Um agricultor costa-riquenho está tomando medidas para alcançar a sustentabilidade total

Com o apoio de um agrônomo, um agricultor antenado com as mudanças do presente tem trabalhado para implementar um modelo sustentável em sua lavoura de café.

sexta-feira, 8 de maio de 2020,
Por Jack Neighbour
Um agricultor costa-riquenho está tomando medidas para alcançar a sustentabilidade total
Um agricultor costa-riquenho está tomando medidas para alcançar a sustentabilidade total

Descubra o que é necessário para construir uma fazenda de café sustentável.

Foto de Guillermo Trapiello

Dona de aproximadamente 5% da biodiversidade do mundo, a República da Costa Rica há muito tempo é considerada um exemplo de sustentabilidade. Quase 30% do território do país é composto por reservas naturais, o que protege a floresta que cobre mais da metade do território costa-riquenho. A Costa Rica também produz um dos melhores cafés Arábica do mundo, e isso não é mera coincidência: ambas as práticas estão ligadas, uma vez que os ecossistemas naturais protegidos produzem cafés de altíssima qualidade.

Desde que as primeiras mudas de café foram plantadas no Vale Central da Costa Rica, no fim do século XVIII, pequenas propriedades rurais têm tido um papel decisivo na produção, dando origem a grãos suaves e levemente ácidos em fazendas que raramente possuem mais de cinco alqueires de terra. Essas pequenas plantações rústicas frequentemente se mesclam à paisagem tropical dos arredores, e são permeadas por uma enorme variedade de espécies vegetais de todas as cores. O sabor delicioso dos cafés cultivados pelos agricultores costa-riquenhos se deve sobretudo a essa harmonia natural. Foi essa harmonia que persuadiu o ex-motorista de táxi Luis Emilio a voltar para o cultivo de café, seguindo os passos de sua família.

Tendo comprado sua propriedade rural há dez anos, Luis se apaixonou pela ideia de que cultivar cafés especiais em sintonia com a natureza representa aquilo que torna a Costa Rica um exemplo em matéria de sustentabilidade. Andando pela propriedade dele, você se sente conectado à natureza, e quase se esquece de que está passando por pés de café que foram podados e cultivados tendo a produtividade em mente. Aqui, qualidade é tudo, e para manter essa qualidade Luis procurou a ajuda de Fernando Segura, agrônomo da Nespresso, que acabou se tornando um grande amigo e um conselheiro digno de toda a confiança. "Eu venho aqui para compartilhar [com o Luis] tudo o que aprendi, mas é ele quem coloca essas coisas em prática. Nós formamos um belo time", comemora Fernando. Juntos, eles transformaram a lavoura do Luis em um refúgio agrícola que resiste aos efeitos das mudanças climáticas. Cultivar o café à sombra de uma barreira de árvores ajuda a nutrir o solo, pois as folhas que caem dos galhos dessas árvores entram em decomposição e ajudam a levar mais nutrientes para a terra. As árvores também funcionam como casas para os pássaros, o que mantém a população de insetos sob controle e garante um equilíbrio natural da fauna da região.

E não foi só a biodiversidade que saiu ganhando com a abordagem sustentável do Luis e do Fernando, pois o Luis usa o conhecimento que recebeu do Fernando para gerenciar o lado administrativo do negócio, pagando bons salários e monitorando as melhorias ano a ano.

A pequena propriedade do Luis é um grande exemplo de como criar uma lavoura local sustentável que preserva e existe em harmonia com o ecosistema local. A parceria entre ele e o Programa AAA de Sustentabilidade Nespresso também tem natureza circular, pois as habilidades e os recursos que o Luis recebeu o ajudaram a perceber quais eram seus objetivos de sustentabilidade. Graças ao contato com o Luis, especialistas que fazem parte do programa puderam levar esses aprendizados para outras regiões cafeeiras – ou seja, todo mundo sai ganhando. "Eu sou muito grato ao Fernando", afirma Luis, cheio de alegria, enquanto observa a vista espetacular de sua propriedade rural. "Sou grato pela ajuda que ele me deu."

SAIBA MAIS

Continuar a Ler