Chimpanzé

Juntamente com os bonobos, eles são nossos parentes vivos mais próximos. Acredita-se que humanos e chimpanzés compartilham um ancestral comum que viveu há cerca de sete a 13 milhões de anos.

Por Redação National Geographic
Chimpanzé no zoológico Rolling Hills, estado americano do Kansas.
Chimpanzé no zoológico Rolling Hills, estado americano do Kansas.
Foto de Joel Sartore, National Geographic Photo Ark
  • Nome comum: Chimpanzé
  • Nome científico: Pan troglodytes
  • Classe: Mamíferos
  • Alimentação: Onívoro
  • Coletivo: Macacada
  • Expectativa de vida média na natureza: 45 anos
  • Tamanho: 1,21 a 1,67 m de altura
  • Peso: 31 a 59 kg
  • Classificação na lista : Ameaçado
  • Tendência populacional: Em declínio 

A National Geographic Society e o Disney Conservation Fund colaboram com os esforços de conservação dessa espécie. A National Geographic Partners é uma joint venture entre a National Geographic Society e a The Walt Disney Company.

A NGS fez mais de 30 doações a Jane Goodall e atualmente apoia a pesquisa da ecologista, geógrafa e antropóloga Emily Otali. Em 2018, a NGS homenageou Leonidas Nzigiympa, diretor geral responsável pelas reservas de proteção no sul do Burundi, com o Prêmio Buffett de Liderança em Conservação Africana.

Os chimpanzés são grandes símios encontrados na África Central e Ocidental. Juntamente com os bonobos, eles são nossos parentes vivos mais próximos, compartilhando 98,7% do nosso código genético. Acredita-se também que os humanos e os chimpanzés compartilhem um ancestral comum que viveu cerca de sete a 13 milhões de anos atrás.

Comportamento

Os chimpanzés são altamente sociais Eles vivem em comunidades de várias dezenas de animais, liderados por um macho alfa e sua coalizão de machos aliados. A pesquisa demonstrou que chimpanzés machos e fêmeas possuem personalidades individuais e as fêmeas são mais confiáveis e tímidas. A catação representa uma parte importante de sua vida social, tornando os chimpanzés mais próximos ao remover carrapatos e sujeira dos corpos uns dos outros.

Embora normalmente andem de quatro (nodopedalia), os chimpanzés podem ficar de pé e andar na posição ereta. Os chimpanzés possuem braços, mãos e dedos longos, o que os ajuda a escalar árvores e pular de galho em galho.

Uso de ferramentas

Sabemos que esse inteligente animal é uma das raras espécies que utiliza ferramentas — conforme constatado pelas famosas observações da primatóloga Jane Goodall em 1960. Sua descoberta revolucionária levou o arqueólogo Louis Leakey a declarar: “Agora devemos redefinir o que é uma ‘ferramenta’, ‘redefinir’ o que é uma pessoa ‘ou aceitar que chimpanzés são seres humanos”.

Como Goodall observou, os chimpanzés moldam e usam gravetos para retirar insetos de ninhos ou fisgar larvas de troncos. Eles utilizam pedras para quebrar nozes saborosas e empregam folhas como esponjas para absorver a água potável. E os chimpanzés podem até ser ensinados a utilizar a linguagem básica humana de sinais.

Habitat e alimentação

Os chimpanzés possuem a maior área de distribuição entre os grandes símios. Embora muitas populações vivam em florestas tropicais, também podem ser encontradas em matas e savanas entre a África Central e Ocidental. Esses primatas geralmente dormem em árvores — normalmente na robusta árvore da espécie Olneya tesota, de Uganda, que oferece um abrigo mais firme e estável para dormir — e constroem ninhos de folhas.

Os chimpanzés também fazem grande parte de suas refeições nas árvores. Embora geralmente prefiram frutas e plantas, possuem uma dieta variada que também inclui insetos, ovos, nozes e centenas de outros alimentos. Também apreciam carne e relatos mostram que matam e comem  macacos menores, antílopes pequenos e até mesmo tartarugas, que batem contra as árvores para abrir seus cascos.

Reprodução

As fêmeas de chimpanzés podem procriar em qualquer época do ano, tendo geralmente um único filhote que se agarra à pelagem de sua mãe e depois monta em suas costas até o desmame, entre três e cinco anos de idade. As fêmeas atingem a idade reprodutiva aos 13 anos, ao passo que os machos não são considerados adultos até os 15 anos.

Ameaças à sobrevivência

A União Internacional para a Conservação da Natureza declarou que o chimpanzé é uma espécie ameaçada — e o aumento populacional da humanidade é o principal responsável. À medida que os humanos invadem cada vez mais as áreas de distribuição geográfica do chimpanzé, o habitat de florestas desse macaco é destruído para dar lugar à agricultura. A extração de madeira, mineração, exploração de petróleo e novos projetos de estradas e rodovias ameaçam degradar e fragmentar ainda mais o habitat do chimpanzé.

No oeste de Uganda, a perda de habitat provocou conflitos entre o homem e nossos parentes mais próximos. O desmatamento não apenas dificulta que os chimpanzés encontrem um lugar para viver, mas também torna escasso seu suprimento de alimentos silvestres. Em desespero, muitos recorrem à busca de alimentos nas casas de pessoas que moram nas proximidades. Embora, na maioria das vezes, roubem frutas e outros alimentos ao seu alcance, os macacos ocasionalmente roubam e matam crianças pequenas. Com isso, as pessoas matam chimpanzés em retaliação e para proteger suas famílias de futuros ataques.

Os caçadores em busca de carnes exóticas têm como alvo os chimpanzés por possuírem mais carne do que mamíferos menores, levando, às vezes, seus filhotes como animais de estimação para si mesmos ou para vender no comércio ilegal de animais. E os chimpanzés também são suscetíveis a doenças infecciosas. Desde a década de 1980, o vírus ebola os aniquilou em números expressivos.

Conservação

Os chimpanzés são protegidos por leis nacionais e internacionais, como a Lei de Espécies Ameaçadas dos EUA. Alguns de seus habitats também são protegidos na forma de santuários ou reservas. As organizações de conservação estão tentando expandir essas reservas de proteção, ao mesmo tempo em que pressionam pelo fim da matança e captura ilegais de animais.

A chave para garantir o futuro do chimpanzé, no entanto, é melhorar seu relacionamento com os humanos. Muitas organizações trabalham com as comunidades para conscientizar sobre as ameaças enfrentadas pelos chimpanzés, desenvolver planos de ação para preservar seus habitats e ajudar os membros das comunidades a desenvolver meios de subsistência alternativos que não comprometam o habitat desse animal.

VOCÊ SABIA?

  • Chimpanzés e humanos compartilham mais de 98% do nosso código genético.
  • Os chimpanzés se alimentam durante seis a oito horas por dia.
  • Os chimpanzés podem comer certas plantas pelo seu valor medicinal para tratar dores de estômago, dores de cabeça e infecções.
Continuar a Ler