Terremoto mais mortal de 2017 abala Irã e Iraque

O tremor matou pelo menos 402 pessoas e destruiu comunidades locais.

Publicado 13 de nov. de 2017 16:57 BRST, Atualizado 5 de nov. de 2020 03:22 BRT

O terremoto mais mortal de 2017 atingiu o Irã e o Iraque na noite do último domingo, matando pelo menos 402 pessoas.

Com magnitude de 7.3, o epicentro do tremor foi registrado no oeste do Irã, cerca de 30 quilômetros da cidade de Ḩalabjah, no Iraque, e há 20 quilômetros de profundidade.

De acordo com a CNN, a mídia estatal iraniana reportou que 295 iranianos foram confirmados mortos e 6.650 feridos. O New York Times relata que a maioria das mortes aconteceu em Sarpol-e Zahab, na província de Quermanxa, no oeste do Irã.

No território semiautônomo do Curdistão, no Iraque, pelo menos 7 pessoas morreram, de acordo com autoridades locais em entrevista à CNN. O ministro da saúde do Iraque disse que ao menos 535 iraquianos ficaram feridos.

Ambos países ainda avaliam os danos, mas o terremoto já bateu um recorde cruel neste ano. Com 402 mortos, o tremor ultrapassou o terremoto que atingiu a Cidade do México em setembro, que tinha matado 369 pessoas.

Baseado na localização do sismo, próximo à fronteira do Irã com o Iraque, é provável que ele tenha sido causado pela colisão de duas placas tectônicas: a Arábica – que apoia a península Arábica, o Iraque, a Síria e a Jordânia – e a Euroasiática, sobre a qual fica o Irã.

A uma taxa menor que 1 centímetro por ano, a placa Arábica desliza em direção noroeste para embaixo da placa Euroasiática e forma uma zona de subducção sob o oeste do Irã. A colisão pode parecer lenta, mas é o suficiente para moldar a Cordilheira de Zargos, uma cadeia de montanhas de 1,5 mil km que cruza o oeste do Irã e o noroeste do Iraque.

Essa junção geológica hostil pode gerar enormes abalos sísmicos, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos. Em 27 de novembro de 1945, um terremoto de magnitude 8.0, que aconteceu ao longo dessa falha, provocou um tsunami no Mar da Arábia e no Golfo de Omã. A inundação matou mais de 4 mil pessoas.

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Meio Ambiente
Como essa cidade planeja recuperar a perda da maioria de suas árvores
Meio Ambiente
Sete vitórias que trouxeram esperança à causa ambiental em 2020
Meio Ambiente
Erupção vulcânica na Nova Zelândia pegou todo mundo de surpresa
Meio Ambiente
Estranho terremoto abre rachadura na França
Meio Ambiente
Estranha rotação da Terra pode solucionar antigo mistério climático

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados