O veneno do sapo bufo: como age o potente alucinógeno produzido por esse anfíbio

A espécie da América do Norte produz uma substância psicoativa de ação rápida em humanos e, por isso, seu veneno tem sido usado de rituais religiosos a tratamentos para transtornos mentais.

Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 29 de mai. de 2023, 15:54 BRT

Ilustração de três sapos do rio Colorado (Bufo alvarius).

Arte de HASHIME MURAYAMA

O sapo da espécie Incilius alvarius, também conhecido como sapo bufo alvarius ou sapo do Rio Colorado (ou ainda sapo do Deserto de Sonora), é encontrado nos Estados Unidos e no México e se tornou popular nos últimos anos devido às características psicoativas das substâncias de seu veneno. Quem explica mais sobre a espécie é um artigo do Instituto Butantan publicado em 2022 no site oficial da instituição. 

O uso da toxina, segundo o Butantan – instituição brasileira de pesquisa que é a maior produtora de vacinas e soros contra venenos de animais peçonhentos da América Latina –, tem sido motivado por fins recreativos e em rituais de cunho religioso para tratar transtornos mentais com a finalidade de ajudar no tratamento de depressão e ansiedade. 

Segundo a instituição, o tão cobiçado veneno é liberado quando o animal se sente ameaçado e acontece a partir da pressão nas glândulas de sua pele (que pode acontecer quando um predador o abocanha o aperta). Para o uso, o veneno bruto é seco para ser consumido como fumo ou por injeções intravenosas. 

Apesar dessa prática estar se tornando frequente, o Butantan alerta que as substâncias presentes no veneno podem trazer perigos à saúde humana e a coleta da espécie para este fim – geralmente ilegal – pode empurrá-lo para entrar na lista de animais ameaçados de extinção. Hoje, de acordo com a classificação da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), a espécie Incilius alvarius está na categoria de ameaça menos preocupante. 

Qual a principal substância do veneno do sapo bufo alvarius?

O princípio psicoativo do veneno do sapo bufo é ocasionado principalmente pela presença de uma substância chamada 5-MeO-DMT, (5-metoxi-N, N-dimetiltriptamina ou O-metil-bufotenina). 

Em baixas concentrações, a substância também está presente em uma variedade de plantas, arbustos e sementes, como os rapés sul-americanos Virola sebifera e em ingredientes da bebida ayahuasca, segundo explica o documento “Domínio Epidemiologia: Efeitos e riscos das novas Substâncias Psicoativas em circulação no país”, elaborado pelo Ministério da Cidadania do Brasil.

Considerado um agente psicodélico, o 5-MeO-DMT é da classe das triptaminas de ocorrência natural – assim como a psilocina e a psilocibina presentes nos “cogumelos mágicos”, informa o documento do ministério. 

No Brasil, o uso médico e recreativo da substância é proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O mesmo ocorre em outros países, como nos Estados Unidos, em que o alucinógeno do sapo bufo é classificado – assim como a heroína – como uma substância que apresenta falta de segurança para uso sob supervisão médica e alto potencial de abuso de acordo com a Lei de Substâncias Controladas (CSA, na sigla em inglês) do país. 

Quais são os efeitos do veneno do sapo bufo no organismo humano? 

O documento apresentado pelo ministério brasileiro informa que o 5-MeO-DMT é um alucinógeno potente, de ação rápida e de curta duração em humanos. Os efeitos começam entre três a quatro minutos depois da ingestão, atingem o pico em cerca de 35 a 40 minutos e terminam depois de uma hora. 

Os efeitos são semelhantes aos de outros psicodélicos de triptamina, como o presente nos cogumelos, e podem incluir distorções na percepção visual, auditiva e temporal, experiências emocionais e comprometimento da memória. Além disso, o veneno do sapo bufo pode levar a uma amplificação de estados emocionais e sentimentos de dissolução do ego, informa o artigo do Butantan. 

O documento ressalta que entre os efeitos conhecidos relacionados à substância também estão: 

  • Medo;
  • Tristeza; 
  • Ansiedade; 
  • Confusão; 
  • Fadiga;
  • Choro; 
  • Paranoia; 
  • Tremores; 
  • Vômitos; 
  • Náusea; 
  • Dor de cabeça; 
  • Pressão no peito ou abdômen;  
  • Perda da percepção corporal. 

O veneno sapo bufo pode ser usado para tratamentos de saúde mental?

Nos últimos anos, ainda de acordo com o informe brasileiro, estudos científicos apontam o 5-MeO-DMT como útil no tratamento de condições de saúde mental quando em combinação com terapias psicológicas. 

Por exemplo, uma pesquisa realizada pelo Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), uma instituição sem fins lucrativos que visa promover o ensino e o conhecimento científico na área de saúde, em parceria com cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), foi a primeira a mostrar que o 5-Meo-DMT mexe com mais de mil proteínas no tecido cerebral humano vivo. 

A pesquisa, publicada na revista científica Journal of Neurochemistry em 2022, sugere que uma única exposição ao 5-MeO-DMT pode causar reduções rápidas e sustentadas nos sintomas de depressão, ansiedade e estresse. Além disso, o trabalho também indica que a substância estimula a função neuroendócrina, imunorregulação e processos anti-inflamatórios no cérebro, o que pode contribuir em tratamentos de saúde mental.

O estudo alerta, no entanto, que mais pesquisas são fundamentais para aumentar a compreensão dos potenciais efeitos clínicos do psicoativo. 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados