Raríssimo louva-a-deus dragão brasileiro é filmado na Mata Atlântica

O inseto, que parece uma folha, é um mestre do disfarce e foi recentemente descoberto na Reserva Ecológica de Guapiaçu.quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Conheça este incrível louva-a-deus dragão
Conheça este incrível louva-a-deus dragão
Apoiados pela National Geographic Society, os exploradores do Projeto Mantis apresentam imagens que mostram o comportamento do inseto brasileiro.

Ele pode não ser uma cópia exata dos dragões de Game of Thrones, do Hobbit ou do Shrek, mas o louva-a-deus dragão brasileiro também tem seu charme, isso é, se você conseguir vê-lo.

Com uma camuflagem esquisita, tanto em forma quanto em comportamento, o louva-a-deus dragão, com seus apêndices que parecem folhas e movimentos cambaleantes, parece um galho balançando.

Normalmente, ele se esconde facilmente à vista entre a folhagem densa da Mata Atlântica – mas um grupo de pesquisadores com olhos afiados capturou recentemente o louva-a-deus dragão e gravou um vídeo raro de seu magnífico disfarce na Reserva Ecológica de Guapiaçu.

"Nós ficamos realmente surpresos, já que esse louva-a-deus é considerado lendário entre especialistas", diz Leonardo Lanna, pesquisador do Projeto Mantis que liderou a expedição para encontrar o Stenophylla cornigera. 

“Tínhamos uma lista com os louva-a-deus que gostaríamos de encontrar durante a expedição, e o Stenophylla estava em primeiro lugar.”

EMBAIXADORES ENCANTADORES

Recentemente reclassificado e agrupado em uma família separada, Stenophylla cornigera é raro mesmo entre os louva-a-deus, cujo alcance e números não são bem registrados em florestas densas. Na verdade, diz Lanna, as três espécies do gênero Stenophylla são mais conhecidas por coleções de museus.

“Ver um ao vivo é algo que poucas pessoas fizeram", diz Lanna, que recebeu financiamento para sua expedição da National Geographic Society.

Em dezembro de 2017, Lanna e seus colegas do Projeto Mantis entraram na Mata Atlântica para encontrar e estudar louva-a-deus novos, raros ou historicamente não documentados.

Os cientistas suspeitam que as espécies de louva-a-deus possam ser ideais para estudar os impulsos da evolução dos insetos. Além disso, sabe-se tão pouco sobre o louva-a-deus que seu papel ecológico é em grande parte um mistério.

Essa pesquisa é urgente, pois o desmatamento está destruindo rapidamente um dos biomas mais ricos e ameaçados.

"Os louva-a-deus são insetos charmosos e inofensivos", diz Lanna. "Eles são como embaixadores, essenciais para quebrar a barreira que a maioria das pessoas tem com relação a insetos e o mundo pequeno."

Uma noite, enquanto buscava esses carnívoros, Lanna e seus colegas não encontraram apenas um, mas dois louva-a-deus dragão macho. Os insetos haviam voado em direção a suas armadilhas de luz, que atraem insetos ao fazer exatamente o que o nome sugere.

"Não podíamos acreditar nos nossos olhos", diz ele. "Agora, temos certeza de que, como a maioria dos louva-a-deus, os machos adultos são insetos que voam a noite e se guiam pela Lua."

MESTRES DO DISFARCE

Além desse truque de voar pela luz da lua, alguns louva-a-deus também podem sobreviver a uma refeição de lagartas venenosas e beber uma seiva de papaia que é normalmente venenosa para outros insetos.

E eles são conhecidos por serem maravilhosamente camuflados. Mas a verdade é que, além de suas formas e cores, os louva-a-deus também se camuflam pelo comportamento – muitos usarão um andar trôpego para quebrar o que de outra forma seria um "padrão fluido de movimento através da vegetação", diz Gavin Svenson, entomologista do Museu de História Natural de Cleveland.

Isso significa que o movimento aparentemente inebriado do Stenophylla cornigera é, na verdade, uma estratégia que foi ajustada por anos de evolução. Onde o louva-a-deus dragão difere de seus parentes, porém, está na colocação de suas pernas dianteiras grandes, que permanecem enroladas perto da cabeça do inseto e alinhadas perpendicularmente. (Veja fotos da camuflagem incrível do insetos.)

"Até agora, isso é exclusivo desse gênero de louva-a-deus e o vídeo mostra bem isso", diz Svenson. "Eu não ouvi uma razão convincente sobre por que eles fazem isso além de melhorar a camuflagem".

"Eles podem ser raros devido aos seus números", acrescenta, "mas também é possível que simplesmente não os vejamos muitas vezes porque são difíceis de encontrar".

CAMUFLAGEM NO MUNDO ANIMAL

Continuar a Ler