Vídeo de cortar o coração mostra urso-polar faminto em terra sem gelo

Falta de gelo do mar dificulta a busca do animal por comida.segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Urso polar faminto vaga por terras descongeladas em arquipélago canadense
Urso polar faminto vaga por terras descongeladas em arquipélago canadense
Cientistas explicam que o aumento da temperatura global e o derretimento das calotas polares impedem que o animal se alimente adequadamente.

Quando o fotógrafo Paul Nicklen e os cineastas do grupo de conservação Sea Legacy chegaram à Ilha de Baffin, no Canadá, no fim do verão, eles se depararam com uma visão desesperadora: um urso-polar em inanição em seu leito de morte.

Nicklen conhece bem os ursos. Desde o momento em que era uma criança, crescendo no extremo norte do Canadá, o biólogo virou fotógrafo da vida selvagem viu mais de 3 mil ursos na natureza. Mas o urso-polar emaciado, apresentado nos vídeos que Nicklen publicou para as redes sociais em 5 de dezembro, foi um dos cenários mais doloridos que já viu.

“Ficamos lá chorando – registrando com lágrimas correndo pelos nossos rostos”, conta.

O vídeo mostra o urso polar em seus últimos momentos de vida, os pelos brancos cobertos de forma limpa pelo seu rosto fino e ósseo. Uma das pernas traseiras do urso se arrasta à medida que caminha, provavelmente devido à atrofia muscular. À procura de comida, o bicho se rende lentamente em uma lixeira próxima usada com sazonalidade por pescadores inuítes. Ele não encontra nada e colapsa resignadamente de volta ao chão.

Nos dias em que Nicklen postou as filmagens, perguntou-se por que ele não interveio.

"Claro, isso passou pela minha cabeça", diz Nicklen. "Mas não é como se eu andasse com uma arma tranquilizante ou 180 kg de carne de foca".

E mesmo que o fizesse, conta Nicklen, só estaria prolongando a miséria do urso. Além disso, a alimentação de ursos-polares selvagens é ilegal no Canadá. O fotógrafo da vida selvagem ressalta que ele filmou a morte lenta e assombrosa do urso porque ele não queria que o animal morresse em vão. "Quando os cientistas dizem que ursos estão a caminho da extinção, eu quero que as pessoas percebam como é isso. Os ursos morrerão de fome", aponta Nicklen. "Isto é a aparência de um urso faminto".

“Claro, isso passou pela minha cabeça, mas não é como se eu andasse com uma arma tranquilizante ou 180 kg de carne de foca.”

por Paul Nicklen sobre a decisão de não intervir

A ligação com a mudança climática

Ao contar a história de um urso-polar, Nicklen espera transmitir uma mensagem maior sobre como um clima em aquecimento tem consequências mortais. Os ursos-polares são há muito tempo mascotes inconscientes dos efeitos das mudanças climáticas. Como animais que vivem apenas nas regiões árticas, eles são frequentemente os primeiros a sentir os impactos das temperaturas do aquecimento e do aumento do nível do mar.

Os ursos grandes e de meia tonelada encontram concentrações de focas no gelo marinho. Durante os meses de verão, é comum que os ursos polares passem meses sem comer enquanto esperam que o gelo do Ártico se solidifique.

Em 2002, um relatório do World Wildlife Fund (em inglês) previu que as mudanças climáticas poderiam eventualmente levar a uma ameaça ou extinção do urso-polar. Mesmo assim, o relatório descobriu que os espécimes estavam se movendo de gelo para ficar mais cedo em terra, dando por mais tempo e estendendo de forma saudável o tempo de jejum dos ursos. No final do verão, a maioria dos ursos estudados pelo World Wildlife Fund apresentou sinais de fome.

Quinze anos depois, os campos de caça gelados dos ursos polares estão em pior forma. O Centro Nacional de Dados de Neve e Gelo, que rastreia a cobertura do gelo marinho anualmente, registrou recordes negativos - um declínio que se espera que apenas piore. Um estudo publicado recentemente na revista Biosciences examinou como a ciência climática é muitas vezes falsamente desacreditada. O estudo descobriu que os negadores do clima podem minimizar a ameaça das mudanças climáticas, desmentindo a ameaça que enfrentam os ursos-polares.

No entanto um estudo publicado no ano passado pela European Geosciences Union e este ano pelo U.S. Geological Survey confirma que o derretimento do gelo marinho continua a ser uma ameaça existencial para os ursos polares.

101 Clima: Oceano
Maior habitat do planeta, os mares ajudam a regularizar o clima, mas estão sendo drasticamente impactados pelo aquecimento global.
Continuar a Ler