O que é a democracia? Confira 6 características para entendê-la

O sistema político é conhecido por ser o representante do povo e por uma série de detalhes; entenda.

Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 9 de jan. de 2023 15:32 BRT
Voluntários das assembleias de voto verificam os eleitores durante a eleição nacional da Índia.

Voluntários das assembleias de voto verificam os eleitores durante a eleição nacional da Índia.

Foto de Lynn Johnson

Originária do grego, a palavra “democracia”, conforme a definição do dicionário Greek-English Lexicon, significa poder (kratos) do povo (demos). É exatamente esse o conceito pregado por diferentes pesquisadores e dicionários que indicam a democracia como um sistema político onde a soberania é do povo, com o exercício sendo regido por meio de representantes.

 O conceito, originário da Grécia antiga, também foi apresentado pelo general e historiador ateniense Tucídides, no livro História da Guerra do Peloponeso. Na página 109, ele aponta que a democracia é “no tocante às leis todos são iguais para a solução de suas divergências privadas”.

Características da democracia

O Tribunal Eleitoral do Poder Judicial do México, por exemplo, aponta que o conceito de democracia evoluiu com o passar do tempo. Mesmo assim, algumas características desse sistema político são visíveis em diferentes países, conforme descrito em diferentes obras:

  • Democracias têm constituições e tribunais. Conforme o livro Como As Democracias Morrem, de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt (página 118), as constituições e tribunais “servem como grades flexíveis de proteção da democracia, impedindo que o dia a dia da competição política se transforme em luta livre”; 
  • Democracias têm a sua essência composta pelo igualitarismo, a civilidade, o sentido de liberdade e o propósito compartilhado. Esta definição é a de E.B. White sobre o sistema político dos EUA em meados dos século 20, em descrição no livro Como As Democracias Morrem (página 254);
  • Democracias dão direito a todos. Em História da Guerra do Peloponeso (página 109), Tucídides aponta que “quando se trata de escolher (se é preciso distinguir em qualquer setor), não é o fato de pertencer a uma classe, mas o mérito que dá acesso aos postos mais honrosos”; 
  • Democracias têm negociações constantes. Ainda em Como As Democracias Morrem (página 91), os autores definem a democracia como um “trabalho árduo”. “Enquanto negócios familiares e esquadrões de exércitos podem ser governados por ordens, democracias exigem negociações, compromissos e concessões”, indica a obra;
  • Democracias têm eleições. Tucídides, em História da Guerra do Peloponeso (página 529), indica que “há eleições na democracia e cada um aceita mais facilmente os resultados, pois não tem a sensação de haver sido rebaixado por pessoas iguais a ele mesmo”; 
  • Democracias são formadas por duas normas fundamentais: a tolerância mútua e a reserva inconstitucional. Ambas, conforme o livro Como As Democracias Morrem (página 118), falam sobre o respeito mútuo entre rivais e aceitação de decisões como legítimas.
Continuar a Ler

Você também pode se interessar

História
Heróis ou vilões? No aniversário de São Paulo, entenda quem foram os bandeirantes
História
Barbados finalmente cortará laços com a monarquia britânica, após anos de tentativas
História
O que é a Terra Indígena Yanomami
História
Por que as vítimas do Holocausto são lembradas em 27 de janeiro
História
Qual é o significado das pirâmides do Egito

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados