O cenote Samulá, que fica na comunidade de Dzitnup, em Valladolid, no México.

Os 5 cenotes da América Latina que valem a pena conhecer

Cenotes, dolinas, sinkholes… Os nomes variam, mas algumas dessas formações geológicas são lindos lugares para serem visitados por viajantes aventureiros.

O cenote Samulá, que fica na comunidade de Dzitnup, em Valladolid, no México.

Foto de Governo do Yucatan
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 1 de dez. de 2023, 12:00 BRT

Que tal uma viagem que une natureza, aventura e beleza? A América Latina possui diversos lugares que combinam esses elementos, mas visitar os mais belos cenotes (sinkholes ou dolinas) da região pode ser uma experiência única. 

Como a própria National Geographic explicou, os cenotes são um tipo de formação geológica que só recebem esse nome de origem maia (dz’onot’) exclusivamente no México por conta de seu grande número na Península de Yucatán, como explica a Encyclopædia Britannica (plataforma de conhecimento do Reino Unido). 

Em inglês, essas formações são chamadas de sinkhole (nome que é conhecido internacionalmente) e, em português se denominam dolinas. Há tantos cenotes na península mexicana que eles se tornaram símbolos da natureza da região, mas essas formações também estão presentes em outros lugares do mundo, inclusive em alguns países latino-americanos. 

Confira, a seguir, cinco cenotes e dolinas na América Latina que possuem visitação disponível para os turistas:

Ik Kil – México

É possível ver toda a beleza do cenote Ik Kil e ainda nadar em suas águas e, como ele que fica próximo ao sítio arqueológico maia de Chichén Itzá, o visitante pode fazer um passeio completo unindo natureza e história.

Foto de Governo do Yucatan

cenote Ik Kil é um dos mais famosos da Península de Yucatán e está localizado na cidade de Tinum. A sua beleza é impressionante, com águas cristalinas para serem observadas e, para quem  quiser, é possível nadar para ver suas profundezas usando snorkel. 

O Ik Kil fica em um parque ecológico que conta com boa estrutura de restaurante e cabanas. Além disso, o visitante ainda pode fazer passeios na região, afinal ele está a apenas 500 metros de distância da zona arqueológica da antiga cidade maia de Chichén Itzá, conforme explica o site do governo da região de Yucatán.

X-Canché – México

cenote X-Canché possui uma impressionante piscina natural de águas esverdeadas em sua formação rochosa. Localizado na cidade mexicana de Temozón, ele está a 1,6 km da zona arqueológica da antiga cidade maia de Ek Balam, como conta o site do governo de Yucatán.

O cenote X-Canché (que fica na cidade de Temozón na Península de Yucatán) combina natureza, aventura, gastronomia e as tradições maias.

Foto de Governo do Yucatan Municipio Temozón

X-Canché vale a visita por sua beleza e por combinar natureza, aventura, gastronomia e as tradições maias. Lá, é possível praticar diferentes atividades como rapel, tirolesacaiaque, mergulho com snorkelmountain bike, além de poder presenciar cerimônias maias e aproveitar comidas regionais. 

Samulá – México

Um pouco mais escondido, o cenote Samulá reserva uma beleza surpreendente, já que tem uma formação geológica mais semelhante a uma caverna. Ele fica na comunidade de Dzitnup, na cidade de Valladolid, também na mexicana Península Yucatán. 

Como explica o site do governo local, o Samulá é cercado por estalactites e suas águas cristalinas azul turquesa são iluminadas por um buraco na parte superior da caverna onde se pode admirá-lo. É possível também entrar em suas águas e nadar.

Buraco das Araras – Brasil

Buraco das Araras, na cidade de Jardim (MS) é considerada a maior dolina da América do Sul e possui mais de 500 metros de profundidade.

Foto de Ministerio de Turismo Brasil

Localizada no estado do Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste do Brasil, na cidade de Jardim, o Buraco das Araras é considerada a maior dolina da América do Sul, já que possui aproximadamente 100 metros de profundidade e 500 metros de circunferência, conforme diz o site do governo da cidade de Jardim.

O nome se deu pois a região é repleta de aves, tendo mais de 160 espécies, com destaque para as araras-vermelhas. Da recepção do parque (que fica em uma área de preservação ambiental do Cerrado brasileiro), o visitante faz uma caminhada de 1 km até as plataformas de observação da grande dolina, como explica o site oficial da atração.

Dolina da Água Milagrosa – Brasil

Conhecida como Dolina da Água Milagrosa, esse sinkhole fica a cerca de 20km da cidade de Cáceres, no Mato Grosso (também no Centro-Oeste do país), conforme explica o site da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do estado.

A Dolina das Águas Milagrosas, em Cáceres (MT) tem paredões rochosos com cerca de 180 metros de profundidade.

Foto de Chico Valdiner, GCom-MT Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico

O local pode ser visto de pertinho pelos visitantes que quiserem conhecer essa dolina com paredões rochosos de 183 metros de profundidade e que abrigam um lindo lago de águas esverdeadas ou azuladas (dependendo da época do ano e a quantidade de água). Mas é preciso encarar uma escada íngreme de mais de 150 degraus – o que vale a pena para apreciar sua beleza natural. 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados