Nasa discute publicamente e pela primeira vez estudo sobre ovnis

Equipe de cientistas busca estabelecer as bases para estudos futuros sobre a natureza dos fenômenos anômalos não identificados (nome atual para ovnis), tanto para a Nasa quanto para outras agências espaciais.

Uma estrela cadente brilha sobre o vulcão Villarica e o lago Villarica, no Chile.

Foto de Jonathan Irish
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 31 de mai. de 2023, 15:55 BRT

Um estudo realizado pela Nasa ao longo de nove meses, a partir de 2022, lançará luz sobre a categorização e avaliação de dados de fenômenos anômalos não identificados (UAP, na sigla em inglês), conhecidos popularmente como ovnis. Uma reunião realizada nesta quarta-feira (31/5) debateu o estudo publicamente pela primeira vez. 

Dentre vários especialistas, a equipe da Nasa contou com o apoio de Nadia Drake, jornalista e colaboradora da National Geographic especializada em espaço exterior.

"Estudar os UAPs nos permite compreender o mundo ao nosso redor, está em nosso DNA", expressou Daniel Evans, apresentador da reunião realizada pela Nasa nesta quarta-feira.

Resultados do estudo da Nasa e definição de UAP

O termo UAP se refere a "observações de eventos no céu que não podem ser identificados, como aeronaves ou fenômenos naturais conhecidos do ponto de vista científico", explica a Nasa. É uma redefinição do termo ovni (objeto voador não identificado).

De acordo com os documentos apresentados pela agência norte-americana, as características mais comuns dos UAPs são representadas pelas seguintes tendências:

  • Sua morfologia pode ser esférica (47% deles são, em média). Mas também há relatos de UAPs com formas vetoriais, quadradas, retangulares e até mesmo pontos e traços de luz;
  • São caracterizados por sua orientação atípica, acompanhada por um tamanho médio entre 1 e 4 metros de diâmetro e uma cor branca, prateada ou translúcida;
  • A maioria dos UAPs relatados foi avistada a uma altitude entre 10 mil e 30 mil pés, a uma velocidade constante próxima à velocidade do som, equivalente a 2469 quilômetros por hora. No entanto, geralmente não é identificado um motor de propulsão.

(Relacionado:  O que é um ano-luz?)

Essa base de dados apresentada é composta por mais de 650 casos coletados entre 1996 e 2023 pelos pesquisadores da Nasa. Foram utilizadas diversas fontes, como entidades civis governamentais e comerciais, conforme indicado pela administradora associada do Science Mission Directorate da Nasa, Nicola Fox.

Além disso, a cientista afirmou que todos os documentos relacionados aos UAPs são "material não-confidencial", o que permite à equipe se comunicar abertamente e avançar na compreensão desses fenômenos, tanto pela comunidade científica quanto pelo público em geral.

Casos ainda não resolvidos pelo estudo sobre os UAPs

Durante a coletiva de imprensa desta quarta-feira, foi apresentado um estudo de uma observação realizada por um drone MQ-9 em 2022, no qual uma esfera metálica atravessa a região do Oriente Médio. De acordo com a Nasa, a esfera flutuante ainda é uma incógnita para os profissionais responsáveis pelo estudo e está em processo de investigação.

No entanto, essa esfera não "demonstrou capacidades técnicas enigmáticas e também não representou uma ameaça aparente para a segurança aérea que a observava", conclui o documento não-confidencial da agência norte-americana.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados