Imagens incríveis revelam o brilho invisível das flores

A luz ultravioleta revela cores extraordinárias e brilhos inacreditáveis em plantas aparentemente normais.

Por Austa Somvichian-Clausen
fotografias de Craig P. Burrows
Publicado 26 de fev. de 2018 11:55 BRT, Atualizado 5 de nov. de 2020 03:22 BRT

Dê uma olhada em algumas das flores fotografadas por Craig Burrows e você vai pensar que foi transportado para o mundo alienígena de Pandora do filme Avatar, de James Cameron. As pétalas brilhantemente pigmentadas contrastam com um fundo preto, pois as manchas de luz, como brilhos ou vaga-lumes, espalham-se pelas flores.

É difícil de acreditar, mas o trabalho de Burrow não é ficção – é ciência.

Para capturar essas imagens do outro mundo, ele usa uma técnica chamada fotografia de fluorescência visível induzida por ultravioleta, ou UVIVF. O processo usa luz ultravioleta para fazer com que as substâncias brilhem, de modo que a luz que está sendo impressa esteja sendo irradiada do próprio objeto. Simplificando: funciona da mesma forma como a sua camiseta branca que brilha em uma boate.

"Definitivamente não é um tipo de fotografia fácil", diz Burrows. Normalmente, ele monta o objeto floral em um suporte de metal e usa um disparador remoto para conseguir uma exposição de 10 a 20 segundos – e prende a respiração enquanto o obturador está aberto. Até o menor distúrbio no ar ou a queda de uma pétala pode resultar em um borrão de movimento.

A natureza complicada do método de Burrows é o que torna essas flores um objeto fantástico a ser fotografado. "Elas não podem fugir", brinca Burrows. Embora ele diga que um dos usos mais conhecidos da UVIVF é detectar aracnídeos, principalmente escorpiões. Seu próximo objetivo é trabalhar com fotografia de cenas completas ao invés de objetos separados.

Embora o resultado seja sempre imprevisível, ele descobriu que as flores compostas, como margaridas e girassóis, geralmente apresentam a maior fluorescência de pólen. Uma das maiores surpresas que encontrou ao fotografar flores foi descobrir que a flor de pepino emite um brilho laranja e azul com pólen muito brilhante. Burrows diz que ele coleta seus espécimes ao percorrer seu bairro, inspecionando flores com uma luz portátil e arrumando objetos promissores.

Muitos objetos naturais, desde rochas e minerais até corais e crustáceos fluorescem sob luz ultravioleta, embora sua função exata na natureza ainda não tenha sido suficientemente estudada. Pesquisadores sugeriram que há uma correlação entre as áreas escuras de flores são utilizadas para guiar polinizadores, mas isso não foi comprovado.

Burrows foi abordado por feiras de ciência para exibir suas fotografias e também foi convidado a participar de um programa de fotografia forense usando o UVIVF. Ele acredita que o verdadeiro benefício de sua fotografia, porém, é despertar o interesse das pessoas a aprender sobre os processos físicos que permitem que as fotos sejam tiradas.

"A fotografia refletida de ultravioleta e infravermelho revela segredos que não podemos ver, mas, no entanto, são muito importantes na natureza", diz Burrows. "Eu acho que é importante que essas coisas nos lembrem de continuar explorando e procurando coisas que são ignoradas ou não observadas."

Você pode ver mais do trabalho de Craig Burrows em seu website e no Instagram.

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Fotografia
Na Ilha dos Daltônicos, o paraíso tem um tom diferente
Fotografia
Emma Watson escolhe suas fotos da National Geographic favoritas
Fotografia
A vida das garotas criadas como meninos no Afeganistão
Fotografia
Fotos revelam as vidas isoladas dos reclusos sociais do Japão
Animais
Fotos encantadoras buscam suavizar a imagem dos pitbulls

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados