 8 quilômetros a oeste de New Haven, no estado americano de Connecticut, e dali viajou em sentido noroeste a uma velocidade relativamente lenta de 45 mil km/h. Estimativas dão conta de que a rocha tinha entre 0,9 a 1,8 metros de diâmetro e pesava mais de uma tonelada. 

Mas o que é um meteoro? E um meteorito? Essas e outras questões nós respondemos abaixo.

Vem meteoro?

Meteoroides, assim como asteroides e cometas, são pedaços de matéria interplanetários no espaço. Quando meteoroides penetram a atmosfera terrestre, são chamados meteoros, também conhecidos como "estrelas cadentes". 

Chuvas e tempestades de meteoros acontecem quando muitos meteoros são visíveis ao mesmo tempo, e meteoritos são os restos de rocha que permanecem depois do meteoro queimar na atmosfera e entrar em contato com a superfície do planeta.

Continuar a Ler