Conheça mais sobre o Carnaval de Veneza: ele já chegou a ser proibido pelo governo

A celebração só voltou a existir graças aos esforços de artesãos locais. Entenda como isso aconteceu e veja um guia para vivenciar o festival anual como um veneziano de verdade.

Por Margarita Gokun Silver
Publicado 6 de fev. de 2024, 08:00 BRT
Venice, Carnival

Nenhum lugar faz um Carnaval como o de Veneza e seus bailes de máscaras.

Foto de Guillem Lopez, Aurora

Embora os relatos sobre o início exato do Carnaval de Veneza variem – alguns o atribuem ao século 11, enquanto outros afirmam que começou no século 12 – a maioria concorda que era uma celebração do incógnito. Com uma máscara e uma fantasia de carnaval, pobres e ricos assumiam qualquer identidade que desejassem e o disfarce lhes proporcionava uma liberdade que não tinham no resto do ano. Esse anonimato era tão atraente que, no século 18, muitos usavam máscaras por até seis meses por ano.

Quando a República de Veneza caiu nas mãos da Áustria, em 1797, os novos governantes proibiram tanto o carnaval quanto o uso de máscaras. O governo fascista da década de 1930 também proibiu a celebração com raízes religiosas. Mas os venezianos nunca perderam seu apetite por disfarces e, no final da década de 1970, após quase 200 anos de intervaloo carnaval estava de volta. Ressuscitado graças aos esforços dos fabricantes de fantasias e máscaras, o carnaval tem sido celebrado todos os anos, atraindo até 3 milhões de visitantes para a cidade.

O carnaval é a época das festas em Veneza.

Foto de Dave Yoder, National Geographic

A melhor maneira de vivenciar o espírito do Carnaval em Veneza

Faça o que os venezianos de uma época passada teriam feito: vista uma fantasia e uma máscara. Se você planeja voltar ano após ano, talvez queira investir em sua própria roupa, mas, se não estiver pronto para se comprometer, pode alugar. A cidade está repleta de ateliês que fornecem tanto as roupas quanto os acessórios; você terá até uma bolsa bordada para o seu celular. Se você viajar com outras pessoas, poderá alugar trajes combinando.

O Atelier Pietro Longhi, por exemplo, é a loja mencionada no livro “Inferno”, do escritor estadunidense Dan Brown. As máscaras, em geral, custam caro, mas vale a pena comprá-las como lembrança. Procure uma máscara feita em Veneza para apoiar os artesãos locais que trouxeram de volta o carnaval.

Os participantes posam com suas fantasias na orla da cidade.

Foto de Guillem Lopez, Aurora

A escolha das atividades durante seu dia de fantasia depende do seu orçamento. A maioria dos eventos oficiais é gratuita, mas chegue cedo – passar pela segurança e encontrar um lugar em um vestido grande pode ser complicado. Se quiser fazer alarde, você pode participar de um ou dois bailes ou comprar um cappuccino sofisticado no Caffé Florian (do século 18), um marco do Carnaval veneziano. Se seu orçamento for modesto, considere assistir a um concerto de Vivaldi do Interpreti Veneziani na igreja San Vidal.

Mas a melhor maneira de vivenciar o carnaval é totalmente gratuita. Quando estiver fantasiado, vá até a Piazza San Marcoencontre um lugar e fique lá. Em poucos instantes, você se transformará em uma celebridade. Estranhos se aproximarão para tirar uma foto e seu “trabalho” será dar permissão com um aceno veneziano perfeitamente executado: uma mistura de um sorriso misterioso e uma graciosa inclinação de cabeça. Depois de um tempo, sua boca pode doer e seu pescoço pode ter cãibras – ninguém disse que ser adorado era uma tarefa fácil –, mas você terá o melhor momento de sua vida

Porque o que mais pode superar a liberdade de ser outra pessoa por um dia e a liberdade de estar incógnito?

Margarita Gokun Silver, escritora e romancista freelancer, mora em Madrid. 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados