h_21.00326754

Por que nunca é tarde demais para aprender um idioma quando adulto

A antiga ideia de que o aprendizado de idiomas é melhor antes da idade adulta está em debate. Os adultos têm uma série de vantagens quando se trata de aprender um segundo idioma, e isso traz grandes benefícios.

Uma intérprete chinesa trabalha nas Nações Unidas em Genebra, na Suíça. Para falantes nativos de inglês, o mandarim pode ser um dos idiomas mais difíceis de aprender, levando cerca de 88 semanas com prática intensiva, em comparação com 24 a 30 semanas para aprender idiomas como espanhol ou francês.

Foto de Mark Henley, Panos Pictures, Redux
Por Tatyana Woodall
Publicado 9 de jul. de 2024, 12:00 BRT

Para quem deseja aprender um novo idioma, o processo pode parecer assustador, especialmente quando se é adulto. Há muito tempo, acredita-se que quanto mais cedo você aprende novas habilidades, mais fácil é aprendê-las. 

A ideia de que a idade pode desempenhar um papel importante na capacidade de aprendizado de idiomas de uma pessoa é um dos motivos pelos quais a primeira infância já foi considerada a melhor época para introduzir um segundo idioma. Mas o fato de isso ser verdade tem sido muito debatido na comunidade científica. 

Infelizmente, a ideia ajudou a perpetuar a dúvida sobre a capacidade dos indivíduos mais velhos de se adaptarem rapidamente a uma nova gramáticasintaxe e semântica, impedindo o surgimento de muitos poliglotas em potencial. 

Um órgão complexo capaz de evoluir constantemente, o cérebro humano tem potencial para maior aprendizado após a puberdade, segundo pesquisas – adultos e crianças simplesmente absorvem e aprendem coisas de forma diferente. 

"As pesquisas dizem que os adultos aprendem melhor em tudo porque temos muita autorregulação e somos muito determinados quando queremos aprender algo", afirma Lourdes Ortega, professora de linguística da Universidade de Georgetown, nos Estado Unidos, que fala quatro idiomas. "Adultos de todo o mundo chegam a diferentes proficiências, fluências, capacidades para o que querem fazer com o idioma, mas não há limite para isso."

As pessoas que conseguem se comunicar fora de sua língua materna também experimentam uma série de benefícios cognitivos, sugerindo que pode valer a pena expandir seus horizontes verbais. 

(Você pode se interessar: O que acontece com o corpo humano no espaço? Conheça os 5 efeitos que os astronautas podem sentir)

O que é necessário para aprender um segundo idioma


De acordo com o U.S. Census Bureausomente 20% da população dos Estados Unidos fala outro idioma além do inglês, em comparação com 59% dos europeus que falam pelo menos uma segunda língua, ilustrando como diferentes regiões valorizam o aprendizado de idiomas.  

No entanto, Ortega, que é especialista em como as pessoas aprendem novos idiomas depois da infância, diz que fatores além da idade, como a imersão, fazem uma diferença maior no sucesso do aprendizado de idiomas. "Sem [a] oportunidade de ser exposto ao idioma, não há aprendizado que possa ocorrer, seja cedo ou tarde", diz ela. 

Para a maioria, pode levar anos para atingir a proficiência em um idioma estrangeiro, conta Ortega. De acordo com o Foreign Service Institute (FSI), fatores como a habilidade natural de uma pessoa, sua experiência linguística anterior e a consistência de suas aulas afetam o processo de aprendizado de idiomas.  

FSI diz que os idiomas que os falantes nativos de inglês considerariam semelhantes aos seus, como o espanhol ou o francês, podem ser ensinados com relativa rapidez em cerca de 24 a 30 semanas. Por outro lado, idiomas com diferenças culturais significativas em relação ao inglês, como o grego ou o russo, levarão cerca de 44 semanas. O tempo de aprendizado pode dobrar para idiomas considerados excepcionalmente difíceis, como o árabe ou o mandarim

Essas estimativas refletem um modelo de estudo rigoroso, com um número dedicado de horas de prática durante vários dias por semana, diz Ortega. É impossível e improvável esperar que uma pessoa siga um cronograma tão rigoroso por conta própria, especialmente porque o surgimento de aplicativos de aprendizado de idiomas, como BabbelDuolingo, ampliou a acessibilidade ao ensino de idiomas estrangeiros, permitindo que as pessoas tenham tempo e confiança para atingir determinados objetivos em seu próprio ritmo

"Ninguém pode aprender, como adulto, um novo idioma se não gostar dele e se não o tornar parte de sua vida", explica Ortega. "Em teoria, é uma coisa ótima, mas você precisa ter motivos para isso e tempo para investir [nisso]."

Dito isso, crianças e adultos têm seus próprios pontos fortes e fracos quando se trata de compreender novas conexões. As crianças tendem a aprender novos idiomas mais intuitivamente, podem ter mais oportunidades de brincar e experimentar novos idiomas e podem ser forçadas a se adaptar sem a ajuda de aplicativos de tradução ou outros recursos. Os adultos podem empregar estratégias personalizadas para aprimorar sua experiência de aprendizado de idiomas, como criar seus próprios sistemas de memorização ou técnicas de visualização. 

Ainda assim, Joshua Hartshorne, professor associado de pesquisa do MGH Institute of Health Professions, diz que os cientistas estão descobrindo que há muito mais coisas acontecendo em idades nas quais não se pensava antes. 

"As pessoas supunham que, em quatro ou cinco anos, você não conseguiria ser tão bom em um novo idioma", diz Hartshorne. "O que vimos foi que, na verdade, as pessoas continuam aprendendo por cerca de 30 anos e continuarão melhorando."

Como uma segunda língua alimenta a mente


Cada vez mais, as gerações mais longevas estão buscando melhorar sua saúde cognitiva e sua vida social, e a crescente demanda por aprender outro idioma rapidamente provou ser uma ótima maneira de conseguir isso. 

"Há todos os tipos de benefícios cognitivos de ser bilíngue", afirma Boaz Keysar, professor de psicologia da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos. "Quanto mais idiomas você aprende, mais você percebe a importância dos idiomas para a nossa vida. Nós o tomamos como garantido."

Para adultos mais velhos, os possíveis benefícios incluem um aumento na retenção da memória e a obtenção de um vocabulário mais amplo. Além disso, muitos estudos sugerem que aprender outro idioma na idade adulta pode até mesmo ajudar a evitar a demência. O aprendizado de idiomas permite que os alunos se tornem pensadores mais flexíveis, diz Keysar.

"Você está mais disposto a correr riscos quando usa uma língua estrangeira", diz ele. "As palavras não se conectam tanto às suas emoções." Além disso, as pessoas multilíngues são melhores na tomada de perspectiva, o que significa que elas estão mais sintonizadas com a intenção do falante, explica Keysar. Essa é uma habilidade que permite uma interação social transcultural mais tranquila e outra faceta da linguagem para a qual os adultos parecem estar mais bem equipados. 

Apesar de o vínculo com o idioma ser uma ferramenta fantástica para expandir a rede social de uma pessoa, ainda faltam pesquisas sobre os desafios que os adultos mais velhos enfrentam ao tentar aprender um novo idioma.

De acordo com um estudo de 2019, que investigou as dificuldades que eles podem enfrentar em salas de aula, os idosos podem se ver forçados a usar livros didáticos que não levam em conta suas necessidades, como aqueles que utilizam exemplos e atividades que podem ser muito infantis ou inadequados para que eles levem a sério – e relutam em falar para evitar cometer erros.

No entanto, descobrir e aprender um idioma diferente do seu pode ser muito gratificante. A melhor maneira de colher a maior parte dessas recompensas é começar hoje mesmo. 

"Seria maravilhoso se as pessoas fossem mais abertas à ideia de que isso pode trazer muita riqueza para sua vida", diz Ortega. "Se nada mais acontecer, não tente apenas um idioma, tente pelo menos dois, porque cada um deles é muito diferente."

mais populares

    veja mais
    loading

    Descubra Nat Geo

    • Animais
    • Meio ambiente
    • História
    • Ciência
    • Viagem
    • Fotografia
    • Espaço
    • Vídeo

    Sobre nós

    Inscrição

    • Assine a newsletter
    • Disney+

    Siga-nos

    Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados