Espaço

Conheça os planos da SpaceX para enviar nave a Marte em 2018

Nos projetos da empresa estão as versões modificadas de cápsulas da nave Dragon. A ideia é parte de um objetivo a longo prazo de levar humanos ao Planeta Vermelho.

Por Nadia Drake
Fotos de Ilustração de SpaceX

O fundador da SpaceX, Elon Musk, é famoso por ter dito que queria morrer em Marte (em inglês) - mas não durante o impacto. Em abril de 2016, a empresa de viagem espacial anunciou os planos de enviar a nave espacial Red Dragon para o Planeta Vermelho em 2018. Embora os voos iniciais não tenham humanos, eles representam um passo inicial crucial para colocar as botas astronautas em Marte.

Ainda que pareça ambiciosa, a SpaceX não é a única exploração espacial esperançosa em relação a Marte. Na semana passada, a China também revelou seus planos de enviar uma nave espacial para Marte em 2020, quando (como em 2018) o alinhamento da Terra com Marte favorece uma viagem interplanetária, o que a torna mais fácil.

Os detalhes das duas tentativas ainda são vagos, mas o diretor da Administração Espacial Nacional da China (CNSA) disse que a missão do país será consideravelmente complicada.

“Esperamos que a sonda orbite o Planeta Vermelho, pouse nele e instale um veículo em uma única missão, o que é bem difícil de alcançar” disse o diretor da CNSA, Xu Dazhe, em abril de 2016 (em inglês), de acordo com a Xinhua News Agency. Ainda assim, a China foi bem-sucedida em fazê-lo na Lua, quando a nave espacial Chang’e 3 oscilou para dentro da órbita, pousou e instalou o rover lunar Jade Rabbit em 2013.

É esperado que Musk explique melhor seus planos para a colonização marciana no International Astronautical Congress (em inglês) em Guadalajara, México, em setembro. Seus planos podem incluir enviar humanos para Marte em algum momento de 2020, um programa de exploração que envolveria uma colaboração não-financeira com a NASA (em inglês).

"Entre as muitas coisas empolgantes que estamos fazendo com negócios americanos, estamos especialmente animados em relação ao futuro projeto da SpaceX, que seria construído em cima de um acordo ‘sem troca de fundos’ que temos com a empresa”, a administradora adjunta da NASA, Dava Newman, escreveu no blog da NASA em abril de 2016 (em inglês).

“Em troca dos dados de entrada, descida e pouso em Marte da SpaceX, a NASA oferecerá suporte técnico para o plano da empresa de tentar pousar uma nave espacial não-tripulada Dragon 2 em Marte”.

Tecnologias e mais testes

Enviar naves não-tripuladas para Marte é o primeiro passo em qualquer plano de eventualmente enviar humanos, que Musk disse ser um dos seus objetivos (em inglês) quando fundou a SpaceX, há mais de uma década. Pousar grandes cargas em Marte não é exatamente uma tarefa fácil: Além de uma certa massa da nave espacial, a atmosfera fina do planeta não suporta a frenagem tipo paraquedas na descida.

É necessário antecipar missões de teste para definir as tecnologias usadas para pousar cargas pesadas, incluindo humanos, em segurança—tecnologias como o retrofoguete da Sky Crane que pousou o rover Curiosity, da NASA, na superfície marciana em 2012.

Por enquanto, parece que a SpaceX planeja usar tecnologias propulsoras para pousar as Red Dragons, que serão versões atualizadas da nave espacial Dragon 2 (em inglês).

“A Dragon 2 foi desenhada para ser capaz de pousar em qualquer lugar do Sistema Solar. A missão Red Dragon Marte é o primeiro voo de teste” Musk twittou, ao dizer que a Dragon pode não ser o ideal para enviar humanos para Marte. Não seria divertido fazer longas viagens. O volume interno é do tamanho de um SUV.”

O plano da SpaceX de pousar Red Dragon em Marte provavelmente dependerá do seu poderoso foguete Falcon Heavy.

Jonathan McDowell, um astrofísico do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, acredita que o plano da SpaceX é sensato, já que a empresa “tem o foguete, a nave espacial, o dinheiro e alguma assistência técnica da NASA.” Mas ele acredita que “atrasos no cronograma da Falcon Heavy são bem prováveis, e que podem facilmente atrasar os planos para 2020. Eu ficaria bem surpreso/impressionado se acontecesse em 2018.”

Até a publicação do artigo, a SpaceX ainda não tinha se pronunciado sobre como lidar com os desafios de proteção planetária. A ideia da nave espacial entrando em contato com uma superfície alienígena não pode representar um risco de contaminar aquele mundo com formas de vida terráqueas. SpaceX disse, anteriormente, que seguiria o conselho da NASA de desenvolver um plano de proteção planetária para Marte.

Além disso, a não ser que passageiros estejam dispostos a uma viagem sem volta para o empoeirado Mundo Vermelho, ainda existe a questão sobre voltar do Planeta (em inglês) algo que traz questionamentos para algumas pessoas, até Musk.

Publicado em 27 de abril de 2016.

Continuar a Ler