Como as emissões de gases de efeito estufa dos aviões afetam a qualidade do ar?

As emissões dos aviões causam 16 mil mortes prematuras por ano devido ao seu impacto na qualidade do ar.

Avião de transporte Ilyushin 76 estacionado no aeroporto de Kalma, na Rússia.

Foto de Arthur Mebius
Por Cristina Crespo Garay
Publicado 19 de out. de 2022 11:22 BRT

A expansão do setor de aviação tem efeitos na qualidade do ar duas vezes mais em comparação aos efeitos climáticos. Assim conclui uma nova pesquisa do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), que estudou o impacto dos aviões na qualidade do ar e no clima de acordo com suas emissões, altitude e localização.

Publicado na revista científica Environmental Research Letters, esse novo estudo afirma que “as emissões da aviação civil comercial contribuem de forma cada vez mais significativa para as mudanças climáticas antropogênicas”, acrescentando ainda que “as emissões de dióxido de carbono (CO2) atribuíveis à aviação aumentaram em média 2,6% por ano nos últimos 25 anos (de acordo com dados de 2017 da Agência Internacional de Energia), e estima-se que a aviação comercial já responda por cerca de 5% da sobrecarga global do clima”.

As emissões dos aviões se formam principalmente pelo dióxido de carbono (CO2), óxidos de nitrogênio (NOx) e esteiras de condensação. “Os resultados indicam ainda que “90% dos impactos globais por unidade de consumo de combustível são atribuíveis às emissões de navios de cruzeiro” e que 64% de todos esses danos resultam de impactos na qualidade do ar. Além disso, “os óxidos de nitrogênio, o dióxido de carbono e as esteiras de condensação, juntos, são responsáveis por 97% do impacto total”.

A qualidade do ar diante do crescimento do tráfego aéreo global

Atualmente, projeta-se que o transporte de passageiros no setor aéreo aumentará a um ritmo de 4,7% por ano, segundo a Organização da Aviação Civil Internacional. Para compensar essas emissões, as novas aeronaves devem atender a taxas de emissão abaixo de 45% da média atual para nitrogênio, assim como 10% para dióxido de carbono.

Nesse sentido, esse artigo apresenta o primeiro conjunto de métricas para o impacto das emissões tanto no clima quanto na qualidade do ar, expondo soluções para compensar estimativas futuras. De acordo com a pesquisa, “embora os estudos anteriores sejam valiosos para entender os mecanismos do impacto das emissões, essas análises não possibilitam avaliações consistentes das compensações das emissões da aviação considerando os impactos tanto no clima como na qualidade do ar”.

Europa é a principal emissora que gera impacto

“Nossos resultados mostram que três componentes são responsáveis por 97% dos danos climáticos e da qualidade do ar por unidade de consumo de combustível da aviação: os impactos na qualidade do ar por NOx correspondem a 58%, os de CO2 são responsáveis por 25% e os das esteiras de condensação equivalem a 14%”, diz Sebastian Eastham, pesquisador do estudo, em declarações à Eurekalert. Além disso, um dos demais resultados derivados do estudo é que o maior impacto é causado pelas emissões que ocorrem na Europa.

“É importante levar em consideração que a grande maioria, na realidade cerca de 86%, dos impactos por NOx na qualidade do ar se deve às emissões de navios de cruzeiro em comparação com a decolagem e o pouso de uma aeronave”, afirma. “As emissões de NOx dos navios de cruzeiro, as emissões de CO2 e as esteiras de condensação são, portanto, os principais alvos para as estratégias futuras a fim de reduzir os impactos atmosféricos das emissões decorrentes da aviação.”

Os danos ao clima e à qualidade do ar consequentes do crescimento anual do tráfego aéreo poderiam ser compensados com a substituição de, em média, 12% da frota por aviões novos. “Essa porcentagem pode ser menor se os aviões mais antigos e mais poluentes forem substituídos antes e se forem considerados os efeitos adicionais ao clima e à qualidade do ar a partir das reduções em outros tipos de emissões”, afirma o estudo.

Dessa forma, na ausência de mais estudos sobre esse impacto ambiental, essa análise detalhada pode ajudar a tomar decisões sobre políticas, procedimentos operacionais e novas tecnologias, podendo tornar o setor de aviação mais sustentável em nível global.

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Meio Ambiente
O que é a biodiversidade e como preservá-la?
Meio Ambiente
Pequenas hidrelétricas na Amazônia são insustentáveis, ineficientes e quase sempre injustificáveis
Meio Ambiente
Poluição invisível nas águas amazônicas ameaça populações e biodiversidade
Meio Ambiente
Flor nunca antes documentada desabrocha em uma das árvores mais raras do mundo
Meio Ambiente
Descubra como o café pode acelerar a recuperação de florestas

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados