Uma nova vida para os resíduos plásticos – e para os trabalhadores

Reciclagem que Transforma é um programa que muda vidas e o gerenciamento de resíduos.

sexta-feira, 20 de março de 2020,
Por Conteúdo em parceria com DOW
Cooperados organizam material da coleta seletiva na Coopersonhos, em Nova Odessa (SP).
Cooperados organizam material da coleta seletiva na Coopersonhos, em Nova Odessa (SP).

Este conteúdo é trazido a você por nosso parceiro. Ele não necessariamente reflete a visão da National Geographic ou de sua equipe.

Reciclagem que transforma
Reciclar o lixo não apenas promove a economia circular – também recupera vidas.

Uma mãe que sustenta os cinco membros de sua família apenas com seu salário. Um sem-teto comparecendo a seu primeiro emprego. Um ex-presidiário recém-libertado, pronto para uma chance de recomeçar. Reciclagem que Transforma é uma iniciativa da Dow que quer mudar a vida dessas pessoas – e o futuro do gerenciamento de resíduos na América Latina.

As cooperativas de catadores no Brasil são responsáveis por separar o lixo e vendê-lo para empresas de reciclagem. Todos os lucros dessas vendas são igualmente divididos entre os trabalhadores cooperados. Conforme as cooperativas têm sucesso ou fracassam, o mesmo acontece com trabalhadores, suas famílias e comunidades.

Cooperada sorri enquanto realiza triagem de materiais recicláveis na Coopersonhos, em Nova Odessa (SP).

Financiado pela Dow, o programa Reciclagem que Transforma permite que a startup Boomera e a ONG Fundación Avina tragam qualificação, equipamento, gestão e profissionalismo aprimorados para cooperativas e trabalhadores. Meses depois do lançamento do programa na maior produtora de resíduos do Brasil, a cidade de São Paulo, a produtividade cresceu 70%, as vendas aumentaram 50% e os salários médios mensais subiram acima do salário mínimo.

As cinco cooperativas selecionadas para testar o programa empregam 214 trabalhadores, mas beneficiam também, pelo menos mais 450 familiares que dependem desses trabalhadores. À medida que as cooperativas se profissionalizam, os trabalhadores adquirem um novo senso de dignidade e orgulho do papel que desempenham na ampla cadeia de gerenciamento de resíduos. Com essa nova mentalidade, eles veem seu trabalho como uma carreira com valor social real.

Panorama geral do galpão da Cooperativa Central Tietê, em São Paulo (SP), antes das intervenções do projeto.

“Graças à cooperativa, pude fazer faculdade e dar esperança aos outros. Eu sou exemplo de como eles podem mudar de vida.”

por Telines Basílio
Presidente da Cooperativa Coopercaps

A iniciativa também cria um suprimento de melhor qualidade para a produção de resina plástica reciclada pós-consumo. Isso possibilita um maior fluxo de vendas para as cooperativas e se conecta a um modelo de economia circular no qual os resíduos plásticos são reciclados e reutilizados repetidamente, sem nunca chegar ao meio ambiente.

Os líderes preveem que muito mais ainda está por vir. Conforme novos equipamentos e processos forem implementados na íntegra, a produção pode dobrar. Em última instância, o programa visa criar um modelo aberto que possa ser replicado em outras cooperativas – dando uma nova vida ao lixo, às famílias e a ambientes ameaçados no Brasil e na América Latina.

Funcionários da Dow conduzem testes laboratoriais de reciclagem de plástico no centro de inovação da empresa, em Jundiaí (SP).

NÃO DEIXE VIRAR LIXO

Os resíduos plásticos não devem estar presentes no meio ambiente nem nos aterros sanitários. Novas opções inovadoras de coleta, conceitos de reutilização, tecnologias de reciclagem e programas de limpeza estão fazendo a diferença em todo o mundo – e provando que o plástico é valioso demais para virar lixo.

Funcionário da Dow segura protótipo de garrafa plástica produzida a partir de material reciclado.
Continuar a Ler