Animais

Veja esta baleia morta sendo devorada por dois tubarões e um crocodilo

Dois predadores de topo de cadeia foram flagrados dividindo uma refeição na Austrália. Quinta-feira, 3 Maio

Até mesmo os mais temíveis predadores podem compartilhar a comida se houver o suficiente para todos.

Nas primeiras imagens deste tipo, um drone flagrou dois tubarões-tigre com três metros e um crocodilo de água salgada com quatro se alimentando de uma baleia morta. É também o primeiro registro conhecido do réptil comendo uma baleia.

Em setembro de 2017, uma empresa de fretamento encontrou uma carcaça de jubarte com 15 metros flutuando próximo a Kimberley, no oeste da Austrália. Um membro da equipe enviou um drone e postou o vídeo nas mídias sociais, onde o especialista em tubarões Austin Gallagher assistiu e soube imediatamente que havia encontrado algo único.

Uma baleia morta é um banquete para muitos animais marinhos, atraindo diversas espécies raramente encontradas juntas. É por isso que esses eventos podem ser úteis para os cientistas que coletam dados sobre o comportamento da vida selvagem, diz Gallagher, cientista-chefe e CEO da Beneath the Waves, uma ONG sem fins lucrativos com sede em Washington, D.C.

"O aspecto mais interessante dessa observação foi ver a sobreposição no tempo e no espaço entre tubarões-tigre e crocodilos de água salgada, dois predadores que raramente se encontram", diz Gallagher, que liderou um estudo sobre o fenômeno no Journal of Ethology.

O vídeo mostra que essas espécies podem buscar a mesma fonte de alimento ao mesmo tempo, sem enfrentamentos.

"Os animais parecem respeitar uns aos outros", diz Gallagher.

Comida em primeiro lugar

"Tubarões-tigres são conhecidos por serem altamente oportunistas, e o consumo de carcaças compõe uma boa parte de sua dieta", observa Antonella Preti, ecologista trófica do Centro de Pesquisas Pesqueiras do Sudoeste, na Califórnia, EUA.

Não se sabe muito sobre os hábitos alimentares dos crocodilos de água salgada.

Um motivo possível de não haver agressão entre as espécies é o tamanho da refeição: um animal de 20 toneladas é uma abundância de carne.

"Se houver uma grande fonte de alimento, um tubarão tentará obter o máximo que puder rapidamente antes de gastar energia no combate", diz Preti.

Gallagher também aponta que os tubarões no vídeo parecem já estar satisfeitos a ponto de exaustão. "Os tubarões só conseguem comer até certo limite antes de começarem a afundar."

Sorte na ciência

Embora muitas pesquisas biológicas dependam de modelos matemáticos, experimentos de laboratório e estatísticas sofisticadas, às vezes a sorte oferece uma janela para o mundo natural.

É por isso que o vídeo é um exemplo de como estar no lugar certo, na hora certa, para capturar um evento natural raro, acrescenta Gallagher. (Veja o que acontece quando um bebê hipopótamo brinca com um crocodilo.)

E o advento dos drones aéreos aumentou a possibilidade de detectar e registrar tais eventos.

"Os olhos são as duas ferramentas mais valiosas que qualquer cientista pode ter", diz Gallagher. "Um drone amplia o que os nossos olhos podem ver."

Continuar a Ler