Onde fica o Iêmen no mapa global?

Um dos países mais pobres do Oriente Médio, o Iêmen está bem no caminho de uma importante rota comercial marítima para o mundo, mas enfrenta há anos uma violenta guerra civil.

Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 12 de jan. de 2024, 16:03 BRT
Vista dos edifícios altos feitos de tijolos em Shibam, no Iêmen.

Vista dos edifícios altos feitos de tijolos em Shibam, no Iêmen. 

Foto de Moises Saman

Montanhoso e de clima áridoo Iêmen está situado no canto sudoeste da Península Arábica, fazendo fronteira com Arábia Saudita e Omã. Também fica diante do Mar Vermelho a oeste, e é banhado pelo Golfo de Áden e pelo Mar da Arábia. 

Com a maioria de seus habitantes sendo muçulmanos (o que faz do islamismo a religião oficial do país), os habitantes do Iêmen falam vários dialetos árabes e são majoritariamente agricultores de subsistência, como explica a Encyclopedia Britannica (plataforma de conhecimento e educação do Reino Unido). 

Mas apesar da localização estratégica para o comércio internacional, e de possuir jazidas de petróleoo Iêmen é uma das   nações árabes mais pobres do Oriente Médio –  e seus mais de 23 milhões de habitantes enfrentam uma guerra civil desde 2014.  

Atualmente, o Iêmen também sofre com ataques do grupo rebelde houthi ao estreito de ​​Bab al-Mandeb, no Mar Vermelho, local de rota marítima comercial para o mundo todo. 

O Iêmen no mapa:  fronteiras com Arábia Saudita, Omã e os Mares Vermelho e Arábe. 

Foto de Google Maps

Como foi criado o Iêmen atual

Encyclopedia Britannica explica que por sua proximidade com o Mar Vermelho, os antigos estados geograficamente localizados nessa parte da Península Arábica controlavam o comércio marítimo para a Ásia e o fornecimento de mercadorias como mirra, incenso e especiarias, entre outros itens. 

Diversos reinos existiram nessa região, que também foi a primeira do mundo a ter um cultivo e comércio de café (o café árabe) antes que ele chegasse a outros continentes do planeta, diz a Britannica

A plataforma explica ainda que a atual República do Iêmen surgiu em 1990, quando a República Árabe do Iêmen (Iêmen do Nortese fundiu com a República Democrática Popular do Iêmen (Iêmen do Sul). Neste acordo, Sanaa, que um dia foi capital do Iêmen do Norte, se tornou a capital política do novo país, enquanto Aden, outra cidade antiga e principal metrópole do do Iêmen do Sul, se tornou o centro econômico do país. 

Na história do Iêmen há ainda um período em que parte de seu território – correspondente ao Iêmen do Sul – integrou o Império Britânico entre os anos de 1839 a 1967. O Iêmen como se conhece hoje é resultado de ações e acordos entre a Grã-Bretanhao Império Otomano e da Arábia Saudita, diz a plataforma de ensino. 

Soldados em formação na cidade de Sanaa, no Iêmen.

Foto de Stéphanie Sinclair

(Talvez você se interesse por: Galeria: Na guerra do Iêmen, uma fotógrafa encontra pontos de luz na escuridão)

Uma guerra civil no Iêmen acontece desde 2014

Chamado pela imprensa de “a guerra esquecida”, o conflito armado do Iêmen teve início em 2014 e acabou sendo consequência de manifestações populares da Primavera Árabe, que atingiram diversos países da região em 2011 – como o Egito e o próprio Iêmen, informa a Britannica.

Em decorrência desses protestos, o então presidente na época, Ali Abdullah Saleh, saiu do poder deixando-o nas mãos de seu vice, Abdrabbuh Mansour Hadi, que de fato não conseguiu governar, como explica um artigo da BBC Brasil sobre o tema. 

Diante de ataques do grupo terrorista Al-Qaedamovimentos separatistas no sul do país, insegurança alimentar causada pelo conflito e uma queda de braço com militares que ainda seguiam o antigo mandatário, a instabilidade política no Iêmen levou o grupo rebelde houthi ao poder em parte do país. Opositores de Abdullah Saleh há anos, eles defendem a minoria xiita zaidi do Iêmen e contam com apoio do Irã, que financia o grupo, como explica um artigo da National Geographic Estados Unidos “Por que o Iêmen e o Estreito do Mar Vermelho são essenciais para o transporte marítimo global”.

No final de 2023, os houthis anunciaram que atacariam navios em Bab al-Mandeb em apoio ao Hamas, que também é apoiado pelo Irã, e atualmente trava uma guerra na Faixa de Gaza com Israel, como informa também o artigo.

Iêmen, um dos países com maior número de refugiados no mundo 

Já de acordo com a ACNURa agência para refugiados da ONU (Organização das Nações Unidas), o Iêmen enfrenta uma das piores crises humanitárias do mundo, na qual, desde 2015, mais de 93% de sua população está em estado de extrema vulnerabilidade

Mais de 3,6 milhões de iemenitas são refugiados dentro de seu próprio país após perderem casa, trabalho e sofrerem com ataques a bombas e outros tipos de violência.

 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados