Meio Ambiente

Tecnologia inovadora mantém frutas frescas por mais tempo

Cientistas criaram uma barreira invisível e comestível para atrasar a deterioração graças à redução da perda de umidade e da oxidação. Quinta-feira, 2 Novembro

Por Daniel Stone

Esta reportagem está na edição de novembro da revista National Geographic

Toda a fruta e toda a hortaliça respira. Mesmo depois de colhidas de uma árvore ou de um arbusto, elas continuam a respirar, amadurecendo aos poucos, até que começam a se desintegrar. Só então se instalam os micro-organismos que causam o seu apodrecimento. A refrigeração pode apenas atrasar esse processo.

Agora, cientistas estão convencidos de que encontraram uma maneira de fazer com que banana, abacate e outros frutos frescos durem até o dobro do tempo normal, exatamente por meio do adiamento desse processo de maturação. A Apeel, uma empresa da Califórnia, aperfeiçoou um método para extrair os lipídios de vários produtos agrícolas populares e transformá-los em pó. Dissolvidos na água e aplicados a frutos ou hortaliças, eles formam uma camada protetora comestível, que retém a umidade do fruto e impede a entrada de micro-organismos.

Os agricultores têm a opção de usar uma versão da fórmula nas plantações ou os distribuidores podem enxaguar com ela os produtos no momento da embalagem, ampliando o prazo de validade da fruta em dias ou até mesmo semanas.

Dar aos consumidores mais tempo para desfrutar dos produtos frescos é um dos objetivos. Mas a grande meta da Apeel é combater o desperdício e diminuir a quantidade de caminhões e navios refrigerados que se deslocam entre as áreas de produção e as de consumo para entregar alimentos em boas condições. “Dá para imaginar um mundo em que os produtos frescos vão estar sempre disponíveis, independentemente da estação”, diz James Rogers, presidente da Apeel.

Continuar a Ler