SpaceX prestes a fazer história com missão tripulada à Estação Espacial Internacional

O lançamento da Demo-2, com os astronautas da Nasa Doug Hurley e Bob Behnken a bordo, seria realizado nessa quarta (27/05), mas foi adiado para o próximo sábado devido ao mau tempo.

Wednesday, May 27, 2020,
Por Nadia Drake
O braço de acesso da tripulação é posicionado para a espaçonave SpaceX Crew Dragon e o ...

O braço de acesso da tripulação é posicionado para a espaçonave SpaceX Crew Dragon e o foguete Falcon 9 em 21 de maio de 2020, enquanto os preparativos para a missão Demo-2 continuam no Centro Espacial John F. Kennedy da Nasa, na Flórida.

Foto de Bill Ingalls, NASA
Nota do editor: esta reportagem sofreu alterações devido ao adiamento do lançamento.

A SpaceX está prestes a iniciar uma nova era nos voos espaciais tripulados. Planejado para essa quarta-feira (27/05), mas adiado para o próximo sábado (30/05) devido ao mau tempo, a cápsula Crew Dragon levará dois astronautas da Nasa para a Estação Espacial Internacional (EEI). O voo de teste chamado Demo-2, com lançamento programado para 16h22 (horário de Brasília) do dia 30, marca a primeira vez, em quase uma década, que uma viagem espacial tripulada decola de uma plataforma de lançamento nos Estados Unidos — e a primeira vez que uma empresa privada de voos espaciais utiliza seu próprio projeto de foguete e espaçonave para lançar humanos à órbita.

“Há anos a SpaceX atua como uma ótima parceira da Nasa, inclusive no reabastecimento da Estação Espacial Internacional e, em breve, no fornecimento de tripulação,” contou Jim Bridenstine, administrador da Nasa, recentemente durante um telefonema com repórteres. “Esse é um momento muito fascinante.”

Devido à atual pandemia da covid-19, a Nasa pede aos espectadores que fiquem em casa e assistam ao evento remotamente. O lançamento, com os astronautas da Nasa Doug Hurley e Bob Behnken, será transmitido ao vivo pela Nasa e pela SpaceX a partir das 16h.

Como todos os lançamentos ao espaço, a decolagem pode atrasar por questões climáticas ou problemas mecânicos. Se a primeira tentativa de lançamento em 27 de maio for suspensa, as datas adicionais planejadas para a missão são 30 de maio, 31 de maio e 1º de junho.

Dois veteranos espaciais retornam à EEI

A missão Demo-2 está programada para decolar do Complexo de Lançamento 39A do Centro Espacial John F. Kennedy — o mesmo local na Flórida que sediou o Apollo 11 e o STS-135, o último voo de um ônibus espacial. No entanto, a missão representa uma nova maneira de levar os humanos à órbita, na qual agências, incluindo a Nasa, compram viagens de empresas privadas.

Para os astronautas Hurley, 53 anos, e Behnken, 49 anos, o voo Demo-2 também apresenta uma rara oportunidade: serem os primeiros a voar em um novo tipo de espaçonave. Behnken e Hurley foram especificamente selecionados para o programa de tripulação comercial da Nasa em 2015. Ambos são ex-pilotos de teste militares — Hurley na Marinha e Behnken na Aeronáutica. Além disso, os dois também são casados com astronautas e são colegas desde que ingressaram na Nasa em 2000, como parte do Grupo 18 de Astronautas.

Chris Ferguson (à direita) e Doug Hurley, astronautas da Nasa, posam para uma foto no centro de comando do ônibus espacial Atlantis durante o treinamento para a missão STS-135 no Centro Espacial John F. Kennedy da Nasa, na Flórida, em 7 de abril de 2011.

Foto de Smiley N. Pool, NASA Photo/Houston Chronicle

“Ter a oportunidade de voar em uma espaçonave totalmente nova é o sonho de todo aspirante a piloto de teste, e tenho a sorte de viver essa experiência juntamente com um bom amigo meu,” Behnken falou recentemente em uma coletiva de imprensa com Hurley.

Os dois astronautas ajudaram, em missões anteriores, a enviar à órbita partes da EEI, incluindo módulos com sistemas de suporte à vida e laboratórios de ciências, assim como um robô de reparos com dois braços chamado Dextre. Mas o Demo-2 representa apenas a quinta vez na história dos Estados Unidos em que astronautas serão lançados em um veículo novinho em folha. “O mesmo aconteceu em Mercury, Gemini, Apollo e também com os ônibus espaciais. Agora será com um foguete SpaceX Falcon 9 e a cápsula Crew Dragon,” explicou Bridenstine.

Durante um telefonema com repórteres, os astronautas descreveram como foi o trabalho com a SpaceX na projeção e aprimoramento do interior elegante da Crew Dragon — que conta com painéis de controle com tela sensível ao toque em vez de joysticks, botões e interruptores que cobriam cada centímetro da cabine de comando do ônibus espacial.

Veterano de dois voos em ônibus espaciais e seis caminhadas pelo espaço, Behnken será responsável pelo encontro, acoplagem e desacoplagem da Crew Dragon com a EEI. Hurley, comandante da missão Demo-2, pilotou dois ônibus espaciais, incluindo o último que foi lançado, STS-135, em julho de 2011.

 “Fui um dos quatro astronautas que pousaram aqui [no Centro Espacial John F. Kennedy] há quase nove anos… no encerramento do programa de ônibus espaciais,” contou Hurley após chegar ao centro espacial na quarta-feira. “Eu me sinto muito honrado em estar aqui para dar início ao próximo lançamento dos Estados Unidos.”

Lançamento do ônibus espacial Atlantis no Complexo de Lançamento 39A em 8 de julho de 2011, no Centro Espacial John F. Kennedy da Nasa, na Flórida. O lançamento do Atlantis, STS-135, foi uma missão de 12 dias à Estação Espacial Internacional e o último voo do programa de ônibus espaciais.

Foto de Bill Ingalls, NASA

Uma estadia peculiar a bordo da estação espacial

Após o encerramento da era dos ônibus espaciais, a Nasa desenvolveu parcerias com empresas privadas de voos espaciais para lançar astronautas à EEI, e a agência começou a comprar assentos em espaçonaves russas até que os veículos comerciais dos Estados Unidos estivessem prontos para voar. Em 2014, a Nasa contratou duas empresas para projetar, construir e lançar espaçonaves em órbita terrestre baixa: A Boeing, com um contrato avaliado em US$ 4,2 bilhões , e a SpaceX, com um contrato de US$ 2,6 bilhões .

“De fato, este é o próximo grande passo na comercialização da órbita terrestre baixa, com uma economia verdadeiramente essencial nessa área e na qual a Nasa é uma entre diversos clientes,” afirma Kirk Shireman, gerente do programa da EEI da Nasa. “Este lançamento é o próximo passo para aumentar a presença dos Estados Unidos, e também de humanos a bordo do laboratório.”

O lançamento da próxima semana é o segundo voo de demonstração da espaçonave Crew Dragon da SpaceX. Em março de 2019, durante o primeiro voo de teste orbital do veículo, uma cápsula sem astronautas a bordo embarcou brevemente na EEI e depois retornou à Terra, caindo no Oceano Atlântico. Na próxima semana, Behnken e Hurley viajarão em outra Crew Dragon até a estação espacial.

Uma vez na EEI, os dois astronautas permanecerão por um período indeterminado de tempo, entre um mês e 110 dias, para ajudar os três astronautas já a bordo com pesquisas científicas. O astronauta da Nasa, Chris Cassidy, está atualmente a bordo da EEI, juntamente com os cosmonautas russos Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner, aguardando a chegada de Hurley e Behnken. Quando a Crew Dragon retornar à Terra com os astronautas do Demo-2, ele descerá de paraquedas no Oceano Atlântico próximo à cidade de Cabo Canaveral.

“Meu coração está aqui,” disse Gwynne Shotwell, presidente e diretora de operações da SpaceX, apontando para a garganta durante uma entrevista coletiva antes do lançamento. “Acho que vai continuar aqui até que Bob e Doug voltem em segurança da Estação Espacial Internacional.”

Hurley, comandante da missão, disse que está ansioso para revisitar a estação orbital que ajudou a construir — e um ponto em particular: a cúpula, um módulo observatório com painéis de vidro que oferece amplas e inspiradoras vistas da Terra por cima.

Continuar a Ler