Renault

Paris está se tornando elétrica. Que tal ter uma nova perspectiva da cidade com um passeio de carro elétrico?

With its sights set on banning fossil fuel cars by 2030, Paris is embracing electric vehicles — and you can take one for a spin around the capital’s landmarks.

A cidade de Paris planeja proibir os veículos a combustíveis fósseis até 2030. Portanto, juntamente com os ônibus elétricos e bicicletas, os carros elétricos estão se tornando um meio de transporte mais popular.

Foto de 4 Roues Sous 1 Parapluie
Por Georgia Stephens
Publicado 2 de jul. de 2024, 17:00 BRT

Os carros antigos, com motores antigos, normalmente têm muito a dizer: eles fazem barulho nas curvas, nas subidas e continuam a murmurar mesmo quando param. Mas este carro não é como os outros, ele tem história: o Renault 4L branco e azul, que saiu da fábrica em 1955, deveria ser tão falante quanto os outros de sua espécie. No entanto, tudo o que consigo ouvir quando paramos em um semáforo vermelho no 8º arrondissement de Paris, na França, são as ondas do rádio francês, soprando pelo teto solar com a brisa. Afinal, é uma versão moderna e elétrica desse carro.

O motor do carro elétrico soa como uma nave espacial sendo ligada – há um zumbido elétrico que se torna cada vez mais agudo. E então estamos indo embora, acelerando sobre os paralelepípedos. "Ele é surpreendentemente potente", afirma o motorista Renaud Garza com uma risada por baixo de seu boné. "Com a bateria, posso dirigir a cerca de 75 mph."

(Você pode se interessar: Quantos países existem em toda a Europa?)

Paris busca ser neutra de carbono até 2050


Cada vez mais, as ruas de Paris estão se tornando elétricas. Como o nosso Renault 4L, os carros movidos a bateria se tornaram mais populares na última década, juntamente com um crescente número de ônibus elétricosbicicletas. Tudo isso faz parte dos planos da cidade de proibir todos os veículos movidos a combustível fóssil até 2030, em preparação para se tornar neutra em carbono até 2050

Nos últimos anos, as autoridades criaram incentivos para impulsionar o uso de veículos elétricos, como o esquema de leasing que teve de ser eliminado precocemente devido à grande aceitação. A infraestrutura também está sendo atualizada, com pontos de recarga surgindo em Paris em intervalos cada vez mais regulares e uma estrada eletrificada experimental, que pode carregar os carros enquanto eles dirigem, em construção nas proximidades.

Renaud normalmente dirige uma frota de Citroën 2CVs a gasolina entre os principais pontos turísticos de Paris para sua empresa de turismo. Mas, nos últimos anos, eles adicionaram uma versão elétrica para o Renault 4L. Ambos têm baterias adaptadas e especialmente projetadas.

Quem está se programando para visitar Paris para acompanhar as Olimpíadas de 2024 ou somente para curtir as belezas da cidade em breve, pode aproveitar a novidade e fazer passeios em carros elétricos. É possível ainda contribuir utilizando os ônibus elétricos ou andando de bicicleta, entrando assim no clima da nova fase da cidade.

A tradição local diz que quando a Torre Eiffel foi erguida pela primeira vez em 1889, os parisienses a achavam feia. Agora, ela será a peça central da cerimônia de abertura das Olimpíadas de 2024.

Foto de Jonathan Stokes

"Prepare-se pois estou prestes a dirigir no lugar mais perigoso de Paris", fala o motorista e guia turístico Renaud do banco da frente enquanto nos aproximamos do Arco do Triunfo, o som das sirenes ficando cada vez mais alto à medida que o tráfego aumenta. Aqui, 12 ruas principais, incluindo a famosa Champs-Élysées, convergem em uma grande rotatória de oito pistas com o arco de alabastro em seu centro, com os veículos circulando incessantemente como planetas ao redor do sol. "Os franceses inventaram a rotatória", diz Renaud com um aceno de cabeça orgulhoso. A Etoile, como é conhecida, é a orgulhosa mãe de todas elas.

Viramos à direita em uma rua sombreada, ladeada por plátanos, passamos por cafés repletos de homens engravatados almoçando sob guarda-sóis dourados e atravessamos uma ponte sobre o rio Sena para ver nossa próxima parada perfurando o céu. "A Torre Eiffel foi construída como a peça central da Feira Mundial de 1889", explica Renaud enquanto nos aproximamos da torre icônica. "Os parisienses não gostaram dela na época – eles tinham acabado de terminar a cidade com vários monumentos bonitos e, então, apareceu essa. Era feio, muito industrial. Mas era útil como uma torre de rádio, então eles a mantiveram."

Em breve, estaremos perto o suficiente para ver sua estrutura de ferro ornamentada e a mecânica do elevador, com as engrenagens girando lentamente. O jardim ao redor está fechado, em processo de preparação para seu papel principal na cerimônia de abertura das Olimpíadas 2024 — os atletas viajarão em barcos por mais de 9 km pelo rio Sena antes de parar na Torre Eiffel. 

Já se passaram 100 anos desde que Paris sediou os Jogos Olímpicos pela última vez, em 1924, e a torre foi repintada de dourado – para ficar mais próxima da cor originalmente escolhida por seu criador Gustave Eiffel – para marcar a ocasião. "Os franceses são muito orgulhosos, é verdade", comenta Renaud enquanto damos outra volta no carro elétrico que simboliza as mudanças da cidade em busca de ser mais livre de carbono. "Queremos impressionar o mundo."

mais populares

    veja mais

    Publicado na edição de junho de 2024 da National Geographic Traveller (Reino Unido).
     

    mais populares

      veja mais
      loading

      Descubra Nat Geo

      • Animais
      • Meio ambiente
      • História
      • Ciência
      • Viagem
      • Fotografia
      • Espaço
      • Vídeo

      Sobre nós

      Inscrição

      • Assine a newsletter
      • Disney+

      Siga-nos

      Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados