Cinco curiosidades sobre Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar

Descubra mais sobre o planeta conhecido como o gêmeo da Terra. Como é sua estrutura e superfície?

Visão da Voyager da Grande Mancha Vermelha, uma enorme área de alta pressão em Júpiter.

Foto de NASA
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 17 de jan. de 2023, 11:45 BRT, Atualizado 17 de jan. de 2023, 13:16 BRT

Júpiter é um dos oito planetas do Sistema Solar. De acordo com a Nasa, o corpo tem mais que o dobro da massa de todos os outros planetas combinados e, com isso, é o maior do sistema planetário.

As conhecidas listras de Júpiter, na verdade, são nuvens frias e ventosas de amônia e água, que flutuam sob a atmosfera formada por hidrogênio e hélio, explica a agência espacial norte-americana.

Essas são apenas os detalhes mais simples sobre o planeta. Veja outras cinco curiosidades interessantes sobre Júpiter, conforme a Nasa:

1. Júpiter tem 80 luas – algumas sem nome!

Júpiter forma uma espécie de sistema solar em miniatura. Ao redor dele, há 80 luas: 57 delas já receberam nomes oficiais da União Astronômica Internacional (UAI), e outras 23 ainda aguardam nomenclatura. 

O astrônomo Galileu Galilei observou, pela primeira vez, as quatro maiores luas de Júpiter – Io, Europa, Ganimedes e Calisto – em 1610, usando uma versão inicial do telescópio. Elas são conhecidas até hoje como satélites da Galileia e possuem detalhes curiosos: Io é um corpo vulcanicamente ativo e Ganimedes é a maior lua do Sistema Solar (ainda maior que o planeta Mercúrio).

Visão do Telescópio Espacial Hubble de duas tempestades jovianas em forma de olho em Júpiter.

Visão do Telescópio Espacial Hubble de duas tempestades jovianas em forma de olho em Júpiter.

Foto de NASA

3. Júpiter tem o dia mais curto do Sistema Solar

Júpiter possui o dia mais curto do Sistema Solar: ele leva apenas cerca de 10 horas para girar uma volta completa – 14 horas mais rápido do que a rotação média da Terra. Em contraponto, Júpiter faz uma órbita completa ao redor do Sol em cerca de 12 anos terrestres.

4. Júpiter é conhecido há mais de 3 séculos

As primeiras observações detalhadas de Júpiter foram feitas por Galileu Galilei, em 1610, com um pequeno telescópio. Na mesma investigação, ele encontrou luas e outros corpos orbitando ao redor do gigante gasoso.

Desde a década de 1970, várias sondas e naves foram enviadas para a região de Júpiter. A mais recente delas, a espaçonave Juno da Nasa, chegou ao planeta em julho de 2016, e segue atualmente estudando o planeta gigante em órbita.

(Conteúdo relacionado: Por que a Lua afeta o estado do mar)

5. Júpiter tem tempestades constantes

 A atmosfera de Júpiter é agitada por dezenas de tempestades, ciclones e nuvens carregadas. Dados da nave Juno, da Nasa, apontam que as tempestades são frequentes e se estendem por mais de 350 quilômetros. 

A movimentação das nuvens é diferente conforme os hemisférios do planeta. Os ciclones giram em sentido anti-horário no hemisfério norte, enquanto no sul seguem o sentido horário. Já os anticiclones giram em sentido horário no hemisfério norte e anti-horário no sul, e exibem cores e formas bastante diferentes.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados