Viagem

10 maneiras de ver o mundo através de uma bolha de vidro

Seja por conforto, segurança ou praticidade, você pode escolher observar a natureza desta forma e vivenciar momentos e experiências inesquecíveis. Terça-feira, 8 Maio

Por Bob Cooper

Normalmente, é melhor observar a natureza sem filtros, sem nada entre você e as árvores, abelhas e a brisa. Mas às vezes, seja por conforto, segurança ou praticidade, é melhor optar pela segunda melhor opção: observar o mundo natural através de uma parede ou bolha de vidro como proteção. É uma grande emoção observar tubarões a centímetros de distância em um túnel de vidro subaquático, e é um refúgio aconchegante observar a Aurora Boreal na Finlândia de uma cama king size em um “iglu” aquecido de vidro. Nestas 10 experiências de viagem, o vidro acrescenta um toque de classe.

Hospede-se em iglus

Saunas privadas e janelas do chão ao teto são características das suítes do Snowman World Glass Resort, na Aldeia do Papai Noel. Pisos aquecidos e tetos de vidro térmico lhe aquecerão nos Arctic SnowHotel & Glass Igloos. E no Northern Lights Village você verá um cercado de renas ao lado das cabines de teto envidraçado. Estas são apenas algumas das hospedagens em “iglus” que podem ser encontradas na região da Lapónia, no norte da Finlândia, que permitem aos hóspedes admirarem a Aurora Boreal em requinte aquecido.

Pausa para o fundo do mar

Os dois túneis subaquáticos, com um total de 90 metros de extensão, são as atrações principais do Aquarium of the Bay, no Pier 39, em San Francisco. Neles, você poderá caminhar sob enormes piscinas de água salgada banhadas pela baía e recheadas de esturjões, arraias-morcego e diversas espécies de tubarão, incluindo o cação-bruxa, o maior predador da Baía de São Francisco. Eles passam a centímetros de distância, na altura dos olhos e por cima de nossas cabeças.

Que subida!

No livro Charlie and the Great Glass Elevator, continuação do clássico infantil A Fantástica Fábrica de Chocolate, o elevador acidentalmente vai parar no espaço. O Elevador de Bailong, construído ao lado de um enorme pilar rochoso no sul da China, no Parque Florestal Nacional de Zhangjiajie, não chega tão longe, mas com 334 metros de altura, é quase tão alto quanto o Empire State Building. O passeio de 66 segundos é curto, mas memorável, subindo alto sobre o cânion.

Não olhe para baixo!

O Parque Florestal Nacional de Zhangjiajie não é lar apenas do já mencionado elevador de vidro mais alto do mundo, mas também de seu companheiro horizontal, a maior ponte de vidro do mundo. Concluída em 2016, a Ponte de Vidro de Zhangjiajie tem 430 metros de extensão e 300 metros de altura, disparando o coração de muitos visitantes, como pode ser visto neste vídeo. Acrofóbicos também devem querer evitar o Grand Canyon Skywalk, uma passarela de vidro em formato de ferradura que se estende por 21 metros sobre os 1.200 metros de profundidade do cânion.

Aninhe-se no céu

O Skylodge Adventure Suites confirma o significado da expressão “nas alturas”. Cada cápsula, totalmente fechada em vidro, fica pendurada à beira de um penhasco com vista para o Vale Sagrado de Cusco, no Peru. É necessária uma intensa caminhada com tirolesas ou uma escalada em Via Ferrata para chegar a estas acomodações elevadas, mas seu guia o recompensará com um jantar gourmet e vinho antes de deixá-lo sozinho com seus vizinhos condores.

Passeando de helicóptero

A melhor vista aérea de muitas belezas naturais é a partir de um helicóptero, com grandes janelas dianteiras e laterais que proporcionam aos passageiros imagens aéreas dignas do Instagram. Passeios de helicóptero são oferecidos em muitos parques nacionais, incluindo o Grand Canyon, Glacier, Yellowstone e Vulcões do Havaí. Os preços variam consideravelmente, com um voo de 15 minutos sobre o Parque Nacional Torres del Paine, no Chile, custando 285 dólares, enquanto um voo curto com vista para as Great Smoky Mountains custa apenas 29 dólares.

Domos ferroviários

Tetos abobadados em vagões de trem estão se tornando tão comuns quanto perucas em políticos. Enquanto a peruca foi feita para cobrir um domo careca, estes vagões ampliam a visão dos passageiros. Dois trens da Alaska Railroad incluem vagões com tetos abobadados de vidro, quatro rotas ferroviárias da Rocky Mountaineer contam com vagões com domos panorâmicos para o prazer dos passageiros em rotas cênicas pelo oeste do Canadá, e quatro rotas da Via Rail Canada também contam com vagões panorâmicos.

Quartos-Bolha

Quartos em bolha agradam os viajantes minimalistas e aventureiros. Estes quartos são redondos: observe as estrelas deitado em sua cama dentro de uma bolha quase transparente posicionada sobre uma plataforma baixa. A maioria deles fica localizada em florestas, o que garante a privacidade. Este tipo peculiar de acomodação pode ser encontrado no Attrap’Rêves, no interior da França próximo a Marseilles, no Finn Lough, no interior do norte da Irlanda, e em outros lugares da Europa.

Barcos com teto de vidro

Fazer um passeio de barco no calor infernal, na chuva ou no frio não é nada divertido, e nem se refugiar na cabine do barco, onde você perderá a vista. A solução são barcos climatizados e envidraçados, que se multiplicaram nos rios de cidades como Chicago, Paris, Copenhague, Singapura e Estrasburgo. Ainda melhor, o barco com teto de vidro que corre o Rio Neckar, em Heidelberg, é movido a energia solar, o que garante um passeio silencioso e livre de emissões de carbono.

Submarinos com fundo de vidro

Barcos, submarinos, embarcações semissubmersíveis e até caiaques com o fundo de vidro fazem com que você entre no mundo das criaturas marinhas sem precisar de equipamento, ou até mesmo se molhar. A maioria dos passeios em embarcações na Grande Barreira de Coral, como o Quicksilver Mini-Subs, que parte de um pontão, foi elaborada para uma visão máxima dos peixes tropicais através de grandes janelas. Submarinos no Havaí e caiaques transparentes na Nova Zelândia são outras duas maneiras de ver a vida marinha de perto.

Continuar a Ler