Os 4 vulcões da América Latina que você precisa conhecer

Descubra quatro gêiseres de lava que ainda estão ativos, excretando lava e cinzas com tanta força que atingem locais que estão a mais de 100 quilômetros de distância das crateras.

Rocha derretida esfria e forma placas na superfície de um lago de lava.

Foto de Carsten Peter
Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 3 de ago. de 2023, 14:20 BRT

O aumento da atividade vulcânica no México e em outros países da América Latina deixou populações em alerta. No caso do vulcão Popocatépetl, são 25 milhões de pessoas que vivem em um raio de 100 quilômetros da cratera, o que a torna uma das mais perigosas do planeta, de acordo com o Centro Nacional de Prevenção de Desastres (Cenapred).

1. Vulcão Popocatépetl, México

Vulcão Popocatépetl coberto de neve, México (1916).

Vulcão Popocatépetl coberto de neve, México (1916). 

Foto de Sem crédito National Geographic

vulcão Popocatépetl (montanha que fumega, no idioma nahuatl) é um dos mais ativos de todo o México. É um vulcão que está ativo há mais de meio milhão de anos. De acordo com análises morfológicas e geológicas da Universidade Nacional Autônoma do México com o Cenapred, o Popocatépetl apresentou vários estágios de crescimento, que formaram pelo menos três vulcões anteriores, todos eles destruídos por erupções extraordinariamente grandes: 

  • Vulcão Nexpayantla, há mais de 400 000 anos 
  • Vulcão Ventorrillo, há 23 000 anos
  • Vulcão El Fraile, há 14 500 anos

As cinzas do Popocatépetl podem atingir cidades mexicanas distantes, como Puebla, Cidade do México e até mesmo Querétaro e Veracruz, que estão localizadas a mais de 300 quilômetros de distância do vulcão. O Popocatepetl está atualmente ativo e, de acordo com o sistema de alerta vulcânico do Cenapred, ainda está na fase 2 amarela, com um total de 15 erupções e 48 minutos de tremor, de acordo com o relatório de 1º de agosto de 2023. Por esse motivo, o Cenapred alerta para "não tentar escalá-lo e permanecer fora de um raio de 12 quilômetros de sua cratera". 

2. Vulcão de Fogo, Guatemala

Volcán de Fuego em erupção visto do cume do Volcán Santa María. Fuego é um dos ...

Volcán de Fuego em erupção visto do cume do Volcán Santa María. Fuego é um dos três vulcões atualmente ativos na Guatemala.

Foto de STEPHANIE GROCKE

Com aproximadamente 8500 anos de idade, o Volcán de Fuego da Guatemala faz parte da cadeia vulcânica quaternária, que corre paralela à costa do Pacífico, de acordo com um documento da Agência Nacional de Coordenação para Redução de Desastres da Guatemala (Conred). O vulcão voltou a ter atividade em 2023, e ela se intensificou, registrando um total de três a cinco explosões fracas a moderadas por hora, acompanhadas de avalanches e colunas de gás e cinzas de até 4500 metros de altura. 

Trata-se de um dos centros eruptivos mais recentes de toda a região, capaz de expelir grandes fluxos de cinzas e lava, que começaram a se formar há aproximadamente 84 000 a 43 000 anos. Além do Vulcão de Fogo, a cadeia vulcânica é composta por quatro outros vulcões: Acatenango Antiguo, Yepocapa, Pico Mayor de Acatenango e La Meseta. 

O Vulcão de Fogo é o único estratovulcão da lista acima, informa a Conred. Isso quer dizer que ele é formado por camadas alternadas de rocha e fluxos de lava antigos, cujas explosões fluem de uma única cratera conhecida. 

3. Vulcão Galeras, Colômbia

Nas cadeias de montanhas colombianas, no departamento de Nariño, um vulcão se ergue a 9 quilômetros da cidade de San Juan de Pasto. De acordo com o Serviço Geológico da Colômbia (SGC), o vulcão Galeras está entre os mais ativos do mundo. 

Os índios quillacingas deram o nome de Urcunina (Montanha de Fogo) ao vulcão de Pasto, hoje conhecido como Vulcão Galeras. Por sua vez, o SGC conta que ele foi batizado como Galeras pelos primeiros conquistadores espanhóis devido à semelhança com as galeras ou velas que navegavam naquela época para terras desconhecidas. Ele se eleva a uma altura de 4276 metros acima do nível do mar e ainda está ativo

4. Vulcão Cotopaxi, Equador

Cotopaxi, no Equador.

Cotopaxi, no Equador.

Foto de BRIAN HORTON

O Cotopaxi é, para o Ministério do Meio Ambiente do Governo do Equador, um símbolo mundialmente reconhecido de sua geografia indígena e cultural. O imponente Cotopaxi é um dos vulcões ativos mais altos do mundo, elevando-se a uma altura de 5897 metros acima do nível do mar, e é acompanhado por dois gêiseres de lava bem próximos: Morurco e Rumiñahui. 

Embora sua atividade não se transforme em desastres naturais, é um vulcão ativo. Dele, podem ser observados vapores esporádicos, diz o Ministério do Meio Ambiente do Equador. 

Nos flancos orientais do Cotopaxi e ao longo do rio Pita, que corre em direção ao norte, há grandes rochas e material vulcânico da última erupção do vulcão, em 1877. Como resultado de um acúmulo de rochas, areia e cinzas de erupções anteriores, o Cotopaxi também é considerado um estratovulcão.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados