Animais

Conheça o inseto que se blinda com conchas

A mosca-d’água é um dos muitos insetos que ficam inventivos na hora de se protegerem de predadores. Sexta-feira, 29 Junho

Por Liz Langley

Entendemos a regra dos super-heróis “sem capas” – mas e os escudos?

Muitos insetos sabem do poder dessa elegante forma de proteção. Por exemplo, as larvas da mosca-d’água, que às vezes têm apenas 25mm comprimento, podem ser os menores artesãos do mundo.

Esses insetos aquáticos, encontrados em todo o mundo, excretam uma seda pegajosa de suas bocas e a usam para construir uma carapaça dura a partir de objetos em seu hábitat, que inclui pedras, folhas e conchas.

Os materiais e formatos variam de acordo com as espécies e formatos de corpo, diz Kate Boersma, entomóloga da Universidade de San Diego.

Alguns fazem tubos longos e achatados “que parecem sacos de dormir, e outros fazem couraças em espiral que se parecem com conchas de caracóis”, ela diz.

Essas couraças protegem-nos de predadores, então “eles podem sair por aí como pequenos aspiradores de pó sem se preocuparem em serem comidos”, diz Boersma.

As larvas da mosca-d’água passam até dois anos dentro de suas carapaças antes de se tornarem adultas. Não é de admirar – elas são tão bonitas que alguns artistas as coletam e transformam as carapaças descartadas em joias.

Jequitirinaboias

O que parece uma cabeça em formato de amendoim nessas jequitiranaboias de florestas tropicais americanas e caribenhas é, na realidade, uma protuberância oca que protege a cabeça de verdade.

Também chamadas de cobras-voadoras, as jequitiranaboias têm muitas defesas para parar o inimigo, que é um lagarto que come insetos, diz Jo-Anne Sewlal, entomóloga da Universidade das Índias Ocidentais.

Por exemplo, o inseto tem enormes manchas em formatos de olhos para parecer maior, um elemento químico com cheiro desagradável é liberado se ele for ameaçado e, finalmente, têm aquela cabeça oca que um predador pode morder ao invés da cabeça real, ela diz.

Besouro-de-ouro

Larvas de besouro-de-ouro têm um apêndice posterior chamado garfo anal que elas penduram sobre si como um toldo. Nessa superfície, elas acumulam fezes, seus antigos exoesqueletos ou ambos, dependendo da espécie. Este chamado “escudo fecal” é desconcertante para os predadores.

“As larvas estão alertas e respondem rapidamente” às ​​ameaças, diz Caroline Chaboo, entomóloga da Universidade de Nebraska, em Lincoln, que descreveu as defesas exclusivas desses besouros em um estudo de 2011.

Quando um predador se aproxima, as larvas do besouro-de-ouro se juntam em um círculo defensivo, “como uma junta de bisões em um anel”, diz Chaboo.

Os insetos “orientam-se com a cabeça para o centro e a extremidade traseira para fora”, ela diz. “Eles podem flexionar seus corpos em uníssono, agitando os escudos ao mesmo tempo” para o inimigo.

Tal como acontece com o bisão, os filhotes de besouro ficam no centro do anel, e as mães reúnem os filhotes perdidos dentro da concavidade.

“É realmente muito fofo”, diz Chaboo, acrescentando que elas são mães “impressionantes”.

Barbeiro

Os barbeiros, que vivem em todo o mundo, injetam suas presas de insetos com agentes paralisantes e enzimas digestivas, preparando para si uma deliciosa vitamina de inseto.

Mas eventualmente eles se confrontam com a questão que assola a maioria dos assassinos – o que fazer com o corpo?

O barbeiro usa os cadáveres de suas vítimas sobre as costas, de forma que funcionam tanto como escudo quanto como camuflagem.

Maria-fedida

Encontrados em todo o globo, esses insetos têm escutelo desproporcional (a partir da palavra latina scutum, que significa escudo). Essa estrutura, que cobre o abdômen e o tórax, protege seus corpos de predadores.

As marias-fedidas também são conhecidas como percevejo-da-soja e têm aspecto furta-cor, como o besouro arlequim-da-mata e besouro arco-íris. As cores provavelmente alertam os predadores de que o inseto não é lá muito saboroso.

Continuar a Ler