Dia da Astronomia: confira os melhores lugares da América Latina para observar o céu

Por ocasião da data que promove a divulgação da astronomia, a National Geographic selecionou lugares incríveis para contemplar como nunca antes o cosmos.

Os astronautas da missão Apollo 12 coletam amostras da Lua.

Foto de NASA
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 13 de abr. de 2023, 14:22 BRT

Estabelecido em 13 de abril, o Dia Mundial da Astronomia é uma oportunidade para celebrar o estudo das estrelas e compartilhar o Universo com as pessoas, diz a Associação Astronômica da Carolina do Norte (AANC, na sigla em inglês), em um artigo dedicado à data. 

O dia nasceu em 1973 graças à iniciativa de Doug Berger, ex-presidente da AANC e atual membro da Sociedade Astronômica Americana (Estados Unidos), para que os locais dedicados à observação espacial pudessem divulgar suas atividades e despertar o interesse das pessoas pela astronomia

Em comemoração, a National Geographic separou eventos e lugares destinados aos amantes da astronomia e para todos aqueles que querem aprender mais sobre o céu. 

Festival de Astronomia na Colômbia

Astrônomos amadores, profissionais e estudantes de ciências espaciais se encontram uma vez por ano na cidade de Villa de Leyva, na Colômbia, mobilizados pela difusão da “cultura científica, o intercâmbio de conhecimentos e a compreensão do lugar que as pessoas ocupam no Universo”, diz o comunicado de imprensa do festival realizado em fevereiro deste ano. 

Organizado pela Associação Astronômica da Colômbia (Asasac, na sigla em espanhol), a edição deste ano foi uma homenagem às mulheres colombianas na astronomia, com o objetivo de inspirar meninas e mulheres jovens a se envolverem no estudo das estrelas e das ciências espaciais.

(Artigo relacionado: 3 mulheres latino-americanas que deixaram marcas na ciência)

Capital nacional do turismo astronômico na Argentina

Vista do céu em Famatina, La Pampa, Argentina.

Vista do céu em Famatina, La Pampa, Argentina.

Foto de ANDREA STEVENS

A Ruta Natural, uma organização dedicada à promoção do turismo na Argentina, indica a província de San Juan como a capital nacional do astro-turismo argentino. O local é reconhecido por ter destinos únicos para observação cósmica. 

Como exemplos, a organização cita o Parque Nacional El Leoncito, onde se encontram a Estação Astronômica Carlos Ulrico Cesco e o Complexo Astronômico Leoncito. O parque é caracterizado pela qualidade e limpeza de seus céus. Além dele, a Ruta também indica a visita ao Observatório Félix de Aguilar, cujos telescópios e museus exclusivos estão atualmente abertos ao público, e aos mirantes astronômicos localizados no meio da natureza de diferentes colinas da província, como Siete Colores, Colorado e Alkazar. 

Entretanto, existem outros lugares no país para observar o céu, como o Observatório Ampimpa, na província de Tucumán, 2500 metros acima do nível do mar, ou o Cerro Uritorco, na província de Córdoba, famoso pelos avistamentos de Ovnis. 

A rota das estrelas no Brasil

O Brasil tem uma ligação íntima com a astronomia logo a partir de sua bandeira, em que as 27 estrelas que simbolizam o número de unidades da Federação do país estão alinhadas de forma a imitar o céu noturno acima do Rio de Janeiro, conforme explica Clauber Alex Vieira, doutor em física pela Universidade de Brasília (UnB), em artigo publicado pelo Ministério do Turismo do Brasil, em 2023.

Devido à localização geográfica, o céu brasileiro é ideal para contemplar constelações como a Cruzeiro do Sul, a Caixa de Joias, as Nuvens de Magalhães e até mesmo o aglomerado Omega Centauri. Entre as melhores cidades brasileiras para observar os céus estrelados, o ministério indica Caraíva, na Bahia, Atibaia, em São Paulo, Paranaguá, no Paraná, Novo Hamburgo, no Rio de Janeiro, e Itajubá, em Minas Gerais. 

Observatórios astronômicos no Chile

A Via Láctea forma um arco neste panorama de 360 ​​graus do céu noturno no Cerro ...

A Via Láctea forma um arco neste panorama de 360 ​​graus do céu noturno no Cerro Paranal, Chile.

Foto de ESA

O Ministério das Relações Exteriores do Chile destaca que o país conta com uma média de 290 noites claras por ano, o que permite aos profissionais da astronomia estudar o céu como uma janela para o Universo, especialmente no norte do Chile. 

Segundo o documento publicado em 2020 pelo governo chileno, o país busca posicionar-se como um polo de turismo espacial em escala global. O país conta com um dos telescópios de vanguarda mais importantes do mundo: o Observatório Paranal, localizado no deserto do Atacama e operado pelo Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês). 

Além do Paranal, as regiões chilenas de Antofagasta e Bío Bío contém 21 observatórios científicos e 24 voltados para o turismo astronômico. Além disso, o Observatório Mamulluca, na cidade de Vicuña, foi um dos primeiros locais científicos a abrir suas portas para o turismo astronômico. 

Astroturismo no Equador

No Equador, o cantão de Pallatanga, localizado na província de Chimborazo, é um destino turístico único. Isso porque ele fica a 1200 metros acima do nível do mar, e seus campos abertos em altitudes elevadas em áreas montanhosas possibilitam uma ótima observação do céu noturno. 

Essas características fazem do cantão, segundo o Ministério do Turismo do Equador, uma atração para as pessoas que procuram praticar turismo astronômico, fotografar as estrelas a céu aberto ou observar chuvas de meteoros. 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados