Conheça a bela planta invasora que queima e cega

Ela foi levada para a América do Norte como decoração de jardins e arboretos, mas agentes do governo estão trabalhando para exterminá-la.Monday, June 25, 2018

Por Sarah Gibbens
Hogweeds crescem entre flores silvestres no estado de Washington. A planta já foi vista no Noroeste Pacífico e Nordeste dos Estados Unidos.

SE ENCONTRÁ-LA crescendo em seu jardim, não toque nela.

Esta planta invasiva de 4,5 metros de altura conhecida no exterior como hogweed (Heracleum mantegazzianum) foi recentemente descoberta no estado americano da Virgínia. Especialistas e moradores estão em alerta máximo devido a seiva cristalina e perigosa produzida pela planta que pode causar queimaduras de terceiro grau, erupções graves e cegueira permanente.

A planta havia sido identificada em regiões mais ao norte do Canadá, no Noroeste Pacífico e no nordeste dos Estados Unidos, mas, agora, agentes do governo da Virgínia monitoram a região para averiguar sua propagação por lá.

Como ela se espalhou?

Os perigos da planta não impediram jardineiros entusiásticos de trazê-la para a América do Norte há mais de um século. Antes de ser classificada como uma planta tóxica em diversos estados, ela era cultivada como uma planta ornamental de jardim. Nativa de regiões às margens do Mar Negro, como Rússia e Geórgia, a Heracleum mantegazzianum se espalhou pelo resto da Europa e pela América do Norte nos séculos 19 e 20, quando foi transportada por colecionadores admirados com sua beleza única.

“É realmente uma planta espetacular. Ela se assemelha muito às ilustrações do Dr. Seuss”, diz Kevin Heffernan, biólogo e gestor do Departamento de Conservação e Pesquisa da Virgínia.

Ele especula que o fascínio pela planta tenha sido a razão pela qual ela foi parar em seu estado.

A Heracleum mantegazzianum foi encontrada em um jardim residencial mantido por jardineiros amadores. Especialistas acreditam que ela poderia estar crescendo há 40 anos, tendo sido plantada pelos primeiros donos da casa. Foram os atuais donos que começaram a suspeitar que a notória planta estava em seu próprio quintal, quando enviaram fotos para horticultores no Instituto Politécnico da Virgínia, que confirmaram a espécie. Há 40 anos, comprar e plantar Heracleum mantegazzianum era legal, mas, hoje, o estado da Virgínia a classifica como uma planta tóxica, o que significa que ela é regulada pelo estado e não pode ser comprada ou vendida.

Como precaução, a planta foi arrancada e removida. Outras Heracleum mantegazzianum no estado da Virgínia foram reportadas, mas ainda não foram confirmadas.

“Estamos confiantes de que ela não se propagou. Se houvesse sido encontrada na natureza, teriam soado os alarmes”, diz Heffernan.

Isso porque, em outras regiões onde a dispersão da planta foi observada, ela provocou lesões sérias e duradouras.

Contato perigoso

Apenas encostar na planta não causará reações graves. A seiva da planta contém uma substância chamada furocoumarina que, quando combinada com a luz solar, causa uma reação fototóxica na pele chamada fitofotodermatite. Cegueira permanente pode ocorrer se a seiva entrar em contato com os olhos.

Os sintomas se desenvolvem e pioram ao longo dos dias antes de melhorarem, resultando em sensibilidade prolongada à luz solar.

A planta também pode impactar espécies nativas. Com sua altura e robustez, a planta apresenta um topo largo que faz sombra na vegetação abaixo dela. Isso pode evitar o crescimento da vegetação rasteira nativa e resulta em solo mais instável que sofre erosão mais facilmente durante o inverno.

Caso você entre em contato com a seiva da Heracleum mantegazzianum, especialistas aconselham que você lave imediatamente a área afetada, fique longe do sol e busque atendimento médico.

ver galeria
Continuar a Ler