Do que seu cabelo realmente precisa?

Há formas diferentes de cuidar dos cabelos. Pedimos aos dermatologistas que explicassem a ciência do cabelo e o que todos os ingredientes do xampu realmente fazem.

Por Hannah Docter-Loeb
Publicado 24 de ago. de 2023, 11:10 BRT

Embora seja provavelmente o aspecto mais importante dos cuidados com os cabelos, a lavagem regular não é estritamente necessária para sua saúde. Os cuidados com os cabelos são mais essenciais para nossa autoimagem e posição na sociedade do que para nosso bem-estar.

Foto de Christophe Fouquin Rea, Redux

Um marcador de beleza, orgulho, saúde e até mesmo de crenças políticas. Hoje nosso cabelo ocupa o centro do palco em nossa formação de identidade, e sempre foi parte do que nos torna humanos.

Nossos ancestrais mais antigos eram cobertos de pelos da cabeça aos pés. Ele era importante para regular a temperatura corporal e proteger a pele da exposição ao sol. Os cabelos do couro cabeludo podem até ter fornecido um importante acolchoamento para o nosso crânio, diz Brett King, professor associado de dermatologia da Universidade de Yale, Estados Unidos. 

Entretanto, com o passar do tempo, os seres humanos evoluíram e passaram a ter menos pelos nos membros e no corpo. Embora alguns pelos do corpo tenham funções importantes para a saúde – os pelos do nariz protegem contra a entrada de bactérias em nossas vias respiratórias, por exemplo –, os pelos mais proeminentes, no couro cabeludo, são principalmente estéticos. 

"No momento, a maneira como usamos o cabelo é realmente uma forma de autoexpressão e capacitação", afirma Loren Krueger, professor assistente de dermatologia na Emory University, EUA. 

O cabelo é também um dos primeiros a sofrer quando a saúde diminui. Pacientes com câncer que se submetem à quimioterapia perdem o cabelo rapidamente porque o tratamento tem como alvo as células em crescimento.

"Se você está com deficiência nutricional ou perdeu muito peso por estar doente, o cabelo é uma das primeiras coisas que se desativa", explica George Cotsarelis, presidente do departamento de dermatologia da Universidade da Pensilvânia, EUA. 

Os cuidados com os cabelos são um setor em expansão, que movimenta bilhões. Embora inúmeros produtos se apresentem como promotores do crescimento capilar, pode ser difícil descobrir o que seu cabelo realmente precisa. Os especialistas explicam a ciência por trás dos cabelos e o que os consumidores devem considerar ao comprar produtos para cabelos. 

A ciência do cabelo

O cabelo é composto por uma haste, a parte visível, e a raiz, que se conecta à pele. A raiz é cercada por uma bainha chamada folículo piloso abaixo da pele, que promove o crescimento do cabelo.

O cabelo do couro cabeludo passa por três fases: uma fase de crescimento (a maior parte de sua vida), uma fase de transição e a última fase, quando ele cai.

"Para que o cabelo cresça, precisamos perdê-lo", explica Shilpi Kheterpal, professor assistente de dermatologia da Cleveland Clinic, EUA. 

Existem diferentes padrões de ondulação, porosidade e espessura dos cabelos. O cabelo do couro cabeludo difere de pessoa para pessoa, sendo que a genética, especialmente a etnia, desempenha um papel importante em suas características. 

A ideia de um cabelo saudável é um pouco complicada e não é fácil de definir. Oma Agbai, professor clínico associado de dermatologia da Faculdade de Medicina Davis, da Universidade da Califórnia, EUA, considera a espessura, o comprimento, o brilho e a força como sinais de cabelos saudáveis. Além da queda excessiva, outros sinais de má saúde capilar podem incluir cabelos de aparência fina com couro cabeludo visível, cabelos opacos e cabelos danificados com pontas duplas.

Com a idade, os folículos produzem menos melanina, tornando o cabelo mais claro, até ficar branco. A queda de cabelo aumenta e o crescimento diminui, e os fios ficam mais finos. Com o aumento da fragilidade, o cabelo pode ficar mais sensível a fatores ambientais como vento, luz UV, umidade e determinados produtos químicos.

De acordo com Agbai, o uso de penteados muito apertados pode causar danos ao folículo capilar, levando a uma forma de queda de cabelo chamada alopecia por tração. A coloração excessiva do cabelo para clareá-lo pode causar danos à haste capilar, levando ao embotamento, ao aumento da fragilidade do cabelo e à quebra.  

O que seu cabelo realmente precisa?

Talvez você se surpreenda ao saber que nada é realmente necessário para cuidar de seu cabelo, embora a lavagem regular seja importante.

"Não acho que você deva necessariamente considerar isso como o mínimo necessário, mas sim 'o que a sociedade considera aceitável agora'", pondera Krueger. A lavagem regular "permite que você tenha uma hidratação ideal e a aparência que deseja ter".

A lavagem faz mais do que limpar. Ela ajuda o cabelo a se livrar dos fios mortos, o que pode estimular um novo crescimento, explica Cotsarelis. Nossos folículos estão ligados às glândulas sebáceas, que produzem o óleo chamado sebo para adicionar umidade ao cabelo. Se as pessoas com cabelos lisos não os lavarem com frequência, o sebo pode se acumular e atrair fungos (geralmente do gênero Malassezia). Isso pode causar inflamação e, possivelmente, caspa.

Se você tiver coceira, descamação e erupções cutâneas no couro cabeludo, Krueger diz que isso pode ser um sinal de que você precisa lavar o cabelo com mais frequência. Ainda assim, a lavagem excessiva pode ressecar o cabelo. "É tudo uma questão de equilíbrio", indica Kheterpal. "Você quer ter certeza de que está lavando o cabelo e cuidando dele, mas sem exagerar."

As pessoas que produzem menos sebo podem tomar menos banho. As pessoas que transpiram muito ou se exercitam com frequência devem lavar o cabelo de acordo com isso – tomar banho depois de se exercitar ou produzir suor excessivo.

Os cabelos negros geralmente são secos e ásperos, portanto não precisam ser lavados com a mesma frequência que os demais cabelos. Kheterpal geralmente recomenda uma linha separada de produtos formulados especificamente para cabelos negros. Esses produtos são conhecidos como cowashes, que usam condicionador para lavar o cabelo em vez de xampu para adicionar umidade ao cabelo. 

Mas lembre-se de que a única parte do seu cabelo que está "viva" é o folículo, não o fio. Isso significa que, a menos que um tratamento seja tópico, você provavelmente não verá mudanças em seu cabelo.

Observe o rótulo do xampu para seus cabelos

Você já deve ter ouvido falar que certas substâncias químicas difíceis de pronunciar devem ser evitadas para uso no cabelo. Como a maioria das recomendações profissionais, não se trata de uma recomendação única para todas as pessoas.

Muitos xampus usam lauril sulfato de sódio, um limpador poderoso. Embora as pessoas com cabelos finos possam se beneficiar dos xampus com sulfato – sem ele, o cabelo pode parecer liso e opaco –, a aspereza pode ressecar o cabelo. Os xampus com lauroil sarcosinato de sódio e cocoyl glicinato de sódio podem ser boas alternativas, mais suaves, aconselha Agbai. Os xampus sem sulfato são ideais para pessoas com cabelos cacheados ou que pintam os cabelos, pois os sulfatos fazem a cor desbotar mais rapidamente. 

Às vezes, são adicionados parabenos para ajudar a evitar o crescimento de bactérias e mofo prejudiciais. Em geral, não há problema em usá-los, a menos que a pessoa seja sensível e tenha alergia, diz Kheterpal. O mesmo acontece com as fragrâncias – elas podem ser boas, mas para alguns podem ser irritantes.

Agbai também adverte contra o formaldeído, pois ele pode causar irritação e também é classificado como carcinogênico. Krueger observa que a biotina, um aditivo comum para produtos capilares, não é tão importante para a saúde dos cabelos e pode interferir nos testes de laboratório.

Muitos desses ingredientes não foram testados em ensaios clínicos, pois a FDA (instituição governamental dos EUA que regulamenta alimentos e medicamentos) não precisa aprovar produtos capilares de venda livre. A piritionina de zinco, encontrada em xampus para caspa, é um ingrediente que tem benefícios comprovados. Mesmo que você não tenha caspa, ele pode diminuir a inflamação microscópica e promover o crescimento do cabelo, diz Kheterpal.

"O cabelo é incrivelmente pessoal", enfatiza Krueger. Talvez você consiga obter dicas sobre o que funciona para o seu cabelo com membros da família ou outras pessoas da mesma idade ou etnia. Em última análise, os especialistas dizem o que você deve experimentar para ver com que frequência o seu cabelo precisa de cuidados e quais produtos funcionam para você.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados