O que é o El Niño? Fenômeno deve causar recordes de calor nos próximos anos

Evento capaz de mudar o padrão climático da Terra irá impulsionar um aumento da temperatura global sem precedentes, segundo a Organização Meteorológica Mundial.

Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 17 de mai. de 2023, 12:31 BRT
Novas espécies de coral substituíram as danificadas pelo aquecimento durante o El Niño de 2015-16.

Novas espécies de coral substituíram as danificadas pelo aquecimento durante o El Niño de 2015-16.

Foto de Enric Sala

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) alerta que o fenômeno do El Niño deve contribuir para um aumento contínuo das temperaturas globais sem precedentes para os próximos anos. O anúncio foi publicado em 17 de maio deste ano, e pretende chamar a atenção das autoridades sobre medidas a serem tomadas para enfrentar o problema. 

A agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para meteorologia ressalta ainda que a influência do fenômeno climático, em conjunto com o aumento das emissões de gases de efeito estufa provenientes de atividades humanas, fará com que pelo menos um dos próximos cinco anos seja o mais quente já registrado na história.

Mas qual é o papel do El Niño nos recordes de calor previstos para o futuro? 

O que é o El Niño?

Os fenômenos El Niño e La Niña são os principais – mas não os únicos – impulsionadores do sistema climático da Terra, segundo explica a OMM. 

No caso do El Niño, trata-se de um padrão climático natural associado ao aquecimento das temperaturas da superfície do Oceano Pacífico tropical, central e oriental. De acordo com a agência de meteorologia da ONU, ele ocorre, em média, a cada dois a sete anos e os episódios geralmente duram de nove a doze meses.

Com as águas do oceano mais quentes, há a modificação do padrão de circulação atmosférica sobre o Pacífico e uma alteração na distribuição de umidade e das temperaturas em várias áreas do planeta.

Quando o El Niño começa?

Segundo previsões da OMM, depois de três anos do fenômeno La Niña no mundo, o El Niño tem 60% de chance de começar entre os meses de maio e junho deste ano, aumentando para 80% entre julho e outubro. Em geral, o El Niño atinge um pico durante novembro a janeiro, e depois decai na primeira metade do ano seguinte. 

Como o El Niño afeta o clima?

Os eventos de El Niño estão normalmente relacionados a um aumento da frequência e intensidade das chuvas em partes do sul da América do Sul, sul dos Estados Unidos, Chifre da África (que inclui países como Somália, Etiópia, Eritreia e Djibouti) e Ásia central, informa a OMM.

Por outro lado, o El Niño também pode causar secas severas na Austrália, Indonésia e partes do sul da Ásia. Além disso, durante o verão do Hemisfério Norte, as águas quentes do El Niño podem alimentar furacões no oceano Pacífico central/oriental, enquanto dificultam a formação de furacões na bacia do Atlântico.

Qual a diferença entre o El Niño e o La Niña?

O El Niño e a La Niña são ambos parte do fenômeno conhecido como El Niño-Oscilação Sul (Enso, na sigla em inglês). Ao contrário do El Niño, o La Niña corresponde ao resfriamento em larga escala das temperaturas da superfície do oceano na mesma região do Pacífico. 

Segundo a OMM, o evento climático causa efeitos contrários ao El Niño na atmosfera, assim como impactos climáticos opostos. Ou seja, onde o El Niño causa chuva, o La Niña causa seca, por exemplo. 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2023 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados