As curiosidades surpreendentes por trás do olfato dos cachorros

O animal conhecido como "o melhor amigo do homem" tem um nariz tão sensível que pode detectar o calor e odores nunca sentidos pelos humanos.

Um fazendeiro de trufas convoca seus labradores treinados para farejar um tesouro enterrado em uma floresta de carvalhos em Domaine de Bramarel Estate, nos arredores de Grignan.

Foto de david BACHER
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 21 de jul. de 2023, 09:58 BRT

Não é de hoje que os cachorros (Canis lupus familiaris) fazem parte da sociedade. Eles foram os primeiros animais domesticados pelos humanos, há 30 mil anos. Ao longo dos séculos, gerou-se uma linhagem de mais de 400 raças, com suas próprias características e códigos genéticos. 

Todas elas vêm de uma só espécie do gênero Canis e têm um único ancestral comum: o lobo-cinzento (Canis lupus), que foi domesticado há 15 mil anos, de acordo com estudos realizados pelo National Institutes of Health (NIH, em inglês), agência de pesquisa dos Estados Unidos.

cão desenvolveu um olfato 100 vezes mais sensível do que o dos humanos. Esse sentido nos caninos é tão apurado a ponto de ajudar a localizar vítimas em situações de desastres, como grandes terremotos e desabamentos. A razão do olfato aguçado é a morfologia da cavidade nasal do animal.

Como funciona o olfato de um cachorro?

Um estudo publicado pela revista científica Science intitulado “The secret of a dog's sniffer” (O segredo do faro de um cão, em tradução livre) diz que os cães possuem uma estrutura anatômica chamada recesso olfativo. Trata-se de uma espécie de labirinto de vias áreas que os humanos e demais primatas não apresentam.

O recesso olfativo dos cães está localizado atrás dos olhos e ocupa metade da parte interna do nariz. Ele é tão aguçado que permite que os canídeos percebam odores nunca antes sentidos pelo nariz humano. 

O nariz do cão tem um padrão de fluxo de ar nasal exclusivo, afirmam os pesquisadores na Science. "Isso ajuda a transportar rapidamente as moléculas de odor por uma única via aérea até o recesso olfativo". Além disso, os canídeos são capazes de reter o odor em seu labirinto de receptores olfativos mesmo depois de exalar o ar. 

Os cães criam imagens mentais a partir do que cheiram

Qual é a aparência de um cheiro? Um cão poderia responder a essa pergunta.

Um novo artigo publicado na revista Science, intitulado “What do dogs see when they smell something?” (O que os cães veem quando sentem o cheiro de algo?, em tradução literal), explica que os cachorros têm a capacidade de "visualizar mentalmente o que querem procurar" com base em seu olfato.

Dois cães de resgate de guerra encontram um soldado ferido.

Arte de LOUIS AGASSIZ FUERTES

Cães de família e outros treinados pela polícia concluíram com sucesso o estudo sem parâmetros diferenciais em seus resultados. Isso sugere que tais animais não precisam de treinamento para realizar a façanha. 

Eles são capazes de criar imagens mentais de sua família, o que inclui tanto os donos quanto outros canídeos. 

O olfato capta a presença de outros animais por meio do calor

O nariz dos cachorros pode detectar radiação térmica fraca, isto é, o calor corporal de seres vivos que estão próximos. A informação consta em um estudo publicado pela Science em 2020 chamado “New sense discovered in dogs' noses: the ability to detect heat” (Novo sentido descoberto no nariz dos cães: a capacidade de detectar calor.

Esse fato explica por que os caninos são capazes de se orientar e até mesmo "caçar" com problemas de visão, audição ou olfato. 

Os cientistas suspeitam que a habilidade pode ter sido herdada de seu ancestral, o lobo-cinzento, em resposta à necessidade de sentir a presença de corpos quentes a longas distâncias em uma caçada. 

A região da ponta do nariz dos cães é rica em nervos, o que ajuda a detectar o calor. No entanto, a publicação da Science esclarece que a impressionante capacidade olfativa dos canídeos é resultado não só do nariz, mas também do cérebro, que processa uma série de sinais e estímulos.

Cães podem rastrear animais farejando fezes

O artigo “Faeces-sniffing dogs track endangered wildlife” (Cães farejadores de fezes rastreiam animais selvagens ameaçados de extinção, em tradução livre), publicado pela Science, em 2015, descreve cachorros capazes de encontrar pessoas desaparecidas.

Outros farejam fezes para ajudar a identificar a presença de animais ameaçados de extinção. Alguns cães que participaram do estudo foram capazes de diferenciar doze tipos diferentes de fezes, desde iguanas até lobos-guarás. 

Para fazer isso, diz a Science, é usado um treinamento semelhante à maneira como os cães identificam narcóticos nos aeroportos.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados