Este animal cria um “moicano” temporário para impressionar fêmeas

O tritão-de-crista macho toma muda o visual radicalmente durante a temporada de acasalamento.

Published 27 de mar de 2018 19:09 BRT, Updated 5 de nov de 2020 04:22 BRST
transformacoes-de-machos-acasalamento
Um tritão-de-crista macho exibe seu moicano de acasalamento durante um mergulho na Europa.
Foto de Derek Middleton, Minden Pictures, National Geographic Creative

A maioria de nós se arruma mais quando está procurando por amor.

Mas alguns machos do reino animal fazem mais do que se arrumar um pouco – eles mudam drasticamente a aparência física para chamar a atenção das fêmeas. Hormônios masculinos, como a testosterona, normalmente desencadeiam esses embelezamentos sazonais.

Chifres enormes em alces e em outros veados são os mais óbvios e chamativos, mas nos perguntamos, o quanto os machos menos conhecidos mudam para atrair seu par? 

Sapos e rãs

Machos de muitas espécies de sapos e rãs, como a Rana temporaria, desenvolvem “braços de Popeye” musculosos e almofadas nupciais durante a temporada de acasalamento, diz Greg Pauly, curador de herpetologia do Museu de História Natural de Los Angeles.

Rãs se acasalam no Parque Nacional Retezat, na Romênia.
Foto de Erlend Haarberg, National Geographic Creative

As almofadas nupciais são áreas elevadas e queratinizadas – como um saco de areia – nas mãos do macho, que permitem que ele segure na pele escorregadia da fêmea durante o acasalamento.

A massa muscular exagerada nos braços torna mais fácil segurar as fêmeas caso outro macho tente separar o casal – ou se a fêmea tentar “se livrar de um pretendente indesejado tentando passar por baixo de um galho ou raiz”, diz Pauly.

As almofadas nupciais se desenvolvem com a maturidade sexual e se forem característica da espécie, elas ficam por toda a vida, se tornando mais pronunciadas durante a temporada de acasalamento.

Tritões

O tritão-de-crista, outro anfíbio, também fica musculoso e cria as almofadas. Além disso, exibe um moicano no corpo inteiro.

Esses membros da família da salamandra, nativos da Europa e Ásia Ocidental, sofrem “as maiores mudanças de todas”, diz Pauly.

Como muitas espécies de tritões, eles começam como larvas aquáticas e vão para a terra na juventude. Quando adultos, retornam à água para reproduzir. (Veja também Novos sapos que se reproduzem plantando bananeira, fazem ‘artesanato’)

A cada temporada de reprodução, machos maduros desenvolvem braços musculosos e almofadas nupciais, mas também desenvolvem barbatanas dorsais no corpo e na cauda, que os faz parecerem maiores e mais impressionantes para as fêmeas e para outros machos. Esses tritões têm um sistema de acasalamento lek, eles se concentram em uma parte do lago e as fêmeas escolhem entre eles, e parte desse “desfile” é mostrar aos outros machos que não devem mexer com os escolhidos. Os machos também balançam e batem seus rabos durante o cortejo, ao mesmo tempo se mostrando e soltando seus feromônios na direção da fêmea.

Salmão

Algumas espécies de salmão passam por “uma grande mudança no maxilar inferior para se acasalar”, Scott Heppell, professor associado de peixes na Universidade do Estado do Oregon, disse por e-mail.

O maxilar inferior dos machos desenvolve um gancho, chamado de “kype”, que eles usam para lutar com outros machos.

Um grupo de três lapas se acasalando, cujos machos têm pênis do tamanho de seus corpos.
Foto de Hiroya Minakuchi, Minden Pictures, National Geographic Creative

 

Já o salmão-vermelho passa por uma grande mudança na estrutura do crânio durante a desova, ele diz.

Mas diferentemente dos anfíbios, os salmões machos não voltam à sua forma menos impressionante depois de acasalar – os peixes começam a se degradar e morrem após o ato.

Outros peixes

Os peixes “drum”, peixe-sapo e peixe-cantor são espécies próximas que passam por transformações menos óbvias, mas impressionantes.

Quando está na hora da reprodução, os hormônios sexuais fazem crescer os músculos das bexigas natatórias, permitindo que o peixe vibre o órgão e crie sons altos (ouça) que funcionam como uma sirene para as fêmeas, diz Heppell.

O zumbido é tão alto que em Sausilito, California, nos anos 1980, donos de barcos reclamaram de um barulho que os incomodava –uma serenata de peixes-cantores.

Lapas

Esses moluscos marinhos desenvolvem gônadas que chegam à metade do peso corporal durante a temporada de acasalamento. As gônadas maiores permitem maior produção de esperma, espalhando melhor os genes.

Um grupo de três lapas se acasalando. Os machos da espécie têm pênis do tamanho de seus corpos.
Foto de Blickwinkel, Alamy

Mas esse não é o único truque deles.

Credipulas fornicatas vivem e se acasalam em pilhas (veja vídeo) com a fêmea embaixo e machos menores em cima.

Esses machos tentam acasalar estendendo seus grandes pênis – que são às vezes do tamanho de seus corpos inteiros – por baixo da concha da fêmea, onde se encontram os óvulos. (Leia sobre como o pênis da craca pode ter oito vezes o tamanho de seu corpo.)

Machos que não se prendem a uma pilha existente podem se prender a uma superfície sozinhos, nesse caso, eles se tornam fêmeas.

Isso é incrível, sr. lapa!

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados