Animais

Aranhas dão as sobras dos alimentos para plantas carnívoras

Algumas plantas carnívoras com jarros encontradas no sudeste da Ásia abrigam uma aliada de oito patas, sendo mutuamente benéfico.Sunday, December 23, 2018

Por Joshua Rapp Learn
As plantas de jarro do gênero Nepenthes são carnívoras e possuem uma interessante relação de simbiose com aranhas-caranguejos.

DIVERSOS TIPOS DE aranhas fazem suas casas em plantas carnívoras com jarros encontradas no sudeste da Ásia, roubando presas aprisionadas dentro delas. Surpreendentemente, novas pesquisas demonstram que o roubo beneficia a ambas as parceiras.

“Descobrimos que os jarros que continham aranhas-caranguejos capturavam quantidades significativamente maiores de certos tipos de presas, especialmente grandes presas voadoras”, afirma Weng Ngai Lam, pesquisador de pós-doutorado de ecologia da Universidade Nacional de Singapura e um dos coautores de dois recentes estudos.

Além da dieta normal de água e luz solar, essas plantas carnívoras complementam sua dieta atraindo insetos ao néctar das bordas externas do jarro utilizando artifícios visuais e químicos. Essas superfícies podem ser escorregadias, sobretudo quando está chovendo, levando os insetos a caírem jarro abaixo—onde líquidos digestivos os dissolvem.

Uma fêmea adulta da aranha-caranguejo Thomisus nepenthiphilus aguarda a visita de insetos na boca de um jarro da Nepenthes gracilis, seus membros anteriores bem abertos em uma postura típica de emboscada.

Emboscada!

Aranhas-caranguejos amarelas (Thomisus nepenthiphilus) e vermelhas (Misumenops nepenthicola) associaram-se a essa armadilha e criaram uma estratégia para tirar proveito nutricional das plantas pendurando-se dentro dos jarros à espera de insetos. Quando os insetos são atraídos para perto da armadilha, as aranhas-caranguejos escondidas emboscam as presas—as aranhas-caranguejos vermelhas menores, às vezes, derrubam as presas maiores diretamente no líquido. Ambas as espécies de aranhas conseguem se desvencilhar do líquido com ajuda da seda, acrescenta ele.

Lam e seus coautores queriam descobrir o que significava essa relação para as plantas carnívoras de jarro. No primeiro estudo, publicado recentemente na revista científica Oecologia, eles conduziram experimentos de laboratório utilizando a Nepenthes gracilis e os dois diferentes tipos de aranhas-caranguejos. Eles puseram moscas sarcofagídeas, um inseto apavorante que introduz larvas em carne morta ou feridas em decomposição, em gaiolas com plantas carnívoras de jarro equipadas com a aranha.

As moscas sarcofagídeas são relativamente difíceis de capturar para o jarro, mas não com as aranhas-caranguejos esperando em uma emboscada. Depois que as aranhas se saciaram, elas derrubaram as carcaças restantes no líquido para os jarros acabarem com elas. Os pesquisadores descobriram que as plantas com aranhas obtinham mais carcaças de insetos que aquelas sem aranhas.

No último estudo, publicado no periódico Journal of Animal Ecology, Lam e seus coautores levaram o experimento para a natureza. Eles encontraram plantas carnívoras de jarro com e sem aranhas e observaram que tipo e quantidade de presas as plantas conseguiam apanhar. Eles confirmaram que, embora as aranhas possam de fato roubar alguns dos nutrientes obtidos pelas plantas comendo partes das presas, elas aumentam o total de alimento emboscando insetos que a planta normalmente não atrairia.

Esse tipo de roubo pode realmente beneficiar as plantas–é uma espécie de troca,” explica Lam.

Um par perfeito

Ellen Welti, pesquisadora de pós-doutorado de biologia da Universidade de Oklahoma que não participou da pesquisa de Lam, afirma que o trabalho é empolgante.

Uma Misumenops nepenthicola, a aranha-caranguejo vermelha, em um jarro de Nepenthes gracilis, esperando para apanhar alguma presa.

“Ele mostra a complexidade de como relações entre espécies podem mudar de mais antagonistas a mutualistas”, esclarece ela, acrescentando que aranhas-caranguejos “possuem um histórico evolucionário muito intrincado com flores”.

Welti conta que outras pesquisas mostram que algumas espécies próximas de aranhas-caranguejos podem ajudar a atrair insetos para as flores, possivelmente imitando as cores visíveis aos polinizadores que elas predam, tornando essas flores mais atraentes que as outras sem aranhas. E algumas delas (não carnívoras) provavelmente se beneficiam com a proximidade com os aracnídeos.

pesquisa dela mostra que pelo menos algumas aranhas-caranguejos podem de fato melhorar a polinização dessas flores. "Temos um resultado muito animador de que, quando presentes as aranhas-caranguejos nas flores, as flores eram visitadas por mais indivíduos de todas as espécies”, afirma.

Outro estudo recente mostra que certas plantas podem até enviar sinais de socorro quando atacadas por insetos herbívoros como lagartas ou besouros. As aranhas-caranguejos conseguem captar esses sinais e atacar e comer os invasores, beneficiando assim as flores.

Pegando um ladrão

Além de receber ajuda para conseguir as refeições, as plantas carnívoras de jarro também podem ser bons locais para se viver.

“O jarro é um ambiente muito seguro para a aranha porque é protegido dos predadores. Eles ficam fora do alcance da visão de diversas vespas parasitoides que geralmente caçam as aranhas”, conta ele.

Entretanto nada na vida é garantido—Lam afirma que também encontraram várias carcaças de aranhas-caranguejos dissolvidas nos jarros. Seja porque as aranhas sucumbiram aos perigos de seu lar ou por simplesmente terem morrido naturalmente antes de cair, as aranhas-caranguejos às vezes fazem o sacrifício derradeiro por suas companheiras de refeições.

Continuar a Ler