Quais são os escorpiões mais perigosos da América do Sul

Saiba onde esses artrópodes podem ser encontrados, o perigo de seu veneno e como reagir a uma picada de escorpião.

Escorpiões de cauda gorda (Buthidae: Tytius sp.) são venenosos e algumas espécies são muito perigosas. o veneno de algumas espécies pode causar doenças graves e até a morte em alguns casos. Escorpiões são comumente encontrados à noite e sua presença na floresta é sempre motivo de extremo cuidado dos biólogos.

Foto de Pedro Peloso
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 6 de jan. de 2023 16:55 BRT

Os escorpiões são animais artrópodes que pertencem ao grupo dos aracnídeos, se configurando em uma espécie de “parentes próximos” das aranhas, como informa o Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (Inta) da Argentina. No Brasil, segundo o Instituto Butantan (entidade brasileira referência quando o assunto são espécies venenosas), os escorpiões são o principal grupo responsável por acidentes dentre os animais peçonhentos.

Apesar de pertencerem ao mesmo grupo, o que diferencia uma aranha de um escorpião é a composição corporal: neles, o abdome é dividido em duas partes chamadas de pré-abdome e pós-abdome. 

É nesta segunda que parte se encontra a cauda do escorpião, responsável por injetar o veneno que ele carrega em um glândula, como informa o site da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição brasileira de pesquisa e desenvolvimento em ciências biológicas vinculada ao Ministério da Saúde.

Todos os escorpiões são venenosos? 

Conforme o site do Instituto Butantan, existem mais de duas mil espécies de escorpiões registradas em todo o mundo. Destas, 172 vivem no Brasil. A Fiocruz reforça que todas as espécies de escorpiões são venenosas, e que a maioria das picadas produzem nos seres humanos uma reação semelhante à da ferroada de uma abelha.

Ou seja, a picada é bastante dolorosa, mas geralmente não oferece perigo de morte para pessoas adultas. Já para os insetos, que são alimentos em potencial desses animais, todas as espécies de escorpiões são mortalmente venenosas, como afirma a Fiocruz.

Escorpião laranja em uma superfície laranja. Grand Canyon, Arizona.

Foto de Michael Nichols

Qual é o escorpião mais venenoso da América do Sul

A espécie Tityus Serrulatus, conhecida como escorpião-amarelo, é considerada a mais venenosa da América do Sul e é causadora de acidentes graves para os seres humanos, de acordo com a Fiocruz. Ele pode medir até 7 centímetros de comprimento e seu corpo apresenta o tronco escuro, enquanto as patas, pedipalpos e cauda são amarelos. O quarto anel da cauda possui “dentinhos” formando uma serra. 

A Fiocruz alerta que o Tityus Serrulatus pode ser encontrado principalmente no Brasil, nos estados da Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.

(Você pode estar interessado em: Os segredos dos insetos: por que eles são vitais para o planeta e como impedir que desapareçam)

Os escorpiões mais perigosos da América do Sul

Conforme o Ministério de Saúde Pública da Argentina, os escorpiões de maior importância sanitária da América do Sul por seu grau de periculosidade pertencem todos ao gênero Tityus. Dele, são encontradas várias espécies em países como Argentina, Brasil e Colômbia.

Além do escorpião-amarelo, considerado o mais conhecido e mortal da região,  quatro espécies do gênero Tityus merecem cuidado por conta de seu veneno:

  • Tityus bahiensis: conhecido como escorpião-marrom, apresenta coloração marrom, sendo o tronco escuro, pernas e palpos com manchas escuras e a cauda em tom marrom-avermelhado. Não possui serrilha na cauda, e o animal adulto mede cerca de 7 cm. O macho também possui pedipalpos volumosos com um vão arredondado entre os dedos, conforme o Instituto Butantan.
     
  • Tityus stigmurus: também chamado de escorpião-amarelo-do-Nordeste no Brasil, conta com coloração amarelo-claro, segundo o Butantan. É semelhante ao Tityus Serrulatus nos hábitos e na coloração, mas apresenta um triângulo negro na cabeça e uma faixa longitudinal mediana e manchas laterais no tronco. Ele também possui serrilha, porém, menos acentuada, nos terceiro e quarto anéis da cauda.
     
  • Tityus obscurus ou Tityus cambridgei: na fase adulta, esse animal possui coloração negra, por vezes avermelhada, podendo chegar a 9 centímetros de comprimento, na definição do Butantan. Quando jovem, a coloração do corpo e os apêndices são castanhos, podendo ser confundidos com outras espécies da região amazônica.
     
  • Tityus trivittatus: a Fiocruz o descreve como uma espécie de cor amarelo-escura, com três faixas longitudinais quase negras, podendo haver pequenas variações na cor. Atinge cerca de 7 centímetros de tamanho.

Como agir diante da picada de um escorpião

Assim que uma pessoa receber uma ferroada de escorpião, o Instituto Butantan recomenda que a vítima lave o local da picada com água e sabão, além de aplicar compressa morna antes de ir até o hospital.

A dor é o principal sintoma e surge poucos minutos após a picada, estando presente na maioria dos casos. Em seguida, deve-se procurar orientação médica. No atendimento hospitalar, a conduta dependerá das manifestações clínicas. O tratamento com antiveneno não é usado em todos os casos e não se recomenda nenhum tipo de tratamento caseiro para esses casos, reforçam as informações do Butantan.
 

Como se prevenir de acidentes com escorpiões

O número de acidentes com escorpiões geralmente aumenta no verão, diz o Instituto Butantan. Para evitar essas ocorrências, a instituição sugere uma série de medidas que ajudam na prevenção:

  1. Não acumular lixo ou entulho em casa.
  2. Limpar terrenos baldios.
  3. Vedar soleiras de portas e janelas, frestas e buracos nas paredes.
  4. Colocar telas em ralos.
  5. Sacudir roupas e sapatos antes de usá-los.
  6. Não colocar a mão em buracos, pedras e troncos.
  7. Usar calçados e luvas grossas nas atividades de jardinagem.
Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Animais
5 fatos que você não sabia sobre as borboletas
Animais
Os segredos dos insetos: por que eles são vitais para o planeta e como impedir que desapareçam
Animais
Qual o animal mais letal aos seres humanos?
Animais
Abelhas: por que são importantes e como podemos evitar seu desaparecimento
Animais
Qual é a diferença entre o guepardo e o leopardo?

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados