Animais

Cães de donos ansiosos também são ansiosos?

Novo estudo avalia se animais de estimação e seus donos compartilham este e outros traços de personalidade.Wednesday, April 3

Por Linda Lombardi
Pesquisadores estudaram as personalidades de 1.681 cães e seus donos. A conclusão: os cachorros e seus donos tendem a agir de forma semelhante.

É comum acharmos divertido quando cães e donos são parecidos — ambos magricelas ou despenteados. Um estudo recente concluiu que cães se assemelham a seus donos de uma maneira totalmente diferente: suas personalidades de fato tendem a ser parecidas.

William J. Chopik, psicólogo social da Universidade do Estado de Michigan e autor principal do estudo, analisa como os relacionamentos humanos mudam ao longo do tempo. Intrigado pelo vínculo que as pessoas formam com seus cães de estimação, ele resolveu examinar esses relacionamentos e sua dinâmica.

Seu estudo pediu para donos de 1.681 cães avaliarem suas próprias personalidades e as personalidades de seus cães, usando questionários padronizados. Ele verificou que cães e seus donos compartilham traços de personalidade. Uma pessoa extremamente sociável tem grande chance de ter um cão extremamente ativo e animado — e menos agressivo — do que alguém menos sociável. O estudo concluiu ainda que donos cuidadosos avaliaram que seus cães respondiam mais ao treinamento e donos neuróticos avaliaram seus cães como mais medrosos. Por outro lado, “se alguém é tranquilo, seu cão é tranquilo”, afirma Chopik.

Chopik ressalta a dificuldade evidente na condução desse estudo: você pode fazer perguntas às pessoas sobre elas mesmas, mas com um cão, só é possível contar com as observações feitas pelos próprios donos sobre o comportamento de seus bichos de estimação. Contudo, ao que parece, as predisposições dos proprietários (a ideia de que donos podem projetar suas próprias personalidades em seus cães) não foram um fator de interferência. Estudos análogos constataram que conhecidos (estranhos, amigos, passeadores de cães) tendem a avaliar a personalidade de um cão da mesma forma que o próprio dono.

ver galeria

Por que existem essas similaridades? O estudo não abordou as causas, porém Chopik formulou uma hipótese: “Isso se deve, em parte, à sua escolha do cão e, em parte, à modificação do cão em função de você”, conta ele.

Chopik afirma que, ao adotar um cão, geralmente se escolhe um que se adapte naturalmente ao seu ritmo diário. “Você quer um cão agitado que requer muita interação ou um mais tranquilo para um estilo de vida mais sedentário?”, questiona ele. “Costumamos escolher cães compatíveis conosco.”

Então, seja por meio de treinamento consciente ou apenas interações do dia a dia, moldamos nosso comportamento — e eles mudam conforme nós mudamos. “Nossas mudanças no estilo de vida são passadas aos poucos”, prossegue ele.

Zazie Todd, behaviorista e autora da página da Internet Companion Animal Psychology (Psicologia do Animal de Companhia, em tradução livre), afirma que é importante destacar que os cinco principais traços amplamente utilizados para avaliar as personalidades das pessoas (extroversão, afabilidade, escrúpulo, emoções negativas e abertura a novas ideias) não são os mesmos cinco fatores de personalidade utilizados para cães (medo, agressão a pessoas, agressão a animais, grau de atividade/agitação e capacidade de resposta a treinamentos). “Contudo existem alguns pontos comuns muito interessantes” em traços humanos e traços caninos, conta ela, e as características costumam ser compatíveis.

“Ainda que a medida das coisas seja diferente, é possível encontrar correlações”, afirma Chopik. “Isso dificulta detectar semelhanças, mas as identificamos de qualquer modo.”

Por exemplo, embora a “extroversão” não seja um traço que defina taxativamente a personalidade de um animal, pessoas extrovertidas normalmente são mais sociáveis e animadas, então um cão altamente ativo e animado é um paralelo próximo.

Pesquisas futuras poderiam ajudar a desenrolar as duas causas possíveis dos pontos comuns de personalidade. Em outras palavras, o fator de quem veio primeiro: o ovo ou a galinha? Por exemplo, donos extrovertidos e simpáticos estão mais propensos a escolher um cão aparentemente menos receoso? Ou seu estilo de vida extrovertido tem mais chance de ser transferido para o cão ao longo do tempo? “Pessoas mais sociáveis podem sair mais com seus cães de modo que o cão fique mais socializado e mais acostumado a coisas diferentes”, explica Todd. “É possível que as pessoas estejam moldando as personalidades de seus cães e essa é a possibilidade mais interessante para mim.”