O que acontece se você dirigir para dentro de um tornado? Dê uma olhada.

Imagens aterrorizantes mostram um ciclone na Alemanha atravessando dois carros.quarta-feira, 30 de maio de 2018

Por Nick Lunn

Um clima ruim pode transformar qualquer viagem ao interior em uma experiência desagradável. Mas o que fazer quando você estiver passeando de carro e inesperadamente der de cara com um tornado?

Na semana passada, um ciclone atravessou a Alemanha ocidental, onde dois motoristas foram pegos na aterrorizante torre giratória de poeira e destroços. Como podemos ver no vídeo, os dois carros pararam lentamente e esperaram os ventos passarem. Neste caso, parece que os motoristas fizeram a coisa certa, devido a enganosa baixa intensidade da tempestade, afirmou o explorador da National Geographic e meteorologista, Anton Seimon.

“No momento do encontro com o carro, como visto no vídeo, o tornado, embora visualmente impressionante, estava provavelmente nos níveis mais baixos da escala de intensidade de tornados, com ventos na mesma velocidade, ou até abaixo, da intensidade de um furacão”, ou aproximadamente 120 quilômetros por hora, diz Seimon.

No entanto, em casos de tornados mais fortes, o melhor a fazer é tentar se afastar utilizando cruzamentos perpendiculares à trajetória esperada do ciclone. Caso não haja rotas de escape, a ação recomendada pode parecer contraintuitiva.

“Abandonar o veículo e deitar de barriga para baixo no lugar mais baixo possível, como uma vala de drenagem, é [recomendado] ao invés de tentar esperar o tornado passar dentro do veículo”, diz Seimon. Mesmo tornados relativamente fracos podem capotar veículos, e os mais fortes podem levantá-los no ar completamente, jogando-os a longas distâncias e causando ferimentos e até morte para os seus ocupantes.

O ciclone alemão atingiu diversas cidades, e pessoas que estavam em seu caminho relataram ferimentos. Enquanto a Europa apresenta em média menos tornados registrados por ano do que os Estados Unidos (300 contra 1,4 mil), eles não são uma ocorrência rara, e representam um perigo ainda pouco estudado e subestimado.

 “Não é atípico observar tornados mais fortes na Alemanha”, diz John Allen, professor auxiliar de meteorologia na Universidade Central de Michigan. “A Europa já vivenciou muitos tornados devastadores e fatais, os quais foram registrados extensivamente durante a história desde o século 17.”

Entre 1950 e 2015, tornados europeus resultaram em 316 mortes e 4.462 feridos. Apesar de seu histórico destrutivo, muitos fatores contribuíram para que os tornados europeus fossem pouco registrados, conforme mostra um estudo de 2017 da Sociedade Meteorológica Estadunidense. Isso inclui a falta de ferramentas de previsão, pouca conscientização pública e a ausência de bancos de dados para o rastreio de tornados em muitos países da região.

Esta habilidade insuficiente de registros resultou em uma visão pública americanizada dos tornados, incluindo alguns meteorologistas. Poucos serviços meteorológicos europeus emitem avisos de tornado.

Para ajudar a combater essa situação, os autores do estudo recomendam que os serviços meteorológicos europeus trabalhem em conjunto para ajudar a estabelecer um banco de dados de tornados unificado, aprimorar os sistemas de previsão e de avisos, e criar programas preparatórios e de resposta.

Continuar a Ler