Cinco curiosidades sobre Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar

Descubra mais sobre o planeta conhecido como o gêmeo da Terra. Como é sua estrutura e superfície?

Visão da Voyager da Grande Mancha Vermelha, uma enorme área de alta pressão em Júpiter.

Foto de NASA
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 17 de jan. de 2023 11:45 BRT, Atualizado 17 de jan. de 2023 13:16 BRT

Júpiter é um dos oito planetas do Sistema Solar. De acordo com a Nasa, o corpo tem mais que o dobro da massa de todos os outros planetas combinados e, com isso, é o maior do sistema planetário.

As conhecidas listras de Júpiter, na verdade, são nuvens frias e ventosas de amônia e água, que flutuam sob a atmosfera formada por hidrogênio e hélio, explica a agência espacial norte-americana.

Essas são apenas os detalhes mais simples sobre o planeta. Veja outras cinco curiosidades interessantes sobre Júpiter, conforme a Nasa:

1. Júpiter tem 80 luas – algumas sem nome!

Júpiter forma uma espécie de sistema solar em miniatura. Ao redor dele, há 80 luas: 57 delas já receberam nomes oficiais da União Astronômica Internacional (UAI), e outras 23 ainda aguardam nomenclatura. 

O astrônomo Galileu Galilei observou, pela primeira vez, as quatro maiores luas de Júpiter – Io, Europa, Ganimedes e Calisto – em 1610, usando uma versão inicial do telescópio. Elas são conhecidas até hoje como satélites da Galileia e possuem detalhes curiosos: Io é um corpo vulcanicamente ativo e Ganimedes é a maior lua do Sistema Solar (ainda maior que o planeta Mercúrio).

Visão do Telescópio Espacial Hubble de duas tempestades jovianas em forma de olho em Júpiter.

Foto de NASA

3. Júpiter tem o dia mais curto do Sistema Solar

Júpiter possui o dia mais curto do Sistema Solar: ele leva apenas cerca de 10 horas para girar uma volta completa – 14 horas mais rápido do que a rotação média da Terra. Em contraponto, Júpiter faz uma órbita completa ao redor do Sol em cerca de 12 anos terrestres.

4. Júpiter é conhecido há mais de 3 séculos

As primeiras observações detalhadas de Júpiter foram feitas por Galileu Galilei, em 1610, com um pequeno telescópio. Na mesma investigação, ele encontrou luas e outros corpos orbitando ao redor do gigante gasoso.

Desde a década de 1970, várias sondas e naves foram enviadas para a região de Júpiter. A mais recente delas, a espaçonave Juno da Nasa, chegou ao planeta em julho de 2016, e segue atualmente estudando o planeta gigante em órbita.

(Conteúdo relacionado: Por que a Lua afeta o estado do mar)

5. Júpiter tem tempestades constantes

 A atmosfera de Júpiter é agitada por dezenas de tempestades, ciclones e nuvens carregadas. Dados da nave Juno, da Nasa, apontam que as tempestades são frequentes e se estendem por mais de 350 quilômetros. 

A movimentação das nuvens é diferente conforme os hemisférios do planeta. Os ciclones giram em sentido anti-horário no hemisfério norte, enquanto no sul seguem o sentido horário. Já os anticiclones giram em sentido horário no hemisfério norte e anti-horário no sul, e exibem cores e formas bastante diferentes.

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Espaço
Oposição dos planetas: o que é e quando o fenômeno pode ser observado no céu?
Espaço
Telescópio Espacial James Webb da Nasa descobre um planeta do tamanho da Terra
Espaço
Ano Novo: quais são os primeiros e os últimos países a celebrá-lo
Espaço
Tudo o que você não sabia sobre Vênus
Espaço
9 fatos que você não sabia sobre Urano

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados