Mitos e verdades do Triângulo das Bermudas

A história do Triângulo das Bermudas está envolta em mistério, mitos e verdades. Retomamos os principais eventos de sua história para descobrir o que realmente está por trás de toda a fama do local.

Naufrágio no Triângulo das Bermudas.

Foto de Tatyane Salles National Geographic Your Shot
Por Redacción National Geographic
Publicado 6 de out. de 2022 10:04 BRT

O Triângulo das Bermudas é um dos lugares mais misteriosos do planeta. Ouvimos de diversas fontes dezenas de histórias sobre navios e aviões desaparecidos, sempre rodeadas de mistérios. Em janeiro de 2021, a Guarda Costeira da Flórida fez um anúncio declarando que um navio que viajava em direção à Flórida tinha desaparecido após sair no dia anterior das Bahamas. Depois de 84 horas de intensa investigação, a busca foi cancelada sem rastros da embarcação e sua tripulação.

Mas será que realmente sabemos o que é o Triângulo das Bermudas? O que é lenda e o que é realidade? Será verdade que naves, aviões e pessoas desaparecem nesta área geográfica do planeta sem deixar vestígios? Relembramos os principais eventos de sua história para descobrir o que há de verdade sobre sua misteriosa fama.

O que é o Triângulo das Bermudas?

O Triângulo das Bermudas é formado por 1,1 milhão e meio de quilômetros quadrados em alto mar dentro de um triângulo equilátero (daí seu nome) formado pelos extremos das ilhas das Bermudas, Porto Rico e Miami, na Flórida, EUA.

Este triângulo imaginário guarda um segredo: centenas de navios desapareceram desde que há registro deste lugar, quase uma centena de aviões – que se conheçam – e milhares de pessoas. Estão todos no fundo do mar? Estão em outra dimensão? Estão afundados com a cidade perdida da Atlântida? Provavelmente não, mas os humanos sempre gostaram de incluir um pouco de lenda aos fenômenos que não conseguiram provar.

Contexto e primeiras alusões do "Triângulo do Diabo"

Ano 1945 é uma data que marca o início deste mistério. Tripulações de cinco aviões da Marinha dos EUA que sobrevoavam a área desapareceram. Até mesmo uma sexta aeronave desapareceu, um avião de emergência Martin Mariner que tinha ido em socorro das outras tripulações. No total, 27 pessoas desapareceram sem deixar rastro. Na última comunicação com eles, um de seus membros afirmou que estavam completamente perdidos e sem saber em que direção continuar. Depois disso, nada.

O primeiro relato escrito deste mistério data de 1950, realizado pelo jornalista sensacionalista Edward Van Winkle Jones, que escreveu no jornal Miami Herald sobre o estranho desaparecimento de um grande número de barcos nas costas das Bahamas. Dois anos depois, o escritor George X. Sand contribuiu com o mistério afirmando que havia inexplicáveis desaparecimentos marítimos nessa área. 

Mais tarde, em 1964, a revista de ficção Argosy Magazine publicou um artigo detalhado, intitulado "O Triângulo Mortal das Bermudas", onde mencionava desaparições estranhas, fenômenos paranormais e mistérios que faziam desaparecer automaticamente aqueles que navegavam nestas águas.

(Mais mistérios: Exclusivo: por dentro da expedição em busca do avião de Amelia Earhart)

Mergulhador nas águas claras do Triângulo das Bermudas.

Foto de Tatyane Salles National Geographic Your Shot

Mas por que aquele lugar? Porque era – e ainda é – um ponto de passagem muito frequentado por navios e aviões que viajam do continente americano para o europeu. Seus fortes ventos e as correntes do Golfo tornam mais rápida a navegação e os voos através da área. É uma espécie de "atalho" ou "rota rápida" para a Europa. E como sabemos, quanto mais barcos ou aviões passarem por este lugar, maiores serão as probabilidades de que aconteça algo fora do comum.

Lendas do Triângulo das Bermudas

Existem várias teorias, porém nenhuma comprovada, que tentam explicar o fenômeno que ocorre nesta área. Aqui estão algumas das mais surpreendentes:

Um buraco negro

Embora seja verdade que existem buracos negros e toda uma teoria desenvolvida por numerosos cientistas, incluído o famoso Stephen Hawking, é improvável que exista nesta área. Por quê? Porque um buraco negro é uma região finita do espaço na qual a massa concentrada é tão poderosa que nada escapa de seu controle. Em outras palavras, se houvesse um buraco negro na água – ou no céu – tudo o que passasse por ele desapareceria sem exceção.

Este buraco negro supermassivo no centro de nossa galáxia se esconde atrás de densas nuvens de poeira e gás. Combinando a potência de uma rede mundial de radiotelescópios, os astrônomos esperam penetrar no coração de nossa galáxia e capturar – pela primeira vez – os limites de um buraco negro. Esta rede observa ondas de rádio com um comprimento de onda de 1 milímetro, e seu poder de ampliação é alto o suficiente para observar os detalhes nos limites do buraco negro.

Foto de Nrao Aui, Nsf

Atlântida: a superfície do continente perdido

Conhecemos esta mítico cidade-continente a partir dos diálogos de Platão Timeu e Crítias, onde os atlantes perderam sua soberania sobre a Terra para os atenienses, que eram sem dúvida superiores a eles.

Esta teoria foi continuada pelo médium Edgar Cayce (1877-1945), que alegou que os atlantes tinham uma tecnologia altamente desenvolvida que consistia em "cristais de fogo" que, literalmente, disparavam raios e extraíam energia. O experimento deu tão errado que sua maravilhosa ilha acabou afundando e o poder desses cristais, que ainda hoje estariam ativos, interfere nos dispositivos tecnológicos de navios e aviões.

 

Só existe uma fonte original que fala da cidade de Atlântida. Em 400 a.C., Platão descreve esta poderosa civilização. Os atlantes eram militarmente muito poderosos, tinham sistemas tecnológicos muito sofisticados e eram economicamente muito ricos.

Foto de National Geographic Channel

Monstros marinhos

O Kraken é um monstro marinho de proporções gigantescas que, igual que outros monstros das mesmas características, habitariam as águas do Triângulo das Bermudas, literalmente devorando qualquer coisa que aparecesse na sua frente. Este mito pode ter surgido do avistamento por marinheiros e piratas de lulas gigantes, de 14 e 15 metros de comprimento, que habitam as águas profundas do alto mar. O resto é lenda.

(Relacionado: Caçadores do monstro do Lago Ness tentarão encontrá-lo por DNA)

Ovnis

Outra teoria improvável diz que a área é uma estação extraterrestre onde os Ovnis abduzem as pessoas e as levam aos seus planetas para investigá-las. As teorias mais alarmistas afirmam que os alienígenas estão nos estudando a fim de aprender sobre nossa tecnologia e habilidades e depois usá-las contra a Terra e nos invadir. Os mais bondosos dizem que os alienígenas estão levando pessoas nesta zona sazonal para salvar a humanidade do grande holocausto final. 

Triângulo das Bermudas: a ciência se manifesta

Como as lendas, também há muitas teorias científicas possíveis. Geralmente tendemos a dar um significado sobrenatural ao que não podemos explicar, mas a realidade também pode matar uma boa história de ficção. Aqui estão algumas das teorias mais prováveis.

Erro humano

Infelizmente, o erro humano acontece. Muitos dos acidentes ocorridos nestas áreas têm a ver com erros de cálculo, falhas tecnológicas de grandes dispositivos ou decisões erradas. É algo que nunca poderá ser provado, simplesmente porque ocorre em áreas tão grandes e distantes da costa que é praticamente impossível recuperar os vestígios.

Meteorologia

Outra teoria possível envolve a climatologia. Tufões, furacões e grandes tempestades que causam ondas de centenas de metros podem facilmente ser a causa de acidentes dos grandes navios no mar e aeronaves no céu.

Em 4 de setembro, o satélite Suomi NPP da Nasa e da Noaa captou esta foto do Furacão Irma, de Categoria 4, ao se aproximar das Ilhas Leeward.

Foto de Noaa NASA Goddard MODIS Rapid Response Team

Variações magnéticas e neblina

Há uma teoria – talvez metade ciência, metade ficção – que fala de uma neblina eletrônica. Este conceito foi cunhado por Rob MacGregor e Bruce Gernon em seu livro The Fog. Ambos, sobreviventes de uma viagem acidentada na área, alegaram que um furacão eletrônico em um denso nevoeiro atingiu as asas de seu avião. 

Devido a esta condição, todos os dispositivos tecnológicos da aeronave – dos anos 70 – deixaram de funcionar e o casal ficou sem visão nem direção. De acordo com seu próprio relato, 75 minutos depois apareceram em uma área de Miami onde era impossível chegar em tão pouco tempo. Realidade, ficção? Talvez ambos, já que o Triângulo das Bermudas é um dos dois lugares na Terra onde as bússolas apontam para o norte verdadeiro, e não para o norte magnético, daí a ideia que as bússolas dão errado no Triângulo das Bermudas. 

Há evidências de que isto aconteceu com o próprio Cristóvão Colombo em sua viagem para o novo continente. Em sua passagem pela área, em 8 de outubro de 1492, a bússola "quebrou" e parou de marcar o percurso. Colombo não disse nada à sua tripulação e isso provavelmente impediu que ele fosse jogado ao mar, já que a tripulação estava desesperada para chegar a terra firme.

Buracos azuis

O subsolo marítimo das Bahamas tem buracos azuis. E o que são buracos azuis? São grutas com milhares de anos que existem na área e criam correntes muito fortes capazes de lançar à deriva navios de grande tonelagem. São cavernas verticais muito profundas. 

A mais profunda do mundo, localizada nesta área, é conhecida como Sansha Yongle Blue Hole e tem 300 metros de profundidade. Mas estes buracos não existem apenas aqui. Eles também existem na Península de Iucatã e no Recife do Farol em Belize, América Central.

Explosões de metano

Uma recente descoberta no início de 2021 em águas da Noruega pode fornecer uma nova teoria sobre o Triângulo das Bermudas. Nesta área, crateras profundas – semelhantes aos buracos azuis – conteriam grandes concentrações de gás metano. Na área das Bahamas, o calor das águas tropicais e o dos próprios navios provocariam a explosão deste gás, formando não apenas correntes marítimas intensas, mas também destruindo navios e barcos como se fossem feitos de papel.

Existem muitas teorias, desde as mais extravagantes até as mais científicas, mas nenhuma resolve este enigma. Mesmo assim, no final, a realidade prevalece: não há nada nesta área de nosso planeta que seja especialmente relevante em comparação a outras áreas. Mas é claro que para os seres humanos, a ideia de algo sobrenatural sempre foi mais romântica, porque afinal... o que seria da história sem mistérios?

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Viagem
Conheça o homem que viveu sozinho em uma ilha por 32 anos
Cultura
6 formas de se cumprimentar em todo o mundo — sem se tocar
Viagem e Aventura
7 formas de viajar para fora como um local
História
Por que o Yom Kipur é o dia mais sagrado do calendário judaico?
História
Uma breve história de Rosh Hashaná, o início do Ano Novo judaico

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados