Viagem a Marte: SpaceX Starship planeja se mudar devido a controvérsias ambientais

A instalação conhecida como Starbase tornou-se objeto de acalorado debate entre autoridades estaduais e regionais, ambientalistas, moradores locais e devotos da SpaceX com grandes visões de viver no planeta vermelho.

Por Joe Pappalardo
Publicado 30 de jun. de 2022 14:54 BRT
Starship Serial Number 20 e Super Heavy Booster 4 são vistos na base da SpaceX, na ...

Starship Serial Number 20 e Super Heavy Booster 4 são vistos na base da SpaceX, na praia de Boca Chica, Texas.

Foto de John Kraus Polaris Program (272195)

A SpaceX superou outro obstáculo em sua busca para lançar seu Starship, o foguete mais poderoso do mundo, quando a Administração Federal de Aviação (FAA, em inglês) concedeu aprovação ambiental para lançamentos orbitais em uma base no sul do Texas. A decisão, anunciada em 13 de junho, após meses de atraso e debate, requer várias ações para aliviar o impacto nas praias públicas e na vida selvagem ao redor do espaçoporto privado da SpaceX, na praia de Boca Chica, 32 quilômetros a leste de Brownsville, Texas. Mas a decisão ainda representa uma vitória para a empresa espacial de Elon Musk, que poderia ter sido obrigada a concluir uma Declaração de Impacto Ambiental muito mais abrangente e longa antes que qualquer lançamento orbital ocorresse.

Apesar da aprovação condicional da SpaceX, que ainda precisa de licença de lançamento para voos orbitais, o futuro do complexo de foguetes na praia de Boca Chica é menos certo do que parece. A instalação conhecida como Starbase tornou-se objeto de acalorado debate entre autoridades estaduais e regionais – que veem o local como uma oportunidade de desenvolvimento econômico – ambientalistas, que estão preocupados com os impactos em ecossistemas frágeis, e moradores, cuja comunidade foi transformada. Entre eles, estão os devotos da SpaceX com grandes visões de viver em Marte.

O Super Heavy Booster 4, da SpaceX, é transportado em direção à torre de lançamento na Starbase na praia de Boca Chica, Texas.

Foto de SpaceX

Enquanto o debate continua, Musk disse que a SpaceX planeja finalmente transferir as operações da Starship para o Centro Espacial Kennedy, da Nasa, na Flórida, onde a empresa está construindo uma nova torre de lançamento e já possui todas as licenças necessárias para lançamentos orbitais. O local do sul do Texas provavelmente será mantido como um centro de pesquisa e desenvolvimento, mas à medida que a Starship se tornar operacional, haverá menos necessidade de um programa de testes na praia de Boca Chica.

A SpaceX pode ter vencido a batalha para lançar voos de teste da Starship a partir da Starbase, mas durante a luta, o Texas pode ter perdido sua reivindicação sobre futuros voos históricos para Marte. Para realizar voos orbitais da Starship do Texas, que envolveriam o lançamento de um foguete maior que o Saturn V, que levou os astronautas à lua, a empresa precisaria cumprir 75 novas disposições. 

Isso inclui limites no fechamento de estradas e a criação de corredores de vida selvagem, bem como outros requisitos menos convencionais, como a preparação de “um relatório de contexto histórico… da Guerra Mexicana”, antes que a SpaceX obtenha a licença final da FAA para lançar seu megafoguete. O documento cobre apenas dez lançamentos por ano – cinco suborbitais e cinco orbitais – um limite que a empresa poderia facilmente atingir quando a Starship começar a voar. Aumentando a pressão no Texas estão ações legais de grupos ambientalistas, uma ação movida e pelo menos outra em preparação.

Starship Serial Number 20 e Super Heavy Booster 4 são vistos na SpaceX Starbase em 9 de fevereiro de 2022. O foguete completo será maior e mais poderoso que o Saturn V, que levou astronautas à Lua.

Foto de John Kraus

“É um déjà vu de novo”, diz Jim Chapman, membro do conselho do grupo ambiental local SaveRGV, que está processando o estado do Texas pelo espaçoporto de Boca Chica. Chapman diz que a SpaceX não foi obrigada a aderir às medidas de mitigação quando iniciou os testes de voo do estágio superior menor da nave estelar, e ele está cético de que a FAA cumprirá totalmente os requisitos para o lançamento do impulsionador Super Heavy. “Não vejo como alguma coisa mudou”, destaca.

Para outros, os limites impostos à SpaceX e os comentários de Musk que sugerem que a empresa poderia finalmente transferir as operações de lançamento para a Flórida representam uma oportunidade de colocar em prática as viagens da humanidade ao sistema solar.

“Todo mundo aqui, em Brownsville e todo o vale, esperava ver que este seria o Portal para Marte”, diz Louis Baldera, morador local que opera o site de streaming LabPadre, que mantém câmeras apontadas para a SpaceX e oferece comentários ao vivo durante os horários de pico de atividade. “No que diz respeito a qualquer coisa sendo lançada diretamente ao espaço para a Lua ou Marte, é mais do que provável que não aconteça aqui. Acho que isso vai incomodar algumas pessoas”, acredita.

Fim de festa

O futuro precário da Starbase foi revelado pela primeira vez durante uma reunião organizada por Musk, em 10 de fevereiro. Sob um foguete Starship de 400 pés de altura totalmente montado, Musk subiu ao palco e mostrou um vídeo de um lançamento simulado na praia de Boca Chica, levando humanos do Texas para o planeta vermelho.

O local do sul do Texas parecia pronto para abrir caminho para Marte. Então Musk respondeu a uma pergunta de um repórter sobre a construção de um novo local de lançamento pela SpaceX no Centro Espacial Kennedy. Musk, desajeitadamente franco, abordou “o futuro papel da Starbase”. 

“Acho que é adequado para ser nosso local avançado de P&D. Então, é como onde vamos experimentar novos designs e novas versões do foguete”, explicou. Repórteres trocaram olhares e moradores se mexeram desconfortavelmente enquanto Musk continuou: “Acho que Kennedy será nosso principal local de lançamento operacional”.

Os piores temores dos entusiastas do sul do Texas foram expressos. “Eu não conhecia nenhum desses planos de antemão”, diz Jessica Tetreau, comissária da cidade de Brownsville e defensora apaixonada da SpaceX, que estava na multidão naquela noite. “Fico feliz que alguém tenha feito essa pergunta, que nos possibilitou muitas informações. O que nos surpreendeu foi quando ouvimos a linha do tempo e como eles teriam que começar a mudar as coisas para a Flórida. Sabíamos que tínhamos de trabalhar muito mais e muito mais rápido para mostrar que a Starship pertence ao sul do Texas”, complementa.

Para Dale Ketcham, vice-presidente de relações governamentais da Space Florida, a agência de desenvolvimento aeroespacial do estado, as palavras de Musk vieram como uma confirmação bem-vinda de que a SpaceX finalmente planejava mudar as operações da Starship para a costa atlântica do estado. “Acho que havia um certo grau de nervosismo por parte da Flórida, vendo a Starbase crescer e crescer”, admite Ketcham. “Mas sempre nos disseram que os testes seriam no Texas e as [operações de voo] seriam na Flórida.”

Mesmo assim, a ideia de que a praia de Boca Chica se tornaria a porta de entrada para Marte está associada ao local desde a sua criação. Na inauguração do espaço, em 2014, Musk mencionou o espaçoporto como um lugar onde a história seria feita.

“Pode muito bem a [nave com a] primeira pessoa a ir para outro planeta ser lançada a partir deste local”, destacou Musk. “Este será realmente um novo tipo de espaçoporto otimizado para operações comerciais”, acrescentou.

Em dezembro de 2020, após o voo em alta altitude e o pouso forçado de um protótipo chamado SN8, ele tuitou: “Obrigado, sul do Texas pelo seu apoio! Esta é a porta de entrada para Marte”.

Se a SpaceX rebaixar seu espaçoporto no Texas para uma instalação de pesquisa, um benefício econômico permanecerá a partir da demanda por trabalhadores qualificados. Mas há cerca de 1.600 funcionários nas instalações da Starbase, e alguns dos empregos podem ser transferidos para o Centro Espacial Kennedy.

“Em 2013, fomos nomeados pelo Censo dos EUA como a cidade mais pobre do país e, ironicamente, foi o mesmo ano em que a SpaceX selecionou este local para o próximo local de lançamento”, lembra Tetreau. “Realmente parece destino, como algo que sempre deveria acontecer, como eles sempre deveriam vir aqui e nos salvar dessa situação. E eles absolutamente o fizeram… ​​Eu só espero que possamos continuar com esse impulso e não perder nenhum emprego para a Flórida ou ter que realocar qualquer uma dessas famílias.”

Veja protótipo de espaçonave da SpaceX decolar e explodir durante o pouso
Em 9 de dezembro de 2020, o protótipo Serial Number 8 (SN8) decolou no Texas e explodiu pouco tempo tempo depois, ao aterrisar. Mesmo assim, o experimento foi considerado um enorme sucesso.

Obstáculos da fábrica de foguetes

Ao longo de 2021, os políticos debateram os benefícios do complexo de lançamento, os advogados duelaram sobre os regulamentos e os ambientalistas levantaram preocupações sobre como a gigantesca fábrica de foguetes e o crescente local de lançamento afetariam a vida selvagem. Durante todo o tempo, a SpaceX construiu obstinadamente uma elaborada plataforma de lançamento em Boca Chica, incluindo uma torre de lançamento de 146 metros de altura. 

Musk apelidou a torre de Mechazilla devido a dois braços robóticos robustos que a empresa planeja usar para pegar os propulsores gigantes quando eles pousam no mesmo bloco de onde foram lançados. “Pronto para voar em menos de uma hora”, ele tuitou.

Uma mudança ocorreu em abril de 2021, quando a Nasa concedeu à SpaceX 2,89 bilhões de dólares para desenvolver uma versão da Starship para usar como veículo de pouso lunar durante o primeiro retorno tripulado à Lua, como parte do programa Artemis. O foguete do Sistema de Lançamento Espacial da Nasa e a cápsula Orion levarão os astronautas à órbita lunar, onde embarcarão em um veículo Starship que os levará à superfície.

Esse papel da Nasa empurrou as operações da Starship para o Centro Espacial Kennedy, na Flórida, lar das operações de voos espaciais tripulados da Nasa desde que começaram. O trabalho por lá aumentou durante a certificação da FAA na praia de Boca Chica. As três primeiras partes de outra torre de lançamento Mechazilla foram levantadas e outras três estão prontas para instalação. 

Surgiram tendas que espelham as do Texas, onde as naves estelares são construídas. E assim como no sul do Texas, foi estabelecida uma “fábrica estelar” maciça e permanente para construir ainda mais foguetes.

Musk sempre teve planos de desenvolver um local de lançamento da Starbase na Flórida, mas quando a SpaceX decide fazer algo, a repercussão (negativa ou não) se espalha rapidamente. “Eles começaram a trabalhar no Pad 39 há três anos, mas apenas nos últimos nove meses começaram a acelerar”, destaca Ketcham.

Além das declarações públicas de Musk, a SpaceX não comentou sobre o futuro das operações da Starship. A empresa recusou um pedido de comentário para esta matéria. Um tweet no feed da SpaceX foi o único comentário oficial sobre a recente decisão da FAA: “Um passo mais perto do lançamento orbital”, diz a publicação.

Mas a construção renovada na Flórida fala por si. “Não sou de dizer que sei quais eram os planos de Elon; eles são maravilhosamente opacos como corporação”, destaca Ketchum. “Tenho certeza de que o contrato de aterrissagem e os desafios com a avaliação ambiental na Starbase tiveram algo a ver com isso”, complementa.

A SpaceX não é conhecida por sua paciência. Durante o evento público em fevereiro, Musk alertou que os atrasos da FAA poderiam levar ao primeiro voo orbital da Starship fora do Texas. "Temos a alternativa do Cabo", disse Musk à multidão, referindo-se ao Centro Espacial Kennedy. "Na verdade, solicitamos a aprovação ambiental para o lançamento no Cabo há alguns anos e a recebemos." Ele acrescentou que levaria apenas até o outono de 2022 para preparar o local para um lançamento orbital.

Isso pode ser excessivamente otimista, como tendem a ser as previsões de Musk. O complexo da SpaceX no Centro Espacial Kennedy é o único local de lançamento da cápsula Crew Dragon, que é a única espaçonave atualmente disponível para levar astronautas à Estação Espacial Internacional. Isso torna a plataforma de lançamento um ativo nacional, e não algo para ser usado para voos experimentais. A ideia de testar um impulsionador maciço na mesma plataforma de lançamento está dando alguma pausa aos oficiais da Nasa e da Força Espacial, dados os resultados explosivos de outros testes iniciais da SpaceX.

“Eles explodiram muitas naves estelares no Texas”, diz Ketchum. "E explodir coisas – ou 'desmontagens rápidas não planejadas' – você pode fazê-las no Texas, mas os vizinhos ficam meio exigentes com isso no Cabo", explica.

Isso pode preservar a Starbase como um local para criar o sistema de lançamento, com falhas e tudo, enquanto a Flórida é constantemente desenvolvida para operações de missão mais seguras.

“Acho que todos gostariam de ver a SpaceX continuar desenvolvendo o Starship, e quanto mais cedo melhor”, diz Ketchum. “A Flórida está confiante de que teremos muito trabalho, independentemente de quantos testes forem feitos no Texas.”

Portos espaciais flutuantes

À medida que a Flórida se torna um novo centro de naves estelares, os obstáculos que a SpaceX enfrenta em Boca Chica estão se acumulando. Nem todo mundo está entusiasmado com o fato de a região ser relegada a local de incêndios.

A avaliação ambiental da FAA incluiu feedback negativo não apenas de moradores locais, mas de agências federais, incluindo o Serviço de Pesca e Vida Selvagem (FWS, na sigla em inglês) dos EUA. Documentos obtidos pela rede de televisão CNBC mostraram que o FWS encontrou um declínio na população de tarambolas, aves ameaçadas de extinção, ao redor da Starbase e citou danos potenciais a outras aves limícolas e tartarugas marinhas caso o espaçoporto se expanda. As descobertas provavelmente alimentarão desafios legais de ambientalistas. Em maio, o Sierra Club e a Tribo Carrizo/Comecrudo do Texas anunciaram que estavam entrando com uma ação judicial iniciada pelo grupo local SaveRGV.

O processo, aberto em outubro de 2021, não é contra a SpaceX, mas contra o Texas General Land Office, seu comissário George P. Bush e o Condado de Cameron por permitir que a empresa feche a praia pública para testes. As autoridades do Texas, ao atrair a SpaceX para construir um porto espacial em 2013, alteraram a Lei de Praias Abertas do estado para permitir atividades de voo espacial. O grupo ambientalista alega que a emenda viola a constituição estadual.

“Nossa posição, desde o primeiro dia, é de que a expansão do projeto SpaceX tem enormes consequências ambientais”, reclama Chapman. O processo busca forçar a SpaceX a realizar uma Declaração de Impacto Ambiental abrangente, que provavelmente levaria mais de um ano para ser concluída.

A reação já está surtindo efeito à medida que a SpaceX reduz suas ambições no Texas. A empresa enviou sua proposta mais recente para a instalação de Boca Chica à FAA em setembro de 2021. Naquela época, ela disse que queria construir uma usina de energia, instalações de processamento de gás natural e infraestrutura para garantir água doce à plataforma de lançamento, que seria utilizada para apagar incêndios.

Mas a FAA diz que a SpaceX removeu seu pedido para construir parte dessa infraestrutura, incluindo uma usina de dessalinização, sistema de pré-tratamento de gás natural e usina, “em resposta a comentários públicos e de agências”. Alguns desses projetos são opcionais – a usina de dessalinização pode ser substituída por caminhões-pipa – mas a perda dessas instalações reduz a utilidade da Starbase como centro de voo orbital.

Além da plataforma de lançamento na Flórida, a SpaceX pode tentar realizar lançamentos offshore no Golfo do México. No Porto de Pascagoula, no Mississippi, duas plataformas de petróleo de propriedade da SpaceX, chamadas Phobos e Deimos, em homenagem às luas de Marte, estão sendo convertidas em plataformas de lançamento de naves estelares. Elas podem hospedar os testes de lançamento arriscados que o Centro Espacial Kennedy não pode suportar.

"Com o tempo, acho que haverá portos espaciais flutuantes", disse Musk, em fevereiro. “Temos essas duas plataformas de petróleo convertidas que serão transformadas em locais de lançamento orbital, e podem ser movidas ao redor do mundo.”

Idealisticamente, Musk prevê mil naves estelares deixando a Terra a cada dois anos, quando o planeta tiver encontros próximos com Marte, para facilitar a primeira migração permanente da humanidade para outro planeta. Com tal cadência, Texas, Flórida, plataformas offshore e outros lugares podem ser necessários para realmente colonizar o planeta vermelho.

Joe Pappalardo é jornalista baseado no Texas e cobre tecnologia aeroespacial e história do sudoeste americano. Ele é o autor de Red Sky Morning: The Epic True Story of Texas Ranger Company F e Spaceport Earth: The Reinvention of Spaceflight .

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Ciência
Como a corrida espacial lançou uma era de exploração para além da Terra
Ciência
Pedaço desgovernado de um foguete caiu na Lua
Ciência
À espera da missão mais importante, jipe-robô avança ligeiro em Marte
Ciência
Primeira mulher negra a pilotar nave espacial relata sua jornada no espaço
Ciência
Sonda de Marte coleta primeira amostra de rocha, passo crucial para busca de vida extraterrestre

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados