Qual é a altura do Monte Everest? Confira esse e outros fatos sobre a montanha

Para as comunidades indígenas do Nepal, esse local classificado como Patrimônio Mundial pela Unesco é o lar do Abominável Homem das Neves.

Alpinista desce em direção às nuvens de tempestade no Monte Everest.

Foto de Renan Ozturk
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 29 de mai. de 2023, 17:23 BRT

O Monte Everest (também conhecido como Monte Sagarmatha, em nepalês, e Chomolungma, na língua tibetana) é uma montanha localizada nos Himalaias, na Ásia. A Enciclopédia Britannica plataforma de ensino do Reino Unido), define a montanha como a fronteira natural que divide o Nepal do planalto tibetano, localizado na China. 

O imponente Monte Everest está a 8.848 metros acima do nível do mar e é considerado a maior montanha do mundo, de acordo com o site oficial do Parque Nacional Sagarmatha.

Parque Sagarmatha: um patrimônio mundial

Abrangendo um total de 124 mil e 400 hectares no distrito de Solukhumbu, no Nepal, o Parque Sagarmatha (que inclui o Everest) é considerado, desde 1979, como Patrimônio Mundial Natural pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (a Unesco). 

O Parque Sagarmatha é habitat de várias espécies animais raras, como o panda-vermelho (Ailurus fulgens) e o leopardo-das-neves (Panthera uncia). Ao mesmo tempo, mais de 20 assentamentos, com um total de 6 mil pessoas da etnia sherpa, estão localizados nos vales gelados do local, constituindo uma combinação de natureza e cultura dos povos nativos há quase quatro séculos. 

O que o Everest significa para a comunidade local

montanha mais alta do mundo é venerada pelos povos locais, designando assim um nome indígena para cada região que ocupa as suas cadeias montanhosas. Chomolungma, palavra tibetana, significa "deusa mãe do mundo", enquanto o sânscrito Sagarmatha, do Nepal, quer dizer "pico do céu". 

Os vales das montanhas são habitados por um povo de língua tibetana chamado sherpa, os guias dos Himalaias. Este povo chega a morar acima dos 4270 metros de altitude e leva um estilo de vida semi-nômade devido às possibilidades limitadas de se fixar num local e produzir os seus próprios alimentos.

Alpinistas sherpas no Seven Summits Trekking Camp realizam puja antes de escalar a cascata de gelo Khumbu no Nepal.

Foto de Aaron Huey

Os picos do Everest são venerados pelos sherpas porque, segundo a Britannica, eles acreditam que os seus deuses e demônios vivem no seu topo. Por esta razão, não escalam o monte. No entanto, constroem mosteiros budistas na base da montanha, colocam sinais de oração nas encostas e criam santuários para a vida selvagem. 

O mito do Abominável Homem das Neves nasceu no Monte Everest

De acordo com a Enciclopédia Britannica, os sherpas temiam uma criatura mítica semelhante a um macaco gigante e peludo que abrigava as encostas mais baixas dos Himalaias. 

Este animal fantástico, conhecido como o Abominável Homem das Neves ou "Yeti", é retratado numa série de filmes e animações. A Britannica relata que muitas das pegadas na neve atribuídas ao Yeti foram, na verdade, produzidas por pedaços de neve ou pedras que caíram de uma grande altura.

A enciclopédia também adverte que os ursos que vagueiam pela região colocam, muitas vezes, a pata traseira parcialmente sobre a dianteira, deixando uma pegada muito grande, sinal que era atribuído ao Yeti.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados