A Grande Mancha Vermelha de Júpiter pode desaparecer logo...

...ou talvez não. Os cientistas não têm muita certeza do que acontecerá com a diminuição da grande tempestade.quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Fora o seu tamanho, o planeta Júpiter é talvez mais conhecido pela tempestade turva avermelhada que gira no sul de seu equador. A tempestade, que é grande o suficiente para engolir a Terra sem dificuldades, é apropriadamente (se não criativamente) conhecida como a Grande Mancha Vermelha de Júpiter.

A Grande Mancha Vermelha é, há séculos, um círculo turvo de Júpiter e está entre as características do sistema solar mais reconhecidas. Mas ela não estará lá para sempre. Na verdade, a Grande Mancha Vermelha está diminuindo e, recentemente, notícias relataram que ela pode desaparecer dentro dos próximos 10 ou 20 anos.

Espere, isso é verdade? Vamos descobrir.

Então, Júpiter. Você tem uma grande tempestade aí, hein?

Sim. A Grande Mancha Vermelha é na verdade uma tempestade gigante. Quanto à largura, ela tinha a mesma medida de várias Terras. Ela se alonga dentro da atmosfera do planeta e, de alguma forma, superaquece o ar de cima e deixa as temperaturas mais quentes que lava.

Há quanto tempo ela está lá?

É incerto. Mas sabemos que ela é visível desde, pelo menos, o começo dos anos 1800 e, talvez, seja a mesma tempestade que as pessoas observaram nos anos 1600. Pelo menos, ela está por aí há uns 200 anos.

Como ela ainda está por lá? Tempestades na Terra não duram tanto assim.

É verdade: enquanto algumas tempestades ficam um tempo em outros planetas, as tempestades na Terra geralmente tendem a ser compassivamente rápidas. Netuno (que é cheio de tempestades no geral) tem uma mancha grande similar escura que existe desde que a nave espacial Voyager 2 passou por lá em 1989 (ela se foi quando o Telescópio espacial Hubble fotografou o planeta em 1994). E Saturno desenvolveu uma tempestade tão gigantesca que ela envolveu o planeta por inteiro e foi esmagada por ela mesma. Mas essa só existiu durante um ano.

Os cientistas não têm certeza do que está alimentando a grande e persistente tempestade de Júpiter (essa é uma área de pesquisa ativa), mas eles suspeitam que a sua posição entre duas correntes de jato pode estar ajudando a estabilizar e a prolongar a sua existência.

Mas ela está diminuindo.

Sim.

Desde quando?

Desde quando a estamos observando. Observações mais antigas, do final dos anos 1800, sugerem que a tempestade uma vez se alongou por mais de 30 graus de longitude e era mais como uma “Grande Salsicha Vermelha”, disse Glenn Orton do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa. Mas a forma da tempestade está mudando em relação à largura, e com o passar do tempo, ela está se tornando mais oval do que circular.

A tempestade se esticou em mais de 40.000 km de largura. Quando a nave espacial Voyager sobrevoou o local nos anos 1970, os cientistas estimaram que a Mancha tinha apenas 23.000 km de largura. Em 2014, uma observação com o Telescópio espacial Hubble mostrou que a Mancha estava com apenas 16.500 km de largura e até a última primavera, ela tinha apenas 16.300 km.

Então quando ela irá sumir totalmente?

A verdade é que os cientistas não fazem ideia. Mas se você medir o ritmo que a Grande Mancha Vermelha está diminuindo e extrapolar linearmente a partir disso, parece que a mancha irá sumir completamente em cerca de 70 anos, disse Amy Simon do Goddard Space Flight Center, da Nasa.

Segundo Simon, o problema é “que sabemos com certeza que ela não irá se comportar dessa forma de jeito nenhum.”

Então o que significa esse prazo de 10 a 20 anos?

É o tempo aproximado que a tempestade, se continuar a diminuir nesse ritmo atual, irá se tornar quase circular. Segundo Orton, essa forma é muito menos estável do que a atual, que é uma configuração vagamente oval.

“É improvável que A Grande Mancha Vermelha esteja estável se ela ficar mais ‘estreita’ do que ’alta’, embora outra opinião diga que ela pode se estabilizar com uma forma circular”, disse Orton.

Então, quando ela ficar circular, todos podem dar palpite sobre o que vai acontecer depois. A tempestade poderia se equilibrar e continuar por perto ou poderia desaparecer. “Desconheço quaisquer modelos teóricos para a dinâmica da Grande Mancha Vermelha nesse estado”, disse Orton. “É tudo suposição, então coloca os observadores em alerta para ver o que acontecerá com esse vórtice único.”

Simon diz que o destino da tempestade depende do que a está alimentando e se as mudanças seguintes acontecerão devagar ou rápido.

“Mudanças lentas permitem que a tempestade se ajuste de várias maneiras, enquanto mudanças rápidas provavelmente causem a sua interrupção”, ela disse. “Baseado na informação atual que temos, eu diria que se fosse para ela se estabilizar, isso provavelmente aconteceria na próxima década ou antes.”

Então nós não sabemos direito quando a Grande Mancha Vermelha irá desaparecer?

Não. Mas ela está obviamente mudando.

Continuar a Ler