Espaço

Espaçonave israelense construída por empresa privada falha em tentativa de pousar na Lua

Aterrissagem bem-sucedida teria feito de Israel o quarto país a realizar um pouso lunar. Apesar do acidente, a missão ainda é significativa.Thursday, April 11

Por Michael Greshko
Momentos antes de bater na superfície da Lua, a Beresheet tirou esta foto durante a descida. Se fosse bem sucedida, a sonda lunar israelense teria sido a primeira financiada pelo setor privado a conseguir tal façanha.

Em 11 de abril, uma sonda lunar israelense batizada com a palavra hebraica para “gênesis” tentou marcar um novo início para a exploração espacial, tornando-se a primeira nave privada a tocar a Lua. Construída pela empresa sem fins lucrativos de Israel SpaceIL, a sonda Beresheet tentou pousar de forma suave na Mare Serenitatis, uma bacia vulcânica lunar na parte nordeste do satélite natural. Contudo, enquanto fazia sua descida, o mecanismo principal da espaçonave falhou. Engenheiros reiniciaram a sonda, mas perderam as comunicações: a máquina de 150 kg acabou caindo.

“Nós não conseguimos, mas definitivamente tentamos, e acho que a conquista de chegar até onde chegamos é muito grande”, disse Morris Kahn, primeiro fundador e presidente da SpaceIL, durante uma transmissão ao vivo da tentativa. “Acho que podemos ficar orgulhosos... algumas você ganha, outras você perde”.

Uma aterrissagem de sucesso teria feito Israel o quarto país a pousar na Lua, e a SpaceIL teria sido a primeira entidade privada a pousar uma espaçonave fora do nosso planeta. A sonda estava carregando dois instrumentos científicos e uma cápsula do tempo digital que incluía uma “biblioteca lunar”.

Em 4 de abril de 2019, a Beresheet entrou na órbita lunar, registrando esta imagem do lado oculto da Lua.

Apesar da aterrissagem forçada, a missão é um grande marco: a Beresheet é o mais próximo que uma empresa privada já conseguiu chegar de aterrissar na superfície lunar. Em 4 de abril, a sonda entrou com sucesso na órbita ao redor da Lua — tornando Israel o sétimo país a realizar o feito.

A tentativa de pouso da Beresheet conclui mais de oito anos de trabalho. A SpaceIL começou no final de 2010, quando três estudantes — Yariv Bash, Kfir Damari e Yonatan Winetraub — se encontraram em uma noite para beber em um bar fora de Tel Aviv e se convenceram que seriam capazes de construir uma sonda lunar. Eles prontamente entraram no Google Lunar XPrize, uma competição global fundada em 2007 que oferecia 20 milhões de dólares à primeira entidade privada a pousar uma espaçonave na Lua.

A mais de 362 mil km de distância, a Terra parece apenas um ponto brilhante nesta imagem tirada pela Beresheet.

“Tem sido muito louco, eu nunca pensei que seria tão grande”, diz Bash. “Eu tenho recebido fotos de crianças se vestindo de astronautas — é muito animador ver como a coisa está se espalhando”.

Das nuvens para a Lua

No início, a SpaceIL sonhou em aterrissar uma espaçonave na Lua no final de 2012, com uma sonda pesando menos do que alguns quilos. Mas, quando souberam dos planos da entidade sem fins lucrativos, a Agência Espacial de Israel (AEI) e as Indústrias Aeroespaciais de Israel, o principal contratante de defesa do país, alertaram a SpaceIL que seus planos estavam incompletos.

“A maioria deles achou que éramos uma piada pelos primeiros anos”, diz Bash.

Em vez de virar as costas para o grupo, no entanto, as entidades espaciais israelenses mais experientes os ajudaram. A AEI concordou em construir a espaçonave e a Agência Espacial de Israel concordou em dar assistência técnica e doar mais 2 milhões de dólares. No meio tempo, a SpaceIL levantou a maior parte de seu orçamento de 90 a 100 milhões de dólares de doações privadas. A maioria dos fundos veio de Kahn, da SpaceIL, um empreendedor israelense e sul-africano, e da Fundação Adelson Family, uma entidade sem fins lucrativos nos Estados Unidos fundada pelo magnata de casinos Sheldon Adelson.

ver galeria

A SpaceIL tornou-se um dos finalistas da Google Lunar XPrize, e em 2015 foi a primeira competidora a agendar sua ida ao espaço. “Aquilo foi realmente divertido de se ver: ver um negócio totalmente construído em volta disso, do espaço, em Israel, inspirando o público e a próxima geração de crianças”, diz Chanda Gonzales-Mowrer, vice-presidente da XPrize Foundation e antiga diretora da Google Lunar XPrize.

Como muitos outros competidores, a SpaceIL enfrentou cortes de orçamento e atrasos técnicos. Depois de estender o prazo diversas vezes, o Google e a XPrize Foundation terminaram a Lunar XPrize em março de 2018 sem um vencedor.

Mesmo com o fim do concurso, a SpaceIL perseverou. No dia 22 de fevereiro de 2019, a espaçonave foi lançada a bordo da SpaceX Falcoon 9, indo junto com um satélite de comunicações indonésio. SpaceIL conseguiu a carona com a Spaceflight Industries, que intermediou o processo. Nas semanas desde o lançamento, a Baresheet viajou por mais de 64 milhões de quilômetros, completando a série de três grandes órbitas ao redor da Terra que o levaram ainda mais perto da Lua.

“Isso é uma mudança de paradigma difícil de apreciar... Essa é a primeira missão para a Lua fundada por uma empresa privada, de forma voluntária, e é a primeira que está fazendo algo diferente”, diz Ryan Olcorr, gerente de missões da Spaceflight Industries que trabalhou com a SpaceIL.

Mesmo com o prêmio da Lunar XPrize fora de jogo, a entidade tem corrido atrás de outros reconhecimentos: um prêmio de lançamento de 1 milhão de dólares da XPrize Foundantion para celebrar a perseverança dos antigos competidores. A SpaceIL teria recebido o prêmio caso tivesse pousado com sucesso.

“Voltamos a falar sobre o orgulho de todo o trabalho que a SpaceIL fez”, diz Gonzales-Mowrer sobre a crianção do prêmio. “Queremos celebrar as conquistas, e, de fato, eles estão assumindo o risco de sonhar”.