Animais

Cães terapeutas fazem milagres. Mas será que gostam do trabalho?

Novo estudo examinou os níveis de estresse desses cachorros trabalhadores e obteve resultados positivos. Sexta-feira, 4 Maio

Por Linda Lombardi

Se você é um amante de cachorros, apenas a presença de seu cão já lhe faz bem.

Não é nenhuma novidade que os cães terapeutas são excelentes companhias para pessoas sofrendo de câncer, transtorno do estresse pós-traumático e demência.

Existem mais de 50 mil cães terapeutas nos Estados Unidos, e eles estão se tornando cada vez mais populares, da Noruega ao Brasil. Treinados e certificados por uma variedade de instituições, esses cães e seus cuidadores frequentam hospitais e outros estabelecimentos para interagir com os pacientes.

Pesquisas confirmam que os benefícios da terapia com animais são reais – mas o que os cães pensam sobre isso? A ciência também pensou nessa questão e os resultados são confortantes.

Um recente estudo da Applied Animal Behaviour Science relata que os cães terapeutas nas enfermarias de câncer pediátrico não se estressam com seu “trabalho”, e na verdade parecem se divertir na maioria das vezes.

“O que tornou esse estudo único é que ele foi conduzido em vários locais – cinco hospitais diferentes pelo país – e o fato de termos visitado mais de cem pacientes, e termos 26 cachorros participando, fez dele o maior estudo desse tipo neste campo,” diz a líder do estudo, Amy McCullough, diretora nacional de pesquisa e terapia na American Humane, organização de bem estar animal em Washington, DC.

"Trabalhando pra cachorro"

Os pesquisadores mediram níveis de cortisol, o hormônio que se eleva em situações de estresse, na saliva dos cães. As amostras foram coletadas tanto em casa quanto nas sessões de terapia no hospital.

Entretanto, os níveis de cortisol podem subir tanto com estresse bom quanto com ruim. “Suponha que um cachorro adore brincar de bola – quando a bola é lançada e ele começa a persegui-la, isso elevaria os níveis de cortisol de forma positiva,” disse McCullough.

A equipe filmou e analisou o comportamento de 26 cães em três categorias: ações amigáveis, como se aproximar de uma pessoa ou brincar; estresse moderado, como se lamber e sacudir; e estresse elevado, como chorar. (Leia mais sobre o porquê de os cachorros serem tão amigáveis).

Os cientistas não encontraram nenhuma diferença entre os níveis de cortisol em casa e no hospital, uma evidência de que cães terapeutas não estavam estressados.

Tornando o trabalho divertido

A descoberta é consistente com pesquisas anteriores, de acordo com Lisa Maria Glenk, autora de uma revisão de 2017 na literatura sobre o bem estar dos cães terapeutas.

O bem conduzido estudo é valioso pelo seu nível de detalhes: “Estudos anteriores forneciam informação limitada ou nenhuma informação durante as sessões de terapia, o que tornava difícil identificar o que exatamente causa estresse nos cachorros,” diz Glenk, da Universidade de Medicina Veterinária de Viena.

A outra questão é se os cães terapeutas realmente gostam de seu trabalho, ela diz – e o novo estudo sobre câncer pediátrico, dá algumas pistas. (Por que seu cão come cocô e outros hábitos estranhos explicados.)

Por exemplo, os cães pareciam mais felizes durante algumas atividades do que em outras; uma criança conversando ou brincando com seus brinquedos, gerava mais respostas amigáveis do que quando a criança o escovava ou desenhava.

Olhando para os resultados, “é seguro dizer que algumas atividades são mais divertidas para o cachorro,” aponta McCullough.

“Essa é uma boa informação para os cuidadores – eles podem direcionar as atividades para as quais os cães gostem mais.”

Encontrando o cão ideal

Encontrar o cão ideal requer uma observação minuciosa, mesmo que os cães pareçam inconsistentes às vezes. O estudo mostrou que os cachorros que apresentavam mais sinais de estresse também mostravam mais sinais amigáveis, o que sugere que alguns cães são mais transparentes em relação aos seus sentimentos.

Como em qualquer outro trabalho, é importante encontrar os candidatos certos, McCullough diz. Muitas pessoas querem transformar seus cachorros em cães terapeutas, “mas isso não significa que ele seja apto ao trabalho.”

Os treinadores e certificadores, assim como os donos, precisam procurar por entusiasmo, não apenas tolerância.

“O cachorro solicita atenção, ou precisa ser estimulado a interagir?” ela pergunta.

“É preciso que seja uma interação benéfica mútua quando eles estão com o cliente, é realmente importante que o cachorro goste de seu trabalho.”

Continuar a Ler