História

Vestido estiloso, com pregas e decote V, é o mais antigo do mundo

Peça egípcia de 5 mil anos dá ideia de como era a moda há muito, muito, muito tempo.

Por Traci Watson
Fotos de Museu Petrie de Arqueologia Egípcia, Londres.

Existe o vintage e existe o realmente vintage.

Novos testes mostram que um vestido de linho retirado de uma tumba egípcia tem mais de 5 mil anos, o que faz dele a mais antiga peça feminina já encontrada. Bem costurada e pregueada, a roupa mostra a complexidade e riqueza da sociedade antiga que a produziu.

Conhecida como ‘vestido Tarkhan’, a peça é um achado extremamente raro. Poucas foram os exemplares de vestuário de longa data, produzidos com fibras vegetais ou peles de animais, que não se desintegraram. Os têxteis de sítios arqueológicos têm no máximo 2 mil anos, diz Alice Stevenson (em inglês), curadora do Museu Petrie de Arqueologia Egípcia de Londres e autora de um novo estudo sobre a idade do vestido, publicado pela revista especializada Antiquity (em inglês).

Podemos contar nos dedos as roupas de idades semelhantes que resistiram até hoje. Elas eram enroladas no corpo, em contrapartida, o Tarkhan é uma peça da antiga alta-costura. Com suas mangas personalizadas, decote V e pregas estreitas, o vestido poderia ser vendido em uma moderna loja de departamentos.

Tais detalhes só seriam feitos por um profissional especializado. E pessoas desse tipo surgiram apenas em uma sociedade próspera e hierárquica, como as do Egito Antigo, de 5 mil anos atrás, quando o reino era unido sob um governante.

As pregas nos cotovelos e nas axilas também indicam que alguém usou o vestido. Não era apenas uma peça cerimonial.

Depois de passar cinco milênios em uma tumba no Egito, o vestido foi enviado ao Museu Petrie, por arqueólogos, no início do século 20. Mas estava entre vários trapos sujos e ignorados. Quando especialistas em conservação analisaram os tecidos em 1977, eles encontraram a peça. “Parece uma camisa esfarrapada, mas outras peças semelhantes de alguns séculos depois vão até o chão e, provavelmente, o vestido Tarkhan era mais longo” disse Stevenson.

Apenas um tecido superior poderia originar esse vestido. Lápides com aproximadamente a mesma idade da roupa mostram pessoas usando vestidos semelhantes, diz Jana Jones da Universidade de Macquarie, na Austrália. Os hieróglifos para "vestido" entram em uma lista com itens levados depois da morte, além de alimentos e cosméticos.

“Estou feliz que o vestido Tarkhan foi datado por radiocarbono com segurança e que a ciência identificou sua origem como a peça tecida mais antiga” diz Jones por e-mail.

Publicado originalmente em 18 de fevereiro de 2016.