Cultura

Dois jornalistas ligados à National Geographic são esfaqueados no Gabão

O agressor teria dito que o ato era uma retaliação ao plano dos Estados Unidos de mudar sua embaixada israelense para Jerusalém.Wednesday, December 20, 2017

Por National Geographic Staff
Policiais chegam a um mercado artesanal em 17 de dezembro de 2017, em Libreville, no Gabão. Dois jornalistas dinamarqueses foram feridos em um ataque com faca na cidade no último sábado.

Dois jornalistas dinamarqueses que trabalharam para a National Geographic foram esfaqueados no Gabão no sábado, em ataque que deixou uma das vítimas em estado crítico, de acordo com relatos da imprensa.

O esfaqueamento ocorreu na capital do país, Libreville, de acordo com a Associated Press, que relatou que o agressor foi imediatamente preso.

O infrator disse à polícia que agia "em retaliação aos ataques dos Estados Unidos contra muçulmanos e o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel", disse o Ministro da Defesa do Gabão, Etienne Massard Kabinda Makaga, de acordo com os relatórios de imprensa.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou recentemente um plano para mudar a embaixada americana em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, um movimento altamente controverso. 

O Ministro da Defesa do Gabão disse que o agressor é um cidadão nigeriano de 53 anos que vive no Gabão há 19.

A National Geographic não divulgará os nomes dos jornalistas por motivos de segurança.

"Estamos profundamente entristecidos pela confirmação dos relatórios de que dois cidadãos dinamarqueses atacados horrivelmente no Gabão são membros da família National Geographic", disse a National Geographic em um comunicado. "Estamos em contato direto com as vítimas e a empresa de produção dinamarquesa com quem estavam em missão, e nosso principal objetivo é apoiar sua recuperação e retorno seguro à Dinamarca".

Jornalistas e bolsistas da National Geo.vilgraphic são ativos no Gabão há muitos anos, uma nação da África Ocidental conhecida pelos diversos animais selvagens que habitam suas florestas tropicais e águas costeiras. Jornalistas não tem sido, historicamente, alvos de violência no Gabão, que tem uma sociedade religiosa diversa com uma minoria muçulmana.

Continuar a Ler