Outubro Rosa: 7 recomendações essenciais para a prevenção do câncer de mama

A data, celebrada em 19 de outubro, tem o objetivo de promover a conscientização sobre o câncer de mama, que atinge cerca de 2,3 milhões de mulheres ao ano no mundo, informa a OMS.

Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 6 de out. de 2022 15:46 BRT, Atualizado 19 de out. de 2022 15:12 BRT
Neste ponto de seu exame físico, um médico estava usando um estetoscópio para ouvir sons que ...

Neste ponto de seu exame físico, um médico estava usando um estetoscópio para ouvir sons que emanam de dentro da cavidade torácica de um paciente. A extremidade sensível ao som do dispositivo estava sendo aplicada no tórax anterior superior esquerdo do paciente.

Foto de Amanda Mills CDC

O câncer de mama é um dos tumores mais comuns entre as mulheres. Entretanto, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) do Brasil, referência em dados da doença no país, indica que 28% dos casos dessa doença podem ser evitados. Manter um estilo de vida saudável, realizar exames periódicos e conhecer o próprio corpo são algumas dicas essenciais para evitar, ou pelo menos diagnosticar precocemente um câncer de mama. 

A Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (Iarc, na sigla em inglês), agência intergovernamental que faz parte da Organização Mundial de Saúde (OMS), aponta que a incidência da doença é, em média, de 2,3 milhões de novos casos ao ano. 

Também de acordo com a organização internacional, o câncer de mama foi a causa mais comum de morte por câncer em mulheres e a quinta causa mais comum de mortes por câncer em geral. No Brasil, o Inca estima que mais de 66 mil novos casos sejam registrados até o fim de 2022. 

Por conta da importância dessa enfermidade, o mês de outubro recebe, anualmente, a campanha Outubro Rosa, que promove a conscientização sobre a doença, seus sintomas e, principalmente, como preveni-la

“Quanto mais cedo se identifica a doença, maior é a probabilidade de cura e menor vai ser o tratamento exigido. E, para isso, se atentar aos sinais do corpo é fundamental”, diz o mastologista Alexandre Pupo, médico do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, uma das instituições referência no Brasil para o tratamento do câncer. 

A National Geographic conversou com o especialista e reuniu algumas sete recomendações médicas que podem ajudar na prevenção e detecção precoce de um câncer de mama.   

1. Como evitar o câncer de mama: alimentação saudável e controle de peso 

Segundo explica o mastologista, o excesso de peso provoca um estado de inflamação crônica no corpo porque o sistema imune está sempre atuando para conter o excesso de gordura. 

O problema, no entanto, é que esse mecanismo do sistema de defesa, por estar super estimulado, também pode atacar células saudáveis, contribuindo para um crescimento celular desordenado, ou seja, o desenvolvimento de um câncer.

“Por isso, uma alimentação rica em gordura é em alimentos ultraprocessados é um fator de risco para o câncer de mama”, relata Pupo.  

“Um aspecto que comprova essa relação é que o câncer de mama é muito incidente em países mais desenvolvidos, onde a ingestão de alimentos ultraprocessados, o sedentarismo e a obesidade também são mais frequentes”, afirma. 

2. Praticar atividade física diminui os riscos do câncer de mama

O sedentarismo também é um contribuinte importante para aumentar o risco de câncer de mama. 

Atualmente, os mecanismos que explicam como as atividades físicas trazem benefícios em relação ao desenvolvimento de um câncer ainda não são totalmente estabelecidos. Mas existem evidências, como mostra uma análise feita a partir de estudos observacionais, publicada em 2019 na Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos.

A pesquisa traz estatísticas que sugerem o exercício como forma de prevenir cerca de 25% dos casos de câncer de mama.

Além disso, a análise também mostra que sobreviventes de câncer de mama que eram fisicamente mais ativas tiveram um risco 40% menor de morte do que aquelas que foram menos ativas fisicamente. 

No caso do câncer de mama, “exercícios podem ajudar a controlar os níveis de estradiol, hormônio feminino considerado um agente causal em algumas formas do tumor”, explica o médico. 

3. Bebidas alcoólicas e cigarros são fatores de risco para o câncer

Entre os fatores de risco para a doença, o  consumo de álcool e o tabagismo entram como um dos principais hábitos que podem causar o câncer de mama. 

“O consumo de álcool pode ter um certo efeito imunossupressor que dificulta o corpo de identificar uma célula que passou por uma transformação, beneficiando, assim, o desenvolvimento do câncer”, explica o mastologista. 

No caso do cigarro, um artigo do Instituto Oncoguia, uma organização sem fins lucrativos que atua na conscientização e educação em saúde, indica que substâncias presentes no tabaco participam da carcinogênese (processo de formação do câncer), aumentando em até 30% o risco para todos os tipos de câncer. 

4. Prevenção do câncer de mama: faça os exames de rotina recomendados

De acordo com Pupo, o exame de rotina mais importante na prevenção do câncer de mama é a mamografia. “A recomendação é que ela seja realizada anualmente a partir dos 40 anos de idade.”

Além da mamografia, exames de ultrassom ou tração de mamas também podem ser usados para identificar tumores.

(Relacionado: Por que muitas mulheres têm problemas para amamentar?)

O importante, de acordo com o mastologista, é que haja acompanhamento constante entre a paciente com um médico ginecologista. “Manter uma boa relação médico-paciente é importante para que se analise os fatores de risco de cada caso e se realize os exames corretos e na frequência recomendada.”

5. Autoexame nas mamas ajudam na prevenção

O autoexame de mamas também é uma opção para identificar um câncer na região. Entretanto, Pupo alerta que a medida não é muito eficaz para identificar tumores em estágio iniciais. 

“O autoexame tem uma finalidade muito mais de autoconhecimento e de criar a lembrança de renovar os exames de prevenção uma vez ao ano do que qualquer outra coisa”, explica o especialista. 

Sendo assim, o médico recomenda o autoexame – também chamado de exame de toque – para que a mulher saiba identificar os sinais de alerta para um câncer de mama. O autoexame pode mostrar os seguintes sinais: 

  • Existência de algum caroço (nódulo) endurecido, fixo e geralmente indolor; 
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido de um dos mamilos;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja.

6. Conheça seu histórico familiar para o câncer de mama

Entre os casos registrados, 5 a 10% dos diagnósticos de câncer de mama são relacionados com alguma mutação genética, segundo o Instituto Oncoguia. 

Destes, quase metade está associada a uma mutação no gene BRCA1 ou BRCA2 (sigla em inglês de Breast Cancer Gene 1 ou 2), que também são relacionados com casos de câncer de ovário, pâncreas, próstata e melanoma (pele).

(Veja também: Edição genética pode tratar doenças e viabilizar transplantes entre porcos e humanos)

Para identificar se há alguma propensão genética ao câncer de mama, o mastologista explica que existem exames que investigam o DNA atrás de uma mutação nesses genes. Entretanto, esses testes são caros e podem não estar disponíveis a todos. 

“Portanto, o que normalmente se usa de critério é se algum parente direto (mãe, pai, avós, irmãos) com menos de 50 anos,  em especial menos de 40, teve câncer de ovário ou de mama”, diz o médico. 

7. Conheça seu corpo

Alexandre Pupo recomenda atenção para qualquer sinal ou sintoma fora do normal. Para isso, “é necessário que a pessoa conheça o seu corpo e saiba identificar quando algo está errado”, destaca. 

Além disso, o médico também ressalta que um câncer de mama pode atingir a todos, até mesmo homens, o que aumenta a importância das medidas de prevenção. 

“Não só é importante, como não há nenhum demérito em realizar exames, como a mamografia, até mesmo para homens”, recomenda o mastologista. Ele ainda ressalta: “Dentre todas as medidas, realizar os exames de prevenção rotineiramente são as mais indicadas para se evitar um câncer.” 

O Outubro Rosa ajuda a lembrar da importância da conscientização e de um estilo de vida saudável na prevenção de doenças que podem se tornar graves, como o câncer de mama. Vale ficar de olho.

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Ciência
O que é a poliomielite?
Ciência
Como a pandemia de Covid-19 afetou a saúde mental dos brasileiros
Ciência
Dia Mundial do Coração: 7 hábitos para manter seu coração saudável
Ciência
Por que amor e toques eram considerados 'perigosos' e como a ciência provou o contrário nos anos 1950
Ciência
Dia Mundial do Alzheimer: saiba os últimos avanços no tratamento da doença

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados