Fotografia

Veja como a natureza reivindicou esses lugares abandonados

Fascinado pelo tema decadência, fotógrafo francês viajou para mais de 700 locais esquecidos.quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Por Christine Bednarz
Fotos de Jonathan "Jonk" Jimenez
ESTUFA, BÉLGICA
ver galeria

Uma estufa de ferro forjado, envolta em ervas daninhas, ao lado de um castelo coberto de tábuas na Bélgica, pode fazer algumas pessoas hesitarem, mas não o fotógrafo francês Jonathan “Jonk” Jimenez.

“É um lugar enferrujado com janelas quebradas, mas ainda é bonito. Gosto de encontrar beleza em locais onde acredita-se que ela não será encontrada”, explica Jimenez. Após viajar para mais de 700 locais abandonados em 33 países em quatro continentes, Jimenez divulgou suas fotografias no livro Naturalia: Reclaimed by Nature (“Natural: Reivindicado pela Natureza”, em tradução livre).

Jimenez iniciou sua carreira documentando grafiteiros em Barcelona, que utilizavam lugares desertos da cidade como telas. Ele até mesmo tentou trabalhar como artista de rua (daí o pseudônimo). De volta a sua cidade natal, Paris, Jimenez explorou os cantos escondidos do mundo urbano, escalando telhados, percorrendo túneis do metrô e passando dias no subsolo, nas catacumbas da cidade.

Monastério, Bélgica
Monastério, Bélgica

Agora, ele se concentra em descobrir pontos fora da cidade. Mas se você pretende visitar esses lugares abandonados por conta própria, pense duas vezes: o acesso a muitos deles requer um pouco de adrenalina, ou talvez seja preciso invadir algumas propriedades particulares. Durante a visita de Jimenez a uma cervejaria no norte da França, o latido de um cachorro alertou a equipe de segurança, que chamou a polícia.

“É considerada uma invasão porque a maioria dos locais é propriedade privada, mas essa invasão é realizada sem quebrar ou forçar nada”, diz Jimenez. “Em noventa e nove por cento do tempo, eles percebem que somos apenas fotógrafos e nos mandam embora. Talvez aquele [segurança] estava tendo um dia ruim.”

Reservatório, Taiwan
Reservatório, Taiwan

Seguindo em sua busca para ver o que ainda não foi visto, Jimenez fotografou lugares que variaram de uma base militar soviética esquecida na Bielorrússia a um castelo coberto de vegetação na Croácia. Em vez de investigar a história dos lugares, o trabalho de Jimenez captura um momento específico da passagem do tempo. Prédios em decadência nos lembram o inevitável processo da história. Por fim, a natureza toma posse novamente daquilo que uma vez já chamou de seu.

“Algumas pessoas enxergam como algo bastante sombrio, como a aparência que o mundo terá após o apocalipse”, diz Jonk. “Mas, para mim, o que eu gosto de mostrar é que a natureza é mais forte do que o homem. No fim, a natureza vence.”

Continuar a Ler