Nasa acaba de encontrar um objeto misterioso no espaço

O objeto está muito fora de nossa vizinhança galáctica, possivelmente a bilhões de anos-luz de distância. Mas os astrônomos já viram algo semelhante mais perto da Terra.

Por Allie Yang
Publicado 10 de ago. de 2023, 12:12 BRT
STScI_CROPPED

Esse ponto de interrogação vermelho brilhante foi capturado no fundo de uma nova imagem do Telescópio Espacial James Webb.

Foto de NASA ESA, CSA

Duas das estrelas mais famosas de nossa galáxia foram recentemente fotografadas. A foto também captou algo que parece ser um ponto de interrogação celestial.

O símbolo foi visto em uma nova imagem do Telescópio Espacial James Webb (JWST, na sigla em inglês) das estrelas em formação Herbig-Haro 46/47, que são bem conhecidas e têm sido observadas com frequência pelos astrônomos. Essas duas estrelas podem fornecer pistas sobre como o nosso próprio Sol pode ter se formado. 

Elas estão relativamente próximas da Terra, a cerca de 1400 anos-luz, e são relativamente jovens, com apenas alguns milhares de anos. Na verdade, elas ainda estão em gestação e tecnicamente ainda não "nasceram", que é quando as estrelas começam a brilhar devido à sua própria fusão nuclear.

A imagem é a primeira das protoestrelas gêmeas feita pelo instrumento NIRCam do JWST. Ela foi capturada usando luz infravermelha, que penetra na poeira espacial mais facilmente do que a luz visual, e é a imagem de mais alta resolução dos objetos já vista nesses comprimentos de onda.

As duas protoestrelas estão envoltas de gás e poeira cósmica, que estão sendo atraídos para aumentar sua massa. Essas estrelas têm apenas alguns milhares de anos de idade, e elas levam milhões de anos para se formar completamente.

Foto de NASA ESA, CSA

surpreendente alcance do telescópio permitiu que o ponto de interrogação vermelho brilhante fosse capturado no centro inferior da imagem. O objeto está muito fora de nossa vizinhança galáctica, possivelmente a bilhões de anos-luz de distância, explica Christopher Britt, cientista de educação e divulgação do Space Telescope Science Institute, que ajudou a planejar essas observações.

Seu melhor palpite é que o ponto de interrogação seja, na verdade, a fusão de duas galáxias.

"Isso é algo que é visto com bastante frequência e acontece com as galáxias muitas vezes ao longo de suas vidas", diz ele. "Isso inclui nossa própria galáxia, a Via Láctea. Ela se fundirá com Andrômeda em cerca de quatro bilhões de anos ou mais."

As dicas que apontam para duas galáxias são encontradas no estranho formato do ponto de interrogação. Há dois pontos mais brilhantes, um na curva e outro no ponto, que podem ser os núcleos galácticos ou os centros das galáxias, acredita Britt. A curva do ponto de interrogação pode ser a "cauda" que está sendo removida à medida que as duas galáxias espiralam uma em direção à outra.

"É muito bonito. É um ponto de interrogação... Mas é possível encontrar os dois pontos e ponto e vírgula, e qualquer outro sinal de pontuação, porque temos 10 000 pequenos borrões de luz em cada imagem tirada a cada meia hora", cita David Helfand, astrônomo da Universidade de Columbia, Estados Unidos. “O grande número de objetos brilhantes que encontramos está fadado a criar algumas imagens por acaso, e nossos cérebros evoluíram para encontrar esses padrões”, acrescenta.

Os astrônomos já viram objetos semelhantes mais perto da Terra. Duas galáxias em fusão capturadas pelo Telescópio Espacial Hubble em 2008 também se assemelham a um ponto de interrogação, apenas girado 90 graus.

À esquerda: No alto:

A fusão de galáxias pode assumir muitas formas hipnotizantes. Essas galáxias em fusão, conhecidas como II Zw 096, são o local de uma explosão espetacular de formação de estrelas que é sugerida nas manchas vermelhas próximas ao centro da imagem.

À direita: Acima:

Esta imagem do Telescópio Espacial Hubble mostra duas galáxias espirais (identificadas coletivamente como Arp 256) nos estágios iniciais da fusão. Observe seu formato de ponto de interrogação.

fotos de NASA ESA, the Hubble Heritage Team (STScI AURA)-ESA, Hubble Collaboration and A. Evans (University of Virginia Charlottesville NRAO Stony Brook University)

Helfand conta que o ponto de interrogação parece ser dois objetos, a curva e o ponto, mas podem ser outros que simplesmente se alinharam por acaso. Eles também podem ser objetos completamente não relacionados, diz ele, se um estiver muito mais próximo da Terra do que o outro.

Britt adverte que estimar a distância com base apenas nas cores da imagem pode ser complicado. O vermelho do ponto de interrogação pode significar que ele está muito distante (as ondas de luz se esticam à medida que viajam pelo universo em expansão, mudando para comprimentos de onda mais vermelhos) ou que está mais próximo e obscurecido pela poeira próxima ao objeto.

(Relacionado: O que é o Universo?)

Seria necessária mais investigação para identificar exatamente a que distância está o ponto de interrogação. Isso poderia ser feito medindo-se os redshifts fotométricos, determinados pelo brilho observado por meio de diferentes filtros, mas isso forneceria apenas uma estimativa da distância, pondera Britt. A espectroscopia, que analisa a luz da fonte para determinar sua composição elementar, poderia fornecer uma distância mais exata, mas requer um instrumento separado para a medição.

Dado o número de alvos intrigantes detectados pelo JWST, o ponto de interrogação talvez nunca receba esse tratamento. Por enquanto, a origem desse símbolo no céu continua sendo um mistério cósmico.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados