História

Antiga 'obra-prima' grega é encontrada em pedra preciosa minúscula

Os deslumbrantes detalhes da cena estão gravados com precisão incrível e representam um guerreiro vitorioso em combate. Quarta-feira, 8 Novembro

Por Sarah Gibbens

Uma impressionante obra de arte gravada em uma pedra preciosa de 3,8 cm foi revelada depois que pesquisadores removeram camadas de calcário e sujeira de milhares de anos.

A equipe de pesquisadores encontrou o objeto há dois anos, mas pensava se tratar apenas uma pequena pedra. Ela estava no meio de uma coleção de 1.400 artefatos desenterrados do túmulo de um guerreiro da Idade do Bronze, com 3.500 anos de idade, no sudoeste da Grécia. A pedra, que os pesquisadores nomearam "Ágata de Combate de Pilos", teria sido usada como uma pequena joia, segundo Shari Stocker, um dos líderes da escavação.

O túmulo em si foi uma descoberta notável quando os pesquisadores o encontraram em 2015. Ele abrigava o esqueleto bem preservado do "Guerreiro do Grifo." Ele foi enterrado com uma condecoração que descrevia uma criatura chamada grifo, com cabeça e asas de águia e corpo de leão. Entre as riquezas funerárias encontradas com o Guerreiro do Grifo, havia uma coleção de anéis dourados e uma espada de bronze. A pedra preciosa foi coletada, mas colocada de lado e sua arte só foi revelada após uma limpeza rotineira de artefatos.

Os pesquisadores da Universidade de Cincinnati levaram quase um ano para limpar o artefato antes que pudessem ver os intrincados detalhes esculpidos na superfície. Detalhes sobre a pedra preciosa e os artefatos encontrados no túmulo foram publicados no periódico Hesperia.

"É tão emocionante observar. Quase sempre a reação é de choro", disse Stocker.

CENA VIOLENTA

A gravura em detalhes só pode ser facilmente vista com uma lente de câmera fotomicroscópica. Alguns dos detalhes esculpidos na pedra têm apenas meio milímetro. Uma lupa pode ter sido usada para criar os detalhes na pedra, mas, de acordo com Stocker, nunca nenhum tipo de ferramenta de ampliação desse período foi encontrada.

"Eles são incompreensivelmente pequenos", disse Jack Davis, professor da Universidade de Cincinnati, em um comunicado para a imprensa.

Em entrevista, Davis explicou ainda que obras de arte feitas com tal detalhe não seriam vistas por mais mil anos.

"[Outras obras de arte] têm tanta semelhança quanto um desenho animado do Mickey Mouse em comparação com Michelangelo", disse ele.

A cena representa um guerreiro vitorioso que, depois de superar o primeiro oponente, levanta sua espada para enfiar no pescoço de outro inimigo. Músculos podem ser vistos nos corpos esculpidos na pedra.

Tem toda a grandiosidade das cenas dos épicos gregos A Ilíada e A Odisseia.

O túmulo em que a pedra foi encontrada está localizado na península do Peloponeso, em Pilos. Na Odisséia, poema épico de Homero, o lugar é o mesmo onde existiu o palácio do rei Nestor, disse Andrew Lawler à National Geographic no ano passado. O que, exatamente, a gravura delicada retrata é um mistério. Pesquisadores não têm pistas suficientes para vincular a descrição às tradições orais que mais tarde inspirariam Homero em 700 a.C. Mas Stocker e outros pesquisadores acreditam que ela provavelmente descreve uma lenda bem conhecida na época.

TÚMULO DE SURPRESAS

De acordo com os pesquisadores, a complexidade das gravuras força os historiadores a repensarem o calibre da arte sendo feita nesse período. Nunca foram encontradas gravuras tão detalhadas das civilizações egeias.

O Guerreiro do Grifo foi enterrado por volta de 1450 a.C, em um momento politicamente tumultuado da Grécia antiga. É amplamente aceito que os gregos do continente, os micênicos, conquistaram pessoas na ilha de Creta, os minoicos. A arte minoica teve grande influência no continente grego e muitos dos artefatos minoicos desse período podem ter sido importados ou roubados.

Quanta influência os minoicos exerceram na Grécia continental é objeto de debate. O túmulo do Guerreiro do Grifo, sugerem os pesquisadores, revela alto nível de intercâmbio cultural. A identidade do guerreiro ainda não é conhecida. O número de artefatos minoicos em seu túmulo indica que ele pode ter sido um membro da elite minoica ou um micênico cativado pela cultura minoica.

Continuar a Ler